Médico americano afugenta eleitores de Barack Obama

Urologista da pequena Mount Dora, na Flórida, é contra reforma da saúde dos EUA

Um médico urologista da pequena cidade americana de Mount Dora, na Flórida, ganhou atenção nacional por causa do inusitado cartaz colado na porta de seu consultório. O pequeno papel alaranjado na porta de vidro diz: “Se você votou em Obama, procure cuidados urológicos em outro lugar. As mudanças no seu atendimento de saúde começam agora, não daqui a quatro anos”. A notícia é do jornal local Daily Commercial.

Jack Cassell, de 56 anos, é obviamente contra a reforma da saúde aprovada pelo presidente dos EUA, Barack Obama, no mês passado. Entre outras medidas, a nova lei estabelece que todo americano deve ter seguro de saúde. Aqueles que não conseguirem pagar por uma cobertura médica devem receber um subsídio governamental para fazê-lo. Críticos da reforma dizem que ela vai aumentar os gastos e diminuir a qualidade do atendimento.

Cassell, que segundo o Daily Commercial tem um consultório repleto de “materiais republicanos”, afirmou que não está se recusando a atender pacientes, porque isso seria antiético. O urologista diz, no entanto, que se as pessoas decidirem não ir a seu consultório por causa do cartaz, tudo bem.

Segundo o jornal, os 10 mil habitantes de Mount Dora são conhecidos por suas posições políticas conservadoras. Cassell afirmou que a maioria de seus pacientes apoiou a ideia do cartaz, e que só uns poucos reclamaram.

A lei americana proíbe que um médico negue atendimento um paciente com base em raça, sexo, religião ou deficiência.

William Allen, professor de bioética na Universidade da Flórida ouvido pelo Daily Commercial, diz que Cassell está dentro dos seus direitos, desde que não se recuse a atender ninguém e que não questione seus pacientes sobre suas opiniões políticas.

A lei americana proíbe que um médico negue atendimento um paciente com base em raça, sexo, religião ou deficiência.

William Allen, professor de bioética na Universidade da Flórida ouvido pelo Daily Commercial, diz que Cassell está dentro dos seus direitos, desde que não se recuse a atender ninguém e que não questione seus pacientes sobre suas opiniões políticas.

Fonte: R7

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

Haddad tem 49%, e Serra, 33%, diz Ibope

O Ibope divulgou, nesta quarta-feira (17), a segunda pesquisa de intenção...

Ibope: quase 80% são contra legalizar maconha e aborto

Pesquisa mostra divisão dos brasileiros em relação ao casamento...

Lucas Mendes: Algo de podre

Na alfabetização comunista da minha geração, o Mississippi ocupava...

Fracassos vitoriosos

Todo fracasso é doloroso. Fracassar põe em marcha o...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=