Justiça confirma demissão por justa causa de funcionária que teve atitude racista em academia

Recepcionista chamou prestador de serviços de “macaco e negro fedido”

Do R7

A juíza Roberta de Melo Carvalho, na 6ª Vara do Trabalho de Brasília, confirmou a demissão por justa causa de uma recepcionista da Strong Fit Academia, localizada na Região Administrativa de São Sebastião (DF). A decisão da magistrada levou em conta depoimento de testemunhas, que comprovaram que a trabalhadora dirigiu ofensas raciais e agrediu verbalmente um prestador de serviço da academia, na presença de alunos e outros empregados.

De acordo com o processo, em uma discussão com o prestador de serviço, a recepcionista o chamou de “macaco e negro fedido”. Conforme depoimento de testemunhas, a trabalhadora foi agressiva e, aos berros, disse os xingamentos com palavras de baixo calão. Para a juíza responsável pela sentença, a conduta da empregada é inadmissível no ambiente de trabalho ou em qualquer outro local.

— Xingamentos, até mesmo em tons de brincadeira, o que não ocorreu neste caso, não devem ser permitidos, pois as pessoas precisam respeitar umas às outras em face do princípio da dignidade da pessoa humana e atitudes como essa não devem ser toleradas em sociedade.

Para a juíza Roberta de Melo Carvalho, nessa situação, não há necessidade de gradação de penalidades, pois o ato foi grave o suficiente a autorizar o desligamento da empregada.

Leia mais sobre Casos de Racismo 

+ sobre o tema

E se os computadores aprenderem a ser racistas?

Parece ficção científica, mas isso já está acontecendo. O...

Governo criará coordenação de saúde da população negra

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, adiantou nesta...

Relatório da Anistia critica aumento de mortes em ações policiais no Brasil

Relatório da Anistia Internacional aponta preocupação com as crescentes...

Mulher é vítima de racismo durante almoço no trabalho

"Ele falou que queria que a escravidão voltasse para...

para lembrar

Plataforma de denúncia de violência policial recebe prêmio internacional

DefeZap foi premiado por inovação no acesso à Justiça em...

Jogador de vôlei afirma ter sofrido racismo em jogo da Superliga

Em um jogo da rodada da Superliga Masculina...

Finalmente um Antonio Risério para unir a esquerda e a direita

Nenhuma pessoa, absolutamente nenhuma, das que participam de alguma...

Não existe bala perdida. Sobre as prováveis violências policiais no Brasil

Este artigo foi escrito como texto-base para participação no debate...
spot_imgspot_img

Educação escolar de negros com deficiência é marcada por capacitismo e racismo

Apesar da acessibilidade ser um direito garantido por lei para as pessoas com deficiência, a falta de ambientes acessíveis foi um dos principais problemas...

Em ‘Sitiado em Lagos’, Abdias Nascimento faz a defesa do quilombismo

Acabo de ler "Sitiado em Lagos", obra do ativista negro brasileiro Abdias Nascimento, morto em 2011, no Rio de Janeiro. A obra, publicada agora pela...

Registros de casos de racismo aumentam 50% entre 2022 e 2023 no estado de SP

Números obtidos via Lei de Acesso à Informação pela TV Globo, mostram que o número de ocorrências registradas por racismo e injúria racial tiveram alta...
-+=