Kamala Harris é a mulher negra mais poderosa do mundo, segundo a Forbes

Enviado por / FonteGlamour

Oprah Winfrey, Rihanna e Beyoncé também se destacam e marcam presença na lista

Nesta terça (6.12), foi divulgada a “Lista Forbes: 100 mulheres mais poderosas do mundo” de 2022. Nela, Kamala Harris (58), vice-presidente dos Estados Unidos, ocupa a 3ª posição – se tornando, assim, com sua presença no top 3, a mulher negra de maior destaque no ano.

Mas este não é o primeiro grande destaque de Kamala: em 2010, ela foi a primeira mulher negra eleita como procuradora geral da Califórnia; em 2016, a primeira de ascendência índigena eleita para o Senado norte-americano; e recentemente, em 2021, se destacou como a primeira mulher e pessoa sul-asiática e negra a ser eleita para vice-presidente dos Estados Unidos.

Na seleção das 100 mais poderosas do mundo, Ursula von der Leyen (64), presidente da Comissão Europeia, ocupou o 1º lugar.

Beyoncé, Rihanna e outras personalidades negras também marcaram presença na lista

Junto com Kamala Harris, outras mulheres negras também se destacaram na lista anual da Forbes. A apresentadora Oprah Winfrey ocupa a 24ª posição, enquanto Rihanna e Beyoncé aparecem em 73 e 80, respectivamente.

Rihanna – que, recentemente, fez seu retorno para na música com a faixa “Lift Me Up” na trilha sonora de “Pantera Negra 2: Wakanda Para Sempre” – já tinha aparecido na lista de novos bilionários da Forbes, chamando atenção por ser a única da seleção com menos de 40 anos.

Para definir os nomes da listagem, a Forbes considera quatro métricas principais: dinheiro, mídia, impacto e esferas de influência. No caso de líderes políticas, produto interno bruto (PIB) e população dos países são levados em conta; já nas lideranças corporativas, considera-se receita e números de funcionaríos, bem como menções e alcance na mídia.

+ sobre o tema

Mais um Passo

Na III Reunião do Comitê Preparatório da Conferência Mundial...

Procuradora envia ao STF parecer a favor de aborto de anencéfalo

A procuradora-geral interina da República, Deborah Duprat, enviou ontem...

Porta-voz negra e feminista de Macron quebra códigos da política francesa

A nova porta-voz do governo francês, a franco-senegalesa Sibeth...

Única negra em universidade japonesa: “Pobre também pode estudar fora”

"De Itaquera pra atual universidade número um do Japão!...

para lembrar

A cada sete dias, um homossexual relata agressão em SP

A cada sete dias, a Polícia Civil registra ao...

Maria Alice Setubal e Sueli Carneiro: Debate racial no Brasil: uma causa de todos

A construção de uma sociedade mais justa passa, necessariamente,...

Precisamos falar sobre aborto

*Junte-se a nós! Baixe o cartaz aqui, faça uma...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=