Mãe Stella: “O tempo leva o que não se escreve”

A cadeira nº 33 da Academia de Letras da Bahia (ALB), cujo patrono é Castro Alves, passa a partir de agora a ser ocupada por uma nobre personalidade, Maria Stella de Azevedo Santos, a mãe Stella de Oxóssi, ialorixá do terreiro Ilê Axé Opô Afonjá. Enfermeira de formação, é autora de cinco livros que tratam da herança cultural africana e sua interpretação. Por seu trabalho, ganhou o prêmio jornalístico Estadão em 2001, recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb), em 2009, e da Universidade Federal da Bahia, em 2005. Foi agraciada com a Comenda Maria Quitéria (Prefeitura de Salvador), Ordem do Cavaleiro (Governo da Bahia) e Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura.

Marjorie Moura – O candomblé é conhecido pela oralidade, pela transmissão dos conhecimentos de forma oral.  A senhora rompeu esta tradição ao escrever sobre a tradição africana. Como se sente diante deste reconhecimento com sua eleição para a ALB?

Mãe Stella – Vejo tudo isso como uma evolução, uma grande evolução. O povo vai crescendo, se conscientizando  sobre a verdade de nossa cultura e chegamos aqui. Os praticantes da religião do candomblé eram vistos como analfabetos pela sociedade porque falavam outra língua e vinham de um novo mundo. O destino da escravidão nos trouxe ao Brasil e nossa cultura e tradição vieram junto e sobreviveram a tudo. Hoje isso é reconhecido na academia como um legado que não pode ser dissociado da cultura brasileira.

Marjorie Moura – Inclusive até palavras desta língua que era desconhecida fazem parte hoje de nosso vocabulário…

Mãe Stella – É claro, assim como as palavras indígenas também foram incorporadas ao nosso dia a dia. Assim com tem gente que fala palavras estrangeiras. A cultura é assim, cheia de influências que vêm de todos os lados.

Marjorie Moura – O fato de a senhora ter sido escolhida para ocupar a cadeira cujo patrono é Castro Alves e que teve como último ocupante o professor Ubiratan Castro tem um significado especial?

Mãe Stella – Nada poderia ser mais especial. Castro Alves tem uma poesia vigorosa e foi uma das primeiras vozes no Brasil a se levantar contra a escravidão. A força dos versos de “Navio Negreiro” calou fundo na sociedade brasileira ao reconhecer nos escravos africanos pessoas iguais a qualquer outra. Depois, a contribuição do professor Ubiratan  Castro para a preservação de nossa cultura. Diante disso, ninguém nunca pensaria que uma mãe de santo poderia chega a ocupar este posto. Isso mudou pela nossa luta, mas também por meus livros, porque o que a gente não escreve o tempo leva.

Marjorie Moura – Seus títulos lhe levaram a esta eleição?

Mãe Stella – Com certeza, mas os títulos, e foram muitos, são muito justos e resultado de muito trabalho. A gente se entregou muito, se empenhou muito para chegar até aqui.

Marjorie Moura – Tem gente sonhando com cânticos de suas filhas de santo e toques de atabaques em sua posse. Falaram até que Jorge Amado ficaria feliz em assistir. Ela já foi marcada?

Mãe Stella – A posse vai depender da academia e ainda não foi marcada porque estas cerimônias têm seu ritmo próprio e não sei como vai ser a organização. Mas é certo que o evento pode ter algum toque da religião africana porque ela é muito forte e vai agradar a muita gente, não é? (risos).

 Fonte: A Tarde

+ sobre o tema

Jornalista Joice Hasselmann, ofende e discrimina social e racialmente senadora negra dentro do senado Brasileiro

Por Mônica Aguiar Do Monicaa Guiarsouza Não existe palavras para responder...

Escurecendo memórias, alargando sorrisos em meio à questionamentos

Abrir a caixinha de fotos é sempre um momento...

I Seminário Nacional de Mulheres Pretas e Seus Saberes Periféricos, Acadêmicos e Artísticos

Com a participação de Mônica Francisco - Deputada, Yalorixá Márcia Marçal, Helena...

Em defesa das Mulheres e da Lei Maria da Penha!

As Mulheres da Ruta Pacifica da Colômbia por muito...

para lembrar

Michelle Obama afirma que já foi tratada de forma diferente por ser negra

A primeira-dama falou de sua experiência ao ser discriminada...

SUS e Saúde Suplementar vão registrar casos de agressão por homofobia

Ficha de notificação de casos de violência passa a...

Colômbia deixa aliança antiaborto e amplia isolamento de Bolsonaro na América Latina

O governo do recém-empossado presidente Gustavo Petro na Colômbia anunciou na...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Moraes libera denúncia do caso Marielle para julgamento no STF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta terça-feira (11) para julgamento a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra...
-+=