Mãe é demitida por não manter filhos calados durante reuniões de trabalho

Uma situação comum em tempos de pandemia custou o emprego de uma americana e causou revolta nas redes sociais. A executiva Dris Wallace contou, em publicação no Instagram, que foi demitida por não conseguir manter os filhos em silêncio durante ligações de negócio.

Mãe de duas crianças (de 4 anos e de 1 ano), Dris começou a trabalhar no modelo home office em março devido à pandemia do novo coronavírus. Segundo ela, os chefes frequentemente a questionavam porque as crianças faziam tanto barulho. Os filhos de Dris ficavam brincando no quintal enquanto ela trabalhava.

“A situação em que passei meus últimos três meses está além do estressante. Perdi horas, lágrimas, suor, demorei em dar um lanche ao meu filho quando ele queria, porque meu chefe precisava que eu fizesse algo imediatamente. E o que eu recebi em troca? Fui demitida”, contou Dris, que reside na Califórnia, nos Estados Unidos.

A mãe afirmou que, antes da demissão, buscou apoio do setor de recursos humanos. No entanto, pouco depois, foi desligada da função sob o pretexto de redução de receita, embora outras áreas estivessem contratando normalmente, mesmo em tempos de crise.

“Estamos um momento difícil agora. Essa situação teria sido temporária. Nenhum de meus clientes teve problemas com o barulho dos meus filhos”, escreveu.

Dris contou que a empresa ofereceu dinheiro para que a situação não fosse exposta, mas ela negou.

“Não é justificável ter que sentir que seu chefe está fazendo você escolher seu trabalho em detrimento de seus filhos. Espero que minha história aumente a conscientização sobre discriminação de gênero e preconceito contra as mães”, finalizou.

Em um quadro, filha mais velha da executiva diz: “Minha mamãe foi demitida porque o chefe dela não queria me ouir no quintal”

 

Ver essa foto no Instagram

 

| 28 days ago I finally had enough of the 𝗱𝗶𝘀𝗰𝗿𝗶𝗺𝗶𝗻𝗮𝘁𝗶𝗼𝗻 that my boss was giving me for him not being okay with hearing my kids in the background on calls.|😭😡😖💔 . He wanted me to figure out a way to keep the kids quiet 😣. I went to Human Resources with proof of what was going for the last 3 months and 7 days later AFTER that 𝗜 𝗴𝗼𝘁 𝗳𝗶𝗿𝗲𝗱!!!! 😭 They told me that I should be happy that the outcome to my career there could have been worse. I’m crying as I type this…😭 I was told I had a bright future. That I was doing very well in my position! 💔💔💔😭💔😭 . The last 3 months I have worked around the clock from home while watching my two toddlers😭. I have met all the deadlines they have asked me for, even the unrealistic ones. The situation that I had endured the last 3 months is beyond stressful😭. How does a company that says that they understand and will work around the schedule of parents do the complete opposite with their actions? 😭 I’m devastated. I have poured hours, tears, sweats, delayed giving my child a snack when he wanted one because my boss needed me to do something right away. And what did I get in return? 𝗙𝗜𝗥𝗘𝗗!!! 😭😭😭😭😭 😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭 . They can keep the 𝗵𝘂𝘀𝗵 money they offered to not bring this up🚫🛑✋! No working mother should be discriminated against , especially during these times for not being able to keep my 𝟭 𝘆𝗲𝗮𝗿 𝗼𝗹𝗱 𝗾𝘂𝗶𝗲𝘁 for a business call 😡For not being able to turn something around in 5 minutes when my baby wants a snack😡. We are in tough times right now. This situation would have been temporary. None of my clients had issues with my kids in the background. 𝗜’𝗺 𝗴𝗼𝗶𝗻𝗴 𝘁𝗼 𝗳𝗶𝗴𝗵𝘁 𝗳𝗼𝗿 𝗲𝘃𝗲𝗿𝘆 𝗺𝗼𝗺 𝘁𝗵𝗮𝘁 𝗵𝗮𝘀 𝗴𝗼𝗻𝗲 𝘁𝗵𝗿𝗼𝘂𝗴𝗵 𝘁𝗵𝗶𝘀 ! 𝗜𝘁’𝘀 𝗻𝗼𝘁 𝗼𝗸𝗮𝘆!!!💪. IT’S NOT OKAY to have to feel that your boss is making you pick your work over your kids during these times!!!𝗜𝘁’𝘀 𝗡𝗢𝗧 𝗢𝗞𝗔𝗬!!! #justice

Uma publicação compartilhada por Hi, I’m 𝗗𝗿𝗶𝘀| MODERN CALI MOM (@moderncalimom) em

+ sobre o tema

A arte no sangue de Júlia Dias

Filha do multiartista Maurício Tizumba, atriz mineira se prepara...

Luiza Bairros – Nossos Feminismos Revisitados

Certa vez em Salvador Bahia vi na televisão um...

Minha experiência em sala de aula: sobre padrões de beleza e solidariedade feminina

Recentemente, tenho me interessado mais em discussões sobre a...

para lembrar

8 de março: A marca lilás e as trabalhadoras

Independente das notícias sobre a greve das tecelãs em...

Negras Empoderadas: mulheres bem-sucedidas criam grupo para combater discriminação

Iniciativa da empresária dos Racionais MCs e da consulesa...

Leonardo Sakamoto: Meninos deveriam brincar de boneca e de casinha

Tenho dado bonecas de pano de presente para filhos...

Vamos falar de outras feminilidades: Se não sou uma mulher?

"Se não sou uma mulher" . Essa frase tem...
spot_imgspot_img

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...

1ª Parada Negra LGBT de BH acontece no próximo sábado (25/5)

No próximo sábado (25/5), data que marca o Dia da África, acontece em Belo Horizonte, a 1ª edição da Parada Negra LGBT. O evento acontece...
-+=