Lily Allen se defende quanto a acusação de racismo em clipe de Hard Out Here

O novo clipe de Lily Allen, Hard Out Here, lançado nesta terça (12) faz uma crítica ácida e irônica quanto a objetificação da mulher no mundo pop. Contudo, houve quem enxergasse racismo por parte da cantora no vídeo por conta de todas as dançarinas dele serem negras.

Lily se defendeu de tais acusações no twitter, em que colocou uma lista de motivos pelos quais ela considera que as críticas não tem fundamento.

Leia a tradução:

“Privilégio, superioridade e equívacos

1. Se alguém pensou por um segundo que eu pedi raças específicas para o vídeo, ele está errado.

2. Se alguém acha que depois de as garotas fazerem a audição elas seriam dispensadas por causa da cor da pele delas, ele está errado.

3. A mensagem é clara. Ainda que eu não quisesse ofender ninguém, eu me esforcei para provocar pensamentos e conversas. O vídeo pretendia ser uma sátira alegre que lida com a objetificação da mulher na cultura pop moderna. Não tinha absolutamente nada a ver com raça.

4. Se eu pudesse dançar como aquelas moças podem, seria o meu traseiro nas telas de vocês. Na verdade, eu ensaiei por duas semanas para tentar aperfeiçoar o meu twerk, mas eu falhei miseravelmente. Se eu tivesse um pouco mais de coragem, eu teria usado biquíni também, mas eu não tenho e tenho celulite crônica, o que ninguém quer ver. O que eu estou tentando dizer é que eu estar vestida não tem nada a ver com eu tentando me desassociar das meninas, tem mais a ver com as minhas próprias inseguranças e eu apenas quria me sentir o mais confortável possível no dia das gravações.

5. Eu não vou me desculpar porque eu acho que isso implicaria eu ser culpada de algo, mas eu te prometo isto, de nenhuma maneira eu me sinto superior a ninguém, exceto pedófilos, estupradores assassinos e etc., e eu não ficaria apenas surpresa mas profundamente triste se eu soubesse que qualquer um terminou de ver o vídeo se sentido aproveito ou comprometido de alguma maneira.”

Veja o clipe de Hard Out Here:

Fonte: Virgula

+ sobre o tema

Polícia indicia por racismo cliente de restaurante suspeito de ofender músico em Porto Alegre

A Polícia Civil concluiu na quinta-feira (26) o inquérito...

Segurança espanca cliente negro nas Lojas Americanas

No último sábado, o vigilante Márcio Antonio de...

Fim dos autos de resistência: temos realmente o que comemorar?

Nos últimos dias, veicula-se nas redes sociais e meios...

para lembrar

spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=