Toni Bernardo da Silva – Agressores foram soltos, porque o crime foi considerado lesão corporal

Alunos da Universidade Federal de Mato Grosso em Rondonópolis, Sul do Estado, e representantes de entidades civis ligados aos movimentos sociais e estudantis fizeram um protesto nesta quarta-feira, 19, durante a sessão da Câmara realizada nesta quarta-feira. Eles levantaram faixas pedindo um basta a violência, em alusão ao caso do estudante africano Toni Bernardo da Silva, que morreu em Cuiabá após ser agredido por policiais.

Segundo a presidente do Movimento Negro, Elaine Aparecida de Oliveira Lopes, o objetivo do protesto é reivindicar justiça no caso de Toni, que era estudante da UFMT. “A Universidade tem demostrado um atitude racista em relação ao caso e isso não podemos admitir” – disse a presidente do Movimento Negro, Elaine Aparecida de Oliveira Lopes.

A presidente do DCE, Pâmella Araújo Balcaçar, comentou que com a ação pretendem conscientizar a população sobre a gravidade do crime contra o estudante. “Na semana passada os agressores foram soltos, porque o crime foi considerado lesão corporal, mas como isso se o estudante foi espancado até a morte. Isso é homicídio qualificado”, diz.

O protesto também reivindicava as Sobrevagas, uma medida aprovada desde 2003, que prevê 30% das vagas reservadas para alunos com baixa renda. “E isso não vem acontecendo no Campus da UFMT de Rondonópolis”, fala Elaine.

Fonte: 24horas News

+ sobre o tema

Nath Finanças entra para lista dos 100 afrodescendentes mais influentes do mundo

A empresária e influencer Nathalia Rodrigues de Oliveira, a...

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do...

Crianças do Complexo da Maré relatam violência policial

“Um dia deu correria durante uma festa, minha amiga...

Concurso unificado: saiba o que o candidato pode e não pode levar

A 20 dias da realização do Concurso Público Nacional...

para lembrar

Após sofrer racismo na escola, Kheris Rogers de 10 anos cria linha de roupas empoderadora

Você precisa conhecer Kheris Rogers, uma menina de 10...

A Discriminação de Boris Casoy: Isso é uma vergonha

Neste vídeo o apresentador da Band, Boris Casoy declara...

RACISMO NA ITÁLIA: Mais um capítulo do racismo na Itália

O prefeito de Brescia, Adriano Paroli, do PDL, informou...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=