terça-feira, novembro 24, 2020

    Tag: ONU Mulheres

    (stevanovicigor/Thinkstock/Getty Images)

    ONU Mulheres lança diretrizes para o atendimento de mulheres e meninas vítimas de violência

    No ano que marca os 14 anos da Lei Maria da Penha, a ONU Mulheres, em parceria com a União Europeia, lança as Diretrizes para atendimento em casos de violência de gênero contra meninas e mulheres em tempos da Pandemia da COVID-19. Este documento é um instrumento importante para orientar os fluxos de atendimentos remotos, para a maior proteção da vítima e fortalecimento das redes de acolhimento. Dever do Estado e da sociedade “A grande questão é saber o quanto o Estado brasileiro e a sociedade estão aliançados e comprometidos com esses 14 anos de uma lei que tem em seu preâmbulo o compromisso de prevenir, punir, erradicar toda e qualquer violência doméstica e familiar contra a mulher. A começar pela prevenção de forma efetiva, a análise que eu faço sobre a mesma durante esses 14 anos é que a sua trajetória tem sido oscilante e por isso mesmo tão ...

    Leia mais
    A live “Mulheres Lésbicas na Defesa dos Direitos Humanos” também fez parte das ações do mês de agosto da Campanha Livres & Iguais. Foto: ONU Mulheres

    ONU Mulheres apoia luta de lésbicas na defesa dos direitos humanos

    Em celebração ao Dia Nacional da Visibilidade Lésbica, 29 de agosto, o projeto Conectando Mulheres, Defendendo Direitos, uma iniciativa da ONU Mulheres Brasil apoiada pela União Europeia, recebeu na semana passada Iara Alves, da Associação Coturno de Vênus (DF), e Darlah Farias, do coletivo Sapato Preto (PA), para uma conversa ao vivo mediada por Monica Benicio, ativista LGBTI+ e feminista. A live “Mulheres Lésbicas na Defesa dos Direitos Humanos” também fez parte das ações do mês de agosto da Campanha Livres & Iguais, uma iniciativa liderada pelas Nações Unidas no Brasil, e abordou as desigualdades enfrentadas pelas mulheres lésbicas, sobretudo na pandemia da COVID-19, os desafios para a auto-organização e os caminhos possíveis para a transformação social. A abertura da atividade foi realizada por Anastasia Divinskaya, representante da ONU Mulheres no Brasil, e por Domenica Bumma, chefe da Seção Política, Econômica e de Informação da Delegação da União Europeia no Brasil. Em sua fala, ...

    Leia mais
    Phumzile Mlambo-Ngcuka, chefe da ONU Mulheres, em evento para celebrar o Dia Internacional das Mulheres em Nova Iorque. Foto: ONU Mulheres

    ONU Mulheres completa 10 anos e coloca direitos e vozes das mulheres no centro da agenda

    A ONU Mulheres faz 10 anos hoje. Em 2 de julho de 2010, a Assembleia Geral aprovou uma resolução histórica para fundir quatro partes do Sistema das Nações Unidas por meio da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, conhecida como ONU Mulheres. Uma década depois, quando comemoramos este aniversário em meio à pandemia da COVID-19, os direitos humanos de mulheres e meninas são mais proeminentes, universais e urgentes do que nunca. Nossos aliados fundadores – Estados-membros, sociedade civil e movimentos de mulheres – agora juntam a parcerias e relacionamentos em toda a sociedade, em diferentes faixas etárias e em todo o mundo. Desde 2010, a equipe da ONU Mulheres, presente em cerca de 90 países, realiza programas que quase quadruplicaram de tamanho e representam uma mudança para bilhões das pessoas mais necessitadas. Seja ensinando códigos de computador para meninas, mulheres agricultoras que usam ...

    Leia mais
    ONU Mulheres/Divulgação

    ONU Mulheres faz chamada de projetos para organizações de defensoras de direitos humanos em resposta à pandemia Covid-19

    De 2 a 21 de junho, chamada seguirá aberta para receber projetos de organizações lideradas por mulheres e voltadas à promoção dos direitos das mulheres com conhecimento especializado e experiência no trabalho com mulheres defensoras de direitos humanos. São estimuladas apresentações de vários grupos de mulheres, entre elas: mulheres negras, quilombolas, indígenas, lésbicas, bissexuais e transexuais, jovens, mulheres com deficiência, mães de vítimas da violência urbana, trabalhadoras rurais, extrativistas, ambientalistas, ativistas por direitos sexuais e reprodutivos, pelo enfrentamento à violência contra mulheres, pelos direitos das mulheres em situação carcerária, pelo direito à terra e à moradia, pelo direito à saúde mental, à participação política, professoras, advogadas, jornalistas, lideranças comunitárias e religiosas atuantes em periferias urbanas Documentação: Termo de Referência |  Anexo I | Anexo II | Formulário de Autodeclaração A ONU Mulheres Brasil torna pública, nesta terça-feira (2/6), a abertura da Chamada Nº 01/2020 – Chamada da ONU Mulheres Brasil para apoio financeiro a Organizações de Defensoras de ...

    Leia mais
    Karine Santana é docente de Saúde Coletiva, doutoranda em Medicina e Saúde na Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia e pesquisadora no Núcleo de Estudos e Pesquisa em Gênero, Raça e Saúde (NEGRAS). Foto: Acervo Pessoal

    Resposta à pandemia deve considerar condições de saúde da população negra, diz sanitarista

    Karine Santana é docente de Saúde Coletiva, doutoranda em Medicina e Saúde na Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia e pesquisadora no Núcleo de Estudos e Pesquisa em Gênero, Raça e Saúde (NEGRAS). Leia a entrevista na íntegra. A Organização Mundial de Saúde classificou o novo coronavírus COVID-19 como pandemia, em 11 de março, instaurando alerta internacional em favor da saúde coletiva para responder à possibilidade de colapso dos serviços de saúde por conta do contágio e à alta de letalidade decorrente da doença. Nove dias depois, em 20 de março, o Congresso brasileiro decretou estado de calamidade pública decorrente da pandemia. No início de abril, os primeiros dados passaram a revelar o impacto da pandemia entre a população negra. O Ministério da Saúde revelou, em 10 de abril, que brancos e brancas eram 73,9% entre as pessoas hospitalizadas com a COVID-19, mas 64,5% entre as mortas. Negras ...

    Leia mais
    Divulgação

    Prêmio ABCP-ONU Mulheres

    Estão abertas as inscrições para o Prêmio ABCP-ONU Mulheres de melhor artigo científico sobre Política e Gênero o prazo para envio de propostas vai de 6 de janeiro a 2 de março de 2020. No ABCP Divulgação/Imagem retirada do site ABCP Regulamento: 1. O prazo para inscrições vai de 6 de janeiro a 2 de março de 2020, 2. Poderão ser inscritos artigos acadêmicos sobre gênero e política, de caráter teórico ou empírico, 3. O artigo deve ter sido publicado em revista científica acadêmica nacional ou internacional nos anos de 2018 ou 2019, 4. A autora ou autor deve necessariamente ser filiada/o à ABCP e estar em dia com sua filiação no momento da inscrição, 5. O artigo pode ser em português, espanhol ou inglês, 6. O artigo deve ser enviado para o email [email protected], com o assunto “prêmio ABCP ONU Mulheres de melhor artigo científico”, ...

    Leia mais

    Aberto processo seletivo, até 23/10, para o cargo de Gerente de Projetos sobre o fim da violência contra as mulheres

    A ONU Mulheres Brasil anuncia processo seletivo para a contratação de Gerente de Projetos. A vaga é para trabalhar no escritório sediado em Brasília, com expectativa de início no dia 15 de novembro de 2019. A instituição busca profissional para contribuição no desenvolvimento, planejamento estratégico, implementação, assistência, construção de parcerias e monitoramento de projetos e programas que objetivam o fim da violência contra as mulheres. Da ONU Mulheres Brasil  (Foto: Imagem retirada do site ONU Mulheres Brasil )   São requisitos obrigatórios para concorrer à vaga: fluência em Português e Inglês; conhecimento básico em Espanhol; mestrado ou graduação equivalente em Economia, Administração Pública ou áreas correlatas; experiência de no mínimo seis anos em formulação, implementação, monitoramento e análise de desenvolvimento de programas a projetos em nível nacional ou internacional. São requisitos desejáveis: experiência na área de igualdade de gênero, direitos humanos das mulheres e/ou fim da ...

    Leia mais

    Mulheres negras destacam papel dos objetivos globais na eliminação do racismo

    As mulheres negras são 55,6 milhões de pessoas no Brasil. Representam 25% da população e compõem um dos grupos mais vulneráveis ao racismo, machismo e outras formas de discriminação. Os efeitos dessas desigualdades impedem que elas vivenciem direitos em todo o ciclo de vida, porque não acessam ou acessam pouco as oportunidades de desenvolvimento econômico, social e ambiental oferecidos à população brasileira. Da ONU Mulheres  Reconhecendo as mulheres negras como sujeitas de direitos e sujeitas políticas, a ONU Mulheres Brasil desenvolve, desde março de 2017, a estratégia de comunicação e advocacy Mulheres Negras Rumo a Um Planeta 50-50 em 2030 em parceria com organizações e entidades nacionais do movimento de mulheres negras para resposta às demandas da Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo e a Violência e pelo Bem Viver, ocorrida no ano de 2015. Comitê Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030 ...

    Leia mais
    Em Morris, nos Estados Unidos, manifestantes defendem direitos das mulheres e dos migrantes. No cartaz à esquerda, lê-se “Direitos das mulheres são direitos humanos”. No cartaz à direita, “Todos são bem-vindos”. Foto: Flickr (CC)/Nic McPhee

    ONU alerta para avanço de discursos que desprezam mulheres e minorias

    No mês em que o mundo comemora o Dia Internacional dos Direitos Humanos, 10 de dezembro, a chefe da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, alertou para o surgimento de uma nova ordem mundial, que neutraliza as opiniões contrárias e se alimenta do desprezo pelas mulheres e minorias. Da ONU Em Morris, nos Estados Unidos, manifestantes defendem direitos das mulheres e dos migrantes. No cartaz à esquerda, lê-se “Direitos das mulheres são direitos humanos”. No cartaz à direita, “Todos são bem-vindos”. Foto: Flickr (CC)/Nic McPhee Segundo a dirigente, esses discursos e posicionamentos veem os refugiados, migrantes, os povos indígenas e outros grupos como “a desordem”, como se fossem elementos menos valiosos da sociedade. No mês em que o mundo comemora o Dia Internacional dos Direitos Humanos, 10 de dezembro, a chefe da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, alertou para o avanço de discursos e posicionamentos que ameaçam essas garantias fundamentais. Dirigente ...

    Leia mais
    Danai Gurira em visita à Assembleia Geral da ONU para as comemorações do Dia Internacional da Mulher, em março de 2018. Foto- ONU Mulheres:Ryan Brown

    Danai Gurira, estrela de ‘Pantera Negra’ é nomeada embaixadora da ONU Mulheres

    A atriz e dramaturga Danai Gurira, conhecida por interpretar a personagem General Okoye nos filmes “Pantera Negra” e “Vingadores: Guerra Infinita”, foi nomeada no domingo (2) embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres. A artista vai dar apoio e visibilidade ao trabalho das Nações Unidas em prol da igualdade entre homens e mulheres. no Nações Unidas Danai Gurira em visita à Assembleia Geral da ONU para as comemorações do Dia Internacional da Mulher, em março de 2018. Foto- ONU Mulheres:Ryan Brown A atriz e dramaturga Danai Gurira, conhecida por interpretar a personagem General Okoye nos filmes “Pantera Negra” e “Vingadores: Guerra Infinita”, foi nomeada no domingo (2) embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres. A artista vai dar apoio e visibilidade ao trabalho das Nações Unidas em prol da igualdade entre homens e mulheres. Gurira recebeu o título honorário da Organização durante o Festival Global Citizen ...

    Leia mais
    arquivo pessoal

    “O racismo estrutural opera dentro da USP”

    A Universidade de São Paulo (USP), a maior universidade pública da América Latina, é racista e elitista, segundo a Pesquisa Interações na USP, realizada pelo Escritório USP Mulheres e coordenada pelo professor Gustavo Venturi, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. O professor Gustavo Venturi, o entrevistado dessa semana da coluna GeledésnoDebate, vai além ao afirmar que os sentimentos declarados pelos alunos da USP demonstram que o racismo estrutural atua também no ambiente universitário. Marcos Santos A pesquisa, divulgada no dia 25 de junho, ocorreu com a participação da Rede Não Cala da USP, além dos coletivos feministas, negros, indígenas e LGBT e dentro do programa Impacto 10x10x10 do movimento #HeForShe da ONU Mulheres. Geledés - Como surgiu a ideia de fazer esse estudo e qual dinâmica adotada? Em 2013, fui procurado por alguns alunos que militavam em coletivos feministas e LGBT, ...

    Leia mais

    ONU Mulheres critica violência de gênero na Copa 2018

    ONU Mulheres emitiu nesta sexta-feira (22) uma nota pública sobre a violência de gênero durante a Copa do Mundo 2018, considerando “inaceitável a intenção deliberada de alguns torcedores brasileiros de assediar sexualmente mulheres” durante o evento esportivo. Do  PortalR3 “É inaceitável a intenção deliberada de alguns torcedores brasileiros de assediar sexualmente mulheres durante a Copa do Mundo”, diz o início da nota divulgada pela ONU Mulheres. (Foto: EBC) “Ao fazê-lo, violentaram as mulheres do mundo inteiro. Com palavras de baixo calão, eles reduziram as mulheres a objetos sexuais na demonstração de como a misoginia que, inclusive fundamenta a cultura do estupro, assume diferentes formas e não tem fronteiras, ocorrendo num evento que se propõe a promover a integração dos povos e os sentimentos de união pelo esporte”, afirmou a nota assinada pela representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman. Leia a nota completa: É inaceitável a intenção deliberada de alguns torcedores ...

    Leia mais

    Profissionais negras demandam mais políticas afirmativas no mercado corporativo brasileiro

    As empresas brasileiras e multinacionais com atuação no Brasil começaram a discutir o tema da diversidade de forma mais intensa nos últimos anos, mas falta adotarem políticas e métricas efetivas para aumentar a participação de profissionais negros, ainda extremamente baixa, especialmente nos cargos de liderança. A situação das mulheres negras é ainda mais preocupante. A avaliação é de quatro profissionais negras e um negro ouvidos pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), segundo os quais o racismo permanece no mercado corporativo brasileiro, onde menos de 5% dos executivos são afrodescendentes, segundo dados do Instituto Ethos. Quando se fala de mulher negra, o percentual é de apenas 0,4%. As empresas brasileiras e multinacionais com atuação no Brasil começaram a discutir o tema da diversidade de forma mais intensa nos últimos anos, mas falta adotarem políticas e métricas efetivas para aumentar a participação de profissionais negros, ainda ...

    Leia mais
    Coletivo Madalena Anastácia PE

    O que ela fez?” Nasceu mulher e negra

    O Feminicídio é um problema de todxs. Compartilhar este vídeo é um ato de gentileza e solidariedade. Esse tipo de pergunta é feita enquanto os dados do Feminicídio no Brasil nos deixa em estado de alerta. Por dia são 13 feminicídios, sendo 8 assassinatos de mulheres negras e 50% dessas mortes causadas pelos próprios parceiros das vítimas. São assassinatos justificados pela mídia como crime passional e, muitas vezes, tratados dentro dos parâmetros da normalidade. enviado pelo Coletivo Madalena Anastácia PE para PortalGeledés O Coletivo Madalena Anastácia PE quer discutir as raízes do Feminicídio através do Teatro Fórum e esse vídeo foi construído a partir das técnicas de Teatro Imagem, para contribuir com o debate sobre estes dados que nos custam a vida. O espetáculo "O que ela fez?", que discute o Feminicídio de mulheres negras, será apresentado no Fórum Social Mundial em Salvador (13 à 17/03/18), e em diversas comunidades em ...

    Leia mais

    Nota pública da ONU Mulheres em solidariedade à Kenia Maria, defensora dos Direitos das Mulheres Negras, e à atriz Gabriela Dias e contra a violência de gênero e o racismo

    A ONU Mulheres Brasil se solidariza com Kenia Maria, defensora dos Direitos das Mulheres da entidade, e Gabriela Dias, atriz e filha da defensora, as quais foram alvo de violência de gênero e racismo na quarta-feira (28/2), no Rio de Janeiro, por ação de turista. Da ONU Foto: Lucas Gabriel São inaceitáveis os ataques dirigidos à Kenia Maria e Gabriela Dias, os quais evidenciam, às vésperas do Dia Internacional das Mulheres, os tipos de violência sexista e racista a que as afro-brasileiras estão expostas. O racismo e o machismo são veementemente repudiados pela ONU Mulheres, sendo alvo do trabalho cotidiano da organização para transformações estruturais voltadas à eliminação de tais práticas. Como defensora da ONU Mulheres Brasil, Kenia Maria atua sistematicamente para a conscientização pública sobre a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres. Durante o carnaval 2018, Kenia apoiou campanhas contra o assédio. A ...

    Leia mais

    Defensora da ONU Mulheres denuncia racismo e machismo nas empresas brasileiras

    A Defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres Brasil, Kenia Maria, participou de bate-papo promovido pela agência da ONU e pelo Google no início de setembro (14) em São Paulo. O objetivo foi destacar a atuação dos homens para a equidade de gênero, o empoderamento das mulheres e o fim do racismo nas empresas. Da ONU Brasil Mesmo sendo 51,9% da população economicamente ativa do país, os negros e negras representam apenas 25,9% das pessoas nos cargos de supervisão das empresas, 6,3% dos cargos de gerência, 4,7% do quadro executivo e 4,9% dos membros de conselhos de administração. As mulheres negras representam apenas 0,4% das executivas nas 500 maiores empresas do país. A Defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres Brasil, Kenia Maria, participou de bate-papo promovido pela agência da ONU e pelo Google no início de setembro (14) em São Paulo. O objetivo foi destacar a ...

    Leia mais

    Em entrevista à ONU Mulheres, líderes quilombolas falam sobre supressão de direitos e resistência

    Como parte da estratégia “Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030”, a ONU Mulheres entrevistou as líderes quilombolas Célia Cristina da Silva Pinto e Maria Rosalina dos Santos, , da Coordenação Nacional de Comunidades Quilombolas (CONAQ). Da ONU Maria Rosalina dos Santos (esquerda) e Célia Pinto, da Coordenação Nacional de Comunidades Quilombolas (CONAQ). Foto: ONU Mulheres Segundo elas, as mulheres quilombolas estão cada vez mais expostas a variadas formas de violência, são mais afetadas por conflitos territoriais, empreendimentos desenvolvimentistas e pela supressão de direitos. No entanto, mesmo nesse cenário, essas comunidades resistem, afirmaram. Leia a entrevista. As mulheres quilombolas estão expostas a variadas formas de violência, são mais afetadas por conflitos territoriais, empreendimentos desenvolvimentistas e pela supressão de direitos, o que compromete significativamente seu desenvolvimento social e econômico. Mesmo nesse cenário adverso, essas comunidades resistem. Como parte da estratégia “Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030”, a ...

    Leia mais
    Foto: Sergio Zalis/Globo

    Taís Araújo recebe título de defensora de Direitos das Mulheres Negras

    No posto, a atriz terá a missão de apoiar iniciativas da organização no combate ao preconceito no Noticia aos Minutos Conhecida por levantar a bandeira da luta contra o racismo e por dar voz a mensagens de cunho político em geral, a atriz Taís Araújo vai receber da ONU Mulheres Brasil o título de defensora dos Direitos das Mulheres Negras. s redes sociais são o espaço primordial para as causas que Taís Araújo defende. Com 4,3 milhões de seguidores no Instagram e a descrição “a pessoa sai do Méier, mas o Méier não sai da pessoa” (a atriz nasceu na Zona Norte, mas foi criada na Zona Oeste), ela gosta de fazer jus ao nome escolhido para a conta: @taisdeverdade. Recentemente, por conta do dia 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBT, ela fez um post com "textão", conclamando seus seguidores a terem "orgulho do que são". "Quando falamos sobre orgulho, estamos ...

    Leia mais

    ONU Mulheres seleciona, até 11/6, jornalista com conhecimento em gênero, raça e etnia

    Profissional será responsável pelo refinamento, articulação de parcerias e execução da estratégia “Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030” Da Onu Mulheres  Acesso rápido: termo de referência   A ONU Mulheres Brasil seleciona jornalista diplomada ou diplomado, com conhecimento sólido e experiência de trabalho nos temas de gênero, raça e etnia. A pessoa selecionada será responsável pelo refinamento, articulação de parcerias e execução da estratégia “Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030”. A execução inclui a produção de textos (press releases, matérias e entrevistas), supervisão do trabalho de design gráfico, gestão de conteúdos online e offline, apoio na gestão de conteúdos para website e redes sociais e gestão de projetos de comunicação, incluindo vídeos e materiais impressos. O perfil deve ter domínio da legislação nacional e internacional no que se refere aos direitos das mulheres negras. São requisitos obrigatórios: ensino superior completo em Jornalismo; experiência profissional ...

    Leia mais

    “Reclamar do politicamente correto é desculpa de quem continua propagando injustiças”, diz representante da ONU Mulheres

    Em entrevista à Marie Claire, a carioca Kenia Maria, de 41 anos, nomeada a primeira Defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres, fala sobre o racismo e o machismo que fazem milhões de vítimas em nosso país   POR DANIELA CARASCO, do Marie Claire   Kenia Maria foi nomeada a primeira Defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres (Foto: Serendipity) Atriz, escritora, YouTuber, mãe de santo, militante feminista... A lista de predicados associados a Kenia Maria, 41, é longa e acaba de ganhar mais um importante título. A carioca de Del Castilho, subúrbio do Rio de Janeiro, foi nomeada pela ONU Mulheres do Brasil a primeira Defensora dos Direitos das Mulheres Negras, no mundo. “O nosso pedido é muito simples: que a sociedade nos trate como humanas”, disse em seu primeiro pronunciamento como defensora. Criada em uma família liderada por mulheres empoderadas, ela começou sua militância muito ...

    Leia mais
    Página 1 de 3 1 2 3

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist