ONU Mulheres completa 10 anos e coloca direitos e vozes das mulheres no centro da agenda

Enviado por / FontePor Phumzile Mlambo-Ngcuka

A ONU Mulheres faz 10 anos hoje. Em 2 de julho de 2010, a Assembleia Geral aprovou uma resolução histórica para fundir quatro partes do Sistema das Nações Unidas por meio da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, conhecida como ONU Mulheres.

Uma década depois, quando comemoramos este aniversário em meio à pandemia da COVID-19, os direitos humanos de mulheres e meninas são mais proeminentes, universais e urgentes do que nunca. Nossos aliados fundadores – Estados-membros, sociedade civil e movimentos de mulheres – agora juntam a parcerias e relacionamentos em toda a sociedade, em diferentes faixas etárias e em todo o mundo.

Desde 2010, a equipe da ONU Mulheres, presente em cerca de 90 países, realiza programas que quase quadruplicaram de tamanho e representam uma mudança para bilhões das pessoas mais necessitadas.

Seja ensinando códigos de computador para meninas, mulheres agricultoras que usam novos estoques de sementes resistentes ao clima, pequenas empresas acessando cadeias de valor em larga escala, mulheres candidatas recebendo treinamento para se apresentarem com sucesso a cargos públicos, abolição de leis discriminatórias, negociadoras que oferecem um compromisso construtivo essencial às mesas de negociação de a paz ou prestação de assistência psicossocial a mulheres sobreviventes de violência; milhões de mulheres adquiriram novas habilidades, foram apoiadas nas adversidades e ganharam força e coragem ao aprender sobre seus direitos humanos. O nosso trabalho em apoio à reforma de leis discriminatórias teve um impacto na vida de mais de um bilhão de mulheres em 2019.

Juntas e juntos, trabalhamos para garantir que os direitos, prioridades e vozes das mulheres estejam no centro dos principais programas globais, desde a Conferência das Nações Unidas de 2012 sobre Desenvolvimento Sustentável, no Rio de Janeiro, até a reflexão das lutas das mulheres migrantes no Pacto Global para Migrações, incluindo a inserção das mulheres na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, cujo objetivo 5, em relação à conquista da igualdade de gênero e ao empoderamento de todas as mulheres e meninas, é um objetivo autônomo e serve de base para os 17 objetivos.

A Comissão das Nações Unidas sobre a Situação da Mulher, que desenvolve normas e padrões globais anualmente, trouxe à tona questões críticas, como a eliminação da violência contra a mulher. Agora, 155 países estabeleceram leis que penalizam a violência doméstica que afeta uma em cada três mulheres em suas vidas.

Agradecemos a todas as pessoas que nos acompanharam nesta viagem; àquelas que nos precederam nos movimentos de mulheres em cujos ombros nos ancoramos, e que foram incansáveis ao pedir que a igualdade de gênero tivesse seu devido lugar e que fosse criada a ONU Mulheres. Agradecemos àquelas que nos apoiam com recursos de todos os tipos, que trabalham conosco, andam conosco, conversam e twittam conosco.

No ponto de virada desta década, e como esperamos ansiosamente pela geração de igualdade e em direção a um futuro de múltiplos desafios, acreditamos que não faremos isso sozinhas e sozinhos. Sabemos que para mudar o mundo, todas e todos serão necessários.

Fique atenta e atento às atividades que a ONU Mulheres comemorará no próximo ano!

*Vice-secretária-geral das Nações Unidas e diretora-executiva da ONU Mulheres

+ sobre o tema

Secretária adjunta transexual de Porto Alegre se casa

Cerimônia aconteceu no Dia Nacional da Visibilidade Trans e...

Michelle Obama despede-se da Casa Branca com apelo pela tolerância

Cor da pele, riqueza... Nada disso realmente importa' Fonte: Brasil...

Homenagem a Lurdinha Rodrigues, Rosangela Rigo e Célia Scanfella em São Paulo

Venha participar da Sessão Solene na Câmara Municipal de...

Famílias pedem autorização para matar filhas e evitar estupro em Aleppo

Mulheres sírias estariam cometendo suicídio antes de invasão Do O...

para lembrar

“Pode ser que no futuro eu descubra que sou gay”, dispara Anderson Silva

Lutador falou ainda que tem muitos atletas que não...

Policiais civis humilham grávida em vídeo divulgado no Facebook

Caso aconteceu no início de setembro em São José...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...
-+=