Líder comunitário é preso acusado de racismo contra policial militar

O soldado da Polícia Militar (PM), Anderson Gazias Abreu, acusou o líder comunitário Gilmar Genival Mendonça de racismo. Ele teria desacatado o militar e chamado de “negro safado”, durante uma discussão ocorrida na Rua do Encanto, no Clima Bom.

O crime ocorreu na noite desta terça-feira (18), logo após um sobrinho do acusado – um adolescente de 17 anos – ter sido detido pelos policiais, acusado de integrar um grupo que tinha acabado de trocar tiros com a guarnição da PM.

O grupo havia se confrontado com os policiais e tentado fugir num Fiat Uno, cor prata, placa HLH 3498/AL. O bando era suspeito da pratica de diversos crimes no bairro.

Segundo a Polícia, Gilmar tentava impedir a prisão do sobrinho, quando praticou o crime.

Gilmar foi levado para Central de Polícia, onde foi autuado por crime de injúria (racial) qualificada. Ele pagou fiança de um salário mínimo e vai responder pelo crime em liberdade.

Fonte: O Jornal

+ sobre o tema

Mulheres pretas e pardas são as mais afetadas pela dengue no Brasil

Mulheres pretas e pardas são o grupo populacional com...

‘Me sinto decapitado’: por que cada vez mais homens têm o pênis amputado no Brasil?

Uma verruga no pênis fez João*, de 63 anos,...

Direito ao voto feminino no Brasil completa 92 anos

As mulheres são atualmente 52% do eleitorado brasileiro, segundo...

para lembrar

Série de fotos histórica escancara o racismo nos EUA da década de 1950

Se o ano de 1956 pode hoje parecer distante...

Presidente de clube é condenado por racismo

-Fonte: Jornal de Uberaba - Presidente de um clube...

Ator global vai à polícia após filha ser alvo de racismo

Do Pragmatismo PoliticoAtor Bruno Gagliasso prestou queixa na Delegacia...

Racismo e opressão no governo italiano

Por Marina Fuser*   Novos escândalos colocam o primeiro-ministro italiano de...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=