MEC fecha 2.500 vagas em cursos mal avaliados

Corte atingirá 78 cursos de várias áreas cuja nota foi confirmada em visitas às escolas

Ministério decide também suspender o vestibular para 5 cursos de 4 instituições, como forma de “estabelecer consequências” às escolas

 

Fonte: Folha Online

O Ministério da Educação decidiu fechar cerca de 2.500 vagas em cursos de graduação que apresentaram má qualidade em avaliações anteriores -ontem, o MEC divulgou os resultados de 2008 (veja quadro ao lado), mas não definiu as punições que serão aplicadas aos que tiveram resultados ruins. A medida será mais drástica em relação a outros cinco cursos, cujo vestibular será suspenso.

O anúncio se dá na mesma semana em que o Inep (órgão do MEC para avaliações) constatou que 737 mil universitários cursam escolas ruins. O corte de vagas vai atingir 78 cursos que apresentaram desempenho insatisfatório e cuja nota baixa foi confirmada por técnicos em visitas às instituições. Todos tiveram conceito de curso 1 e 2 (a escala vai de 1 a 5) e terão redução de 30% das vagas oferecidas.

Para a secretária de Educação Superior, Maria Paula Dallari Bucci, os cortes são necessários para evitar que “más práticas” proliferem em algumas instituições de ensino. “É uma política de estabelecer consequências às avaliações. Toda a lógica do trabalho é atribuir consequências onde há deficiências”, afirmou. De acordo com o MEC, as medidas estarão publicadas hoje, no “Diário Oficial” da União. A redução de vagas atingiu cursos oferecidos por instituições de ensino como as universidades Estácio de Sá e Gama Filho, ambas no Rio de Janeiro.

Na Estácio de Sá, a redução de vagas será de 52 vagas em dois cursos de fisioterapia. Em um outro, na prática, não haverá corte de vaga. A regra do MEC diz que as vagas seriam reduzidas até o limite de 40, mas um dos curso de fisioterapia já funciona com 36 alunos. Na Gama Filho, na graduação de enfermagem e de farmácia 169 vagas serão cortadas.

Em São Paulo, a Uniban também terá 29 vagas a menos nos cursos de enfermagem (em São Bernardo do Campo) e fisioterapia (em Osasco).

 

As universidades Gama Filho, Estácio de Sá e Uniban disseram desconhecer qualquer determinação do MEC sobre redução do número de vagas.
Quatro instituições terão de suspender o vestibular para um total de cinco cursos e, em todos os casos, não poderão sequer receber transferências de alunos vindos de outras instituições de ensino superior. O Centro Regional Universitário do Espírito Santo do Pinhal (SP) também sofreu restrição para educação física. As faculdades e universidades que tiveram resultado insatisfatório em 2008 também sofrerão medidas. As instituições que tiveram IGC (Índice Geral de Cursos) 1 ou 2 terão os pedidos de abertura de novos cursos arquivados pelo MEC.

 

+ sobre o tema

ProUni 2011: Inscrições Começam em 19/01

As inscrições para o Prouni 2011 – Programa...

Bolsistas do ProUni dizem ser vítimas de preconceito

Luísa Ferreira Estudante da PUC-SP diz ter sido chamada...

Curso aborda história e culturas africanas e afro-brasileira: 80 vagas

Danilo OliveiraNúcleo de JornalismoAssessoria de Comunicação ...

Filhos recebem estímulo em casa para estudar mais

Quando pisou pela primeira vez na universidade, nem ela...

para lembrar

Faculdades promovem mudanças por Copa e Olimpíadas

Anderson Dezan, iG Rio, e Marina Morena Costa, iG...

MEC pode aplicar outro Enem aos alunos prejudicados

O Ministério da Educação (MEC) poderá aplicar outro Exame...

Enem: resultados sairão nesta sexta-feira

  Os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)...

MEC anuncia piso de R$ 1,1 mil para professores

Por: Demétrio Weber BRASÍLIA - O Ministério da...
spot_imgspot_img

Estudo mostra que escolas com mais alunos negros têm piores estruturas

As escolas públicas de educação básica com alunos majoritariamente negros têm piores infraestruturas de ensino comparadas a unidades educacionais com maioria de estudantes brancos....

Educação antirracista é fundamental

A inclusão da história e da cultura afro-brasileira nos currículos das escolas públicas e privadas do país é obrigatória (Lei 10.639) há 21 anos. Uma...

Faculdade de Educação da UFRJ tem primeira mulher negra como diretora

Neste ano, a Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem a primeira mulher negra como diretora. A professora Ana...
-+=