Marido batia na mulher e a obrigava a se vestir de homem em Rondônia, diz polícia

Uma mulher apanhava do marido, era mantida em cárcere privado e ainda era obrigada a se vestir de homem no Vale do Paraíso, interior de Rondônia, segundo informações da Polícia Civil da região. O casal tinha três filhos pequenos que também eram agredidos. Rutileia Flauzino de Oliveira, de 31 anos, disse à polícia que o marido batia nela e nas crianças — dois gêmeos de um ano e outro menino de dois — com fios de eletricidade e até com uma chave de fenda.

Por:Márcia Francês

Desesperada, ela procurou a delegacia de Ouro Preto do Oeste na última sexta-feira (5), como conta o delegado Roberto dos Santos da Silva, responsável pelo caso.

— Ela estava em pânico quando chegou aqui informando que tinha conseguido fugir de casa.

Segundo a vítima, ela e o marido, o aposentado Agripino Rodrigues de Oliveira, de 53 anos, estão casados há sete anos. Rutileia disse ainda que era constantemente agredida e quase não podia sair de casa. Ao delegado, a vítima disse que apanhava por motivos fúteis.

— Ela disse que, por qualquer motivo fútil, ele ficava com raiva dela. Se o almoço não estava feito do jeito que ele queria e ele acabava a lesionando.

Antes de ir à delegacia, ela tirou fotos das próprias costas com um celular. As imagens mostram vários arranhões e até mordidas que teriam sido causados pelo marido.

De acordo com o delegado, Rutileia disse que ela era obrigada a se vestir de homem.

— Ela disse que era para que as pessoas não olhassem para ela, por questões de ciúmes.

Rutileia era proibida de falar até com os vizinhos e, nas poucas vezes que saía de casa, era acompanhada pelo marido.

A vítima e os filhos foram levados para a casa de parentes. A Polícia Civil solicitou medidas protetivas para ela baseadas na Lei Maria da Penha, como impedir que Oliveira chegue a menos de 200 metros da mulher. O caso foi registrado como lesão corporal/violência doméstica. O agressor não foi encontrado para prestar esclarecimentos. Como não houve flagrante, ele deve responder em liberdade pelo crime.

Fonte: R7

 

+ sobre o tema

“O sexismo limita as crianças”, diz psicólogo e autor de livros sobre gênero

Steve Biddulph escreveu as obras "Criando Meninos" e "Criando...

Apenas 3 estados do Brasil orientam escolas a terem disciplinas sobre educação sexual

Fevereiro está sendo marcado pelo lançamento do “Plano Nacional de...

Trabalhando com a noção de interseccionalidades

O debate sobre a noção de interseccionalidades vem sendo...

Ministra Luíza Bairros é homenageada durante Afro XXI

Horas antes de receber a Medalha Zumbi dos Palmares...

para lembrar

“Desejo a todas inimigas vida longa”: as funkeiras e o recalque – Por: Bárbara Araújo

Quero começar esse texto dizendo que estou bem longe...

Anacronismos de Mainha – Por Ísis Carvalho

"- você está louca! Vou te internar. Quem te pariu...

Mulheres Digitais (4ª edição) – O poder feminino no mercado digital

No próximo dia 1 de abril, sábado, o Teatro...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=