Médica alerta para estupro de meninas silenciado por familiares

Especialista do Ministério da Saúde alerta que falta integração para combater os casos de violência

Do USP

Dados apresentados no evento Violência Sexual na Adolescência e Políticas Públicas no Brasil, da Faculdade de Saúde Pública da USP, apontam que o Departamento de Doenças Crônicas e Promoção da Saúde do Ministério da Saúde recebe, por ano, cerca de 50 mil denúncias de estupro de meninas entre 10 e 19 anos de idade. Dessas, 65% têm até 14 anos e os abusos acontecem dentro do núcleo familiar. O alerta é da diretora do órgão, Maria de Fátima Marinho. As informações partiram dos postos de saúde de todo o País.

A médica afirma que, de 2011 a 2015, 4.300 adolescentes tiveram um filho como resultado de estupro. Segundo ela, há resistência das famílias em denunciar os casos. Assim, a menina fica desprotegida e aparece nas unidades de saúde já grávida, num estágio sem quaisquer possibilidades de fazer alguma interrupção.

Manifestação na Avenida Paulista contra o estupro – Foto: Paulo Pinto/AGPT via Fotos Públicas

Maria de Fátima alerta que falta integração entre as instituições públicas para diminuir os casos. Segundo ela, o Ministério da Saúde alerta as promotorias e as Varas da Infância e da Juventude, mas o número de casos de gestações resultantes de estupros continua alto. A médica conta que deveria existir uma rede de proteção para retirar jovens da situação de violência por meio da interferência policial junto a uma assistente social. No entanto, ela explica que as equipes médicas notificam as autoridades sobre os casos de estupro e, posteriormente, lhes resta apenas fazer o parto da menina.

A médica aponta, ainda, que o preconceito com os casos gera menor oferta do serviço de aborto legal. Assim, muitas têm como única opção ser obrigadas a ter o filho.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

+ sobre o tema

Nota pública: Contra a segregação por gênero nas escolas

A Articulação contra o Ultraconservadorismo na Educação manifesta espanto...

Paranaense Enedina Alves Marques marca a história como a primeira engenheira negra do Brasil

Filha de um lavrador e uma empregada doméstica, Enedina...

Documentário ‘Damas do Samba’ mostra como a mulher conquistou seu espaço

Filme reúne ícones da música, como Dona Ivone Lara,...

O machismo e o preconceito cultural mataram Amanda Bueno

Mesmo após ter sido assassinada, dançarina de funk foi...

para lembrar

Sobre transexualidade, feminismo interseccional e sororidade

“Não se nasce mulher, torna-se.” Zaíra Pires para o Blogueiras Negras Creio que...

Zileide Silva é a +Admirada Jornalista Negra de 2023

Em clima de muita festa, descontração e alegria, foram...

Mães, pais e “pães” do mundo, sejamos feministas!

Cena 1 Por Patrícia Maeda Do Justificando Casal feliz aguarda a chegada...

O significado da cor

Vera Baroni, 70 anos, redescobriu-se como mulher negra feminista...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=