Ludmilla já sofreu preconceito por roupa curta e rebate: ‘Visto o que eu quiser’

A ‘carinha das noitadas’ na cena funkeira dispensa salto alto e fala de estilo

Larissa Moggi

Tá dominado! Tá tudo dominado… pelas mulheres! Se nas últimas duas décadas o funk explodia nas noitadas sob o agito eminentemente masculino do Bonde do Tigrão, Furacão 2000, MC Leozinho, Jonathan ‘da nova geração’, MC Marcinho e Mr. Catra, além de outros sucessos, os nomes da vez no cenário funkeiro poderiam se resumir a apenas um adjetivo: poderosas!

Mulheres como Anitta, Valesca e Ludmilla, como que “sem querer”, vêm roubando a cena no funk brasileiro, distribuem “beijinhos no ombro” pelos palcos onde brilham e, para o recalque das invejosas, mandam apenas um recado: “Blá, Blá Blá”.

ludmilla_preconceito_roupa1

A feminilidade está em alta e ferveu a gravação do Altas Horas do último sábado, quando uma discussão sobre liberdade sexual feminina, colocou em lados opostos as cantoras Anitta e Pitty. Sobre esse discurso no cenário do funk, Ludmilla vibra com os novos passos: “Acho que agora chegou a hora. Está rolando um poder aí. Estamos dominando. Devagar, estamos chegando”.

Além de reconhecer um espaço cada vez maior, a funkeira vai além no quesito feminismo e, aos 19 anos, se mostra bem segura e manda o recado. “Na minha postura, eu faço o que quiser, boto a roupa que eu quiser e, se não gostou, me engole”.

No palco, pipocam roupas mais curtas e justinhas. No dia a dia, não é muito diferente. “Gosto de usar shortinho, blusa, blazer… coisas estilosas. E vestido, às vezes”, conta ela, que ainda  lamenta ter sido alvo de preconceito por causa de roupas mais ousadas: “Já vivi isso. Eu usava muito top quando eu nem era famosa. Aí falavam: ‘Hum, olha lá, piriguete!’. Mas eu nem ligava e continuava usando”.

Ludmilla também dispensa um dos queridinhos do universo feminino, o salto alto: “Não gosto de usar muito salto porque já sou muito grande. Então prefiro usar bota, porque te deixa mais arrumada e é um sapato baixo. Meu estilo é uma roupa que me deixe bastante confortável e me faça sentir bonita”.

ludmilla_preconceito_roupa2

ludmilla_preconceito_roupa3

ludmilla_preconceito_roupa4

ludmilla_preconceito_roupa5

 

Fonte: GShow

 

+ sobre o tema

Condenação de estudante que ofendeu nordestinos terá efeito educativo nas redes sociais

Por:Filippo Cecilio Para OAB-PE, decisão servirá como exemplo para usuários...

Sarney e Maia destacaram a presença de uma mulher na Mesa diretora

A cerimônia que deu início aos trabalhos legislativos da...

Justiça de MT autoriza aborto de feto anencéfalo em Lucas do Rio Verde

"Obrigar uma mulher a manter durante nove meses a...

para lembrar

Caneladas do Vitão: Uma vez Anielle, sempre Marielle 2

Brasil, meu nego, deixa eu te contar, a história...

Dizem que `num´pega, mas um dia ainda vão aprender que pega

Domingo passado, folheando revistas velhas, bati o olho numa...

Primeira vereadora negra eleita em Joinville é vítima de injúria racial e ameaças

A vereadora Ana Lúcia Martins (PT) é a primeira...
spot_imgspot_img

Show de Ludmilla no Coachella tem anúncio de Beyoncé e beijo em Brunna Gonçalves; veja como foi

Os fãs de Ludmilla já estavam em polvorosa nas redes sociais quando a artista subiu no palco principal do Coachella, na Califórnia, na tarde deste domingo, acompanhada...

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços, compraria nas bancas costumeiras. Escolhi as raríssimas que tinham mulheres negras trabalhando, depois as de...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...
-+=