Lazer motiva a nova classe média a viajar de avião

Passeios e visitas a familiares são as principais razões dos voos dessa faixa de renda; aeroporto ainda assusta

Entre pessoas que nunca voaram, 62% disseram que não ficariam à vontade em um aeroporto


Os passageiros da nova classe média que viajam pela primeira vez ainda têm no lazer a principal motivação para embarcar em um avião: 80% das viagens são a passeio ou para visitar a família.

Somente 14% das viagens são feitas em razão do trabalho, segundo o Data Popular.

Com renda na faixa de R$ 3.000 a R$ 3.500, a assistente administrativa Andréia Tomaz da Silva, 28, faz parte da classe C, maioria dos brasileiros que embarca pela primeira vez em um voo.

“Comprei em dez parcelas e fui com a minha irmã em férias para Natal. Agora, cada vez mais gente tem oportunidade de voar”, afirma.

Parte dos novos passageiros ainda se sente constrangida com a novidade. Em pesquisa com 2.000 pessoas no segundo semestre do ano passado, 62% dos entrevistados que não tinham viajado de avião disseram que não ficariam à vontade em um aeroporto nem saberiam como se comportar.

O técnico Claudio Marcos Barbosa, 38, que aproveitou uma promoção e levou a irmã e a mãe para um passeio em Florianópolis, diz que as duas “sentiram na pele” a novidade da viagem.

“Deu para ver que as duas estavam ansiosas com os hábitos do aeroporto. Mas já se acostumaram e querem repetir a dose. Como agora avião não é mais só para ricos, dá para planejar outra viagem.”

Sua família faz parte dos 85% dos brasileiros que pretendem viajar de novo, entre os que já viajaram de avião.

Pesquisa do Data Popular aponta ainda que existem 5,5 milhões de nordestinos que moram em São Paulo e são clientes potenciais das linhas aéreas para visitar parentes em seus Estados de origem.

“São pessoas que têm onde ficar e não precisam viajar de pacote. As empresas ainda não se deram conta desses consumidores”, diz Renato Meirelles, do Data Popular.

(CLAUDIA ROLLI e JANAÍNA LAGE)

Fonte: Folha de S.Paulo

+ sobre o tema

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança...

para lembrar

Os obstáculos à justiça social

Autores propõem reformas profundas na distribuição da riqueza por Amélia...

Luiza Bairros e o vendilhão do templo – – Por Cidinha da Silva e Mariana Assis

Em texto recente, Reinaldo Azevedo, colunista da Folha e...

12/09 – Tracking Vox Populi/Band/iG: Dilma vai a 53%; Serra fica com 23%

A candidata do PT foi a única que oscilou...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...

Fome extrema aumenta, e mundo fracassa em erradicar crise até 2030

Com 281,6 milhões de pessoas sobrevivendo em uma situação de desnutrição aguda, a ONU alerta que o mundo dificilmente atingirá a meta estabelecida no...
-+=