Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

Enviado por / FonteAgência Patrícia Galvão

Obra resultado do projeto idealizado e desenvolvido pelo Consórcio Lei Maria da Penha, em parceria com a organização Tamo Juntas, será lançada no próximo 14 de junho

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres no Brasil é apontado de forma inédita em uma publicação que será lançada no dia 14 de junho, às 10h.

“A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”, publicado pela editora da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto da USP é uma obra idealizada e desenvolvida pelo Consórcio Lei Maria da Penha, em parceria com a organização Tamo Juntas, através do projeto “Conectando Mulheres, Defendendo Direitos”, apoiado pela ONU Mulheres. As inscrições para o evento online de lançamento são gratuitas e devem ser feitas pelo link bit.ly/evento-livro-lei-integral. O livro pode ser acessado em bit.ly/lei-integral-protecao.

A iniciativa que deu origem ao livro contou com a participação de mais de 40 organizações de mulheres contempladas em sua diversidade, contribuindo para que o projeto tenha amplitude e robustez para a apresentação de proposta que dê conta da complexidade da violência de gênero contra todas as mulheres. Segundo as coordenadoras do projeto, a integralidade da lei geral amplia o acesso à justiça, retirando da invisibilidade tantas formas de violência de gênero consolidadas em normas sociais discriminatórias que precisam de maneira urgente serem superadas.

Ao longo de 148 páginas, Fabiana Cristina Severi, José de Jesus Filho, Leila Linhares Barsted, Myllena Calasans de Matos e Wânia Pasinato apresentam importantes levantamentos e análises dos instrumentos normativos internacionais, propostas legislativas, legislação e decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ) sobre a proteção dos direitos das mulheres, consolidando premissas jurídicas e compromissos globais como fundamentos para a criação de uma lei geral e integral.

A obra traz ainda exemplos de leis gerais aprovadas em outros países, construindo um continente comum de referências e experiências exitosas no campo. “O livro é o resultado das pesquisas de suas integrantes e reflexões das organizações feministas parceiras visando a construção dialógica de um anteprojeto de lei geral de enfrentamento à violência de gênero contra as mulheres”, explica a coordenadora do volume, Myllena Calasans de Matos, advogada feminista e integrante do Consórcio Lei Maria da Penha e coordenadora do livro.

Na percepção da representante Interina da ONU Mulheres Brasil, Ana Carolina Querino, a obra prepara o terreno para o advocacy em torno de uma lei geral para reconhecer e responder a todas as formas de violência de gênero, atendendo às recomendações feitas ao Estado brasileiro pelo Comitê de Peritas (CEVI) do Mecanismo de Monitoramento da Convenção de Belém do Pará (MESECVI) da Organização dos Estados Americanos (OEA). “O livro representa, ainda, uma contribuição fundamental ao debate no contexto da celebração dos 30 anos da Convenção de Belém do Pará”, afirma.

Saiba mais sobre o lançamento:

O que: Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”
Quando: 14/06, das 10h às 12h, online
Inscrições gratuitas: bit.ly/evento-livro-lei-integral
Acesse o livro: https: bit.ly/lei-integral-protecao

Sobre o projeto:

O projeto “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero” tem por objetivo principal elaborar subsídios para responder à questão de o Brasil possuir uma legislação voltada para a “proteção integral” das mulheres, incluindo as defensoras de direitos humanos, em que haja previsão, sobretudo, de medidas de prevenção, assistência, acesso à justiça e reparação adequadas a enfrentar as várias formas de violência de gênero contra as mulheres. A execução do projeto é do Consórcio Lei Maria da Penha e Tamo Juntas – Assessoria Multidisciplinar Gratuita para Mulheres em Situação de Violência.

Inscreva-se já!

+ sobre o tema

O pior conselho de carreira que Lupita Nyong’o recebeu após ganhar um Oscar

Após vencer o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante pelo papel em 12...

NASA batiza órgão em homenagem à pioneira matemática Katherine Johnson

Responsável pela segurança de dados e softwares das missões...

Mulheres nas ruas, sem medo, contra o racismo e a violência

#AgoraÉQueSãoElas- No triste dia em que se divulga o Mapa...

para lembrar

Projeto ajuda alunos a valorizar papel da mulher e evitar exposição na internet

No Centro de Ensino Fundamental 12 em Ceilândia, no...

Honoris causa a Sueli Carneiro e o desafio de superar a excepcionalidade

A filósofa e ativista Sueli Carneiro é a primeira...

Congelar óvulos para adiar a gravidez traz riscos

O congelamento de óvulos vem sendo colocado como alternativa...

Prioridade é incluir mulheres no mercado de trabalho, diz ministra

Mulheres são só 19% dos postos de direção em...
spot_imgspot_img

Justiça nega aborto legal de adolescente de 13 anos após seu pai pedir manutenção da gravidez

Uma adolescente de 13 anos que vive em Goiás teve o aborto legal negado pelo TJ-GO (Tribunal de Justiça de Goiás), após o pai da jovem...

CNJ pede explicações a juízas sobre decisões que negaram aborto legal

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu nesta sexta-feira (12) intimar duas magistradas do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) a prestarem esclarecimentos sobre...

Instituto Mãe Hilda anuncia o lançamento do livro sobre a vida de matriarca do Ilê Aiyê

O livro sobre a vida da Ialorixá Hilda Jitolu, matriarca do primeiro bloco afro do Brasil, o Ilê Aiyê, e fundadora do terreiro Acé...
-+=