Mercadante telefona para Alckmin e reconhece derrota em SP

Por: Dennis Barbosa

Candidato do PT agradeceu votos recebidos na eleição deste domingo.
‘Amanhã estarei na rua, agora é Dilma’, falou sobre o futuro


O candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, falou pouco antes das 23h deste domingo (3) com a imprensa e informou que havia telefonado a Geraldo Alckmin (PSDB) admitindo a derrota na eleição estadual. “Agora só queria fazer o reconhecimento da vitória de Geraldo Alckmin e o agradecimento ao eleitorado, a esses cerca de 8 milhões de eleitores e eleitoras que confiaram na gente e que votaram nesse projeto de mudança que representava minha candidatura”, disse.

Ele destacou que metade do eleitorado votou pela mudança e a outra metade, pela continuidade do governo do PSDB que está há 16 anos em São Paulo. “Conseguimos colocar na agenda do estado alguns temas que tenho certeza que vão ficar – que é necessário rever o abuso dos pedágios, que precisamos retomar o investimento nas ferrovias no interior, que precisamos investir em transporte coletivo, acelerar os investimentos em metrô e CPTM, que precisamos de mais segurança no estado, mudar a relação com a polícia, e principalmente proteger as escolas do tráfico, ter uma política de recuperação dos químico-dependentes, especialmente do crack; e sobretudo reduzir as filas na área da saúde para doenças graves, que ainda são muito longas”.

Mercadante frisou que o PT aumentou expressivamente sua bancada de deputados estaduais e federais. “É maior bancada que nós já tivemos aqui em São Paulo. É a maior votação que nós já tivemos em São Paulo”, comentou. “Amanhã [segunda-feira] cedinho estarei na rua, e agora é Dilma”, finalizou. O candidato deu as declarações em uma produtora de vídeo no Alto de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, onde acompanhou as apurações dos votos.

Geraldo Alckmin foi eleito governador de São Paulo no 1º turno com 50,63% dos votos e 99,08% das urnas apuradas às 22h25, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele derrotou o senador petista Aloizio Mercadante, que teve 35,22%, mantendo o ciclo de administrações do PSDB em São Paulo, maior colégio eleitoral do país.

O partido comanda o Palácio dos Bandeirantes desde 1994. Celso Russomanno (PP) teve 5,42%, Paulo Skaf (PSB), 4,57%, Fabio Feldmann (PV), 4,14% e Anai Caproni (PCO), 0,02%. Mancha (PSTU), Igor Grabois (PCB) e Paulo Bufalo (PSOL) não apareciam com votos computados até as 22h36 deste domingo (3).

 

 

Fonte: G1

+ sobre o tema

Entidades de segurança pública e direitos humanos dizem que novo edital precariza programa de câmeras da PM em SP

Entidades da sociedade civil ligadas à segurança pública manifestaram...

Convenção da extrema direita espanhola é alerta para o Brasil

"Manter o ideal racial de um continente branco de...

Aprovado no Senado, PL dos planos de adaptação esboça reação a boiadas do Congresso

O plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (15/05)...

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

para lembrar

Carta a Silas Malafaia: Pastor, me ajude!

Silas Malafaia recorreu a arcaísmos do velho testamento para...

Futebol brasileiro e ética – Por: Cidinha da Silva

O futebol, que me distrai tanto, anda afastado de...

López Obrador é eleito presidente do México com maior respaldo popular da história

Eleição do líder social representa um tsunami político em...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do Estado emerge da catástrofe. A pandemia de Covid-19 deveria ter sido suficiente para demonstrar que...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um alerta sobre o impacto econômico e social das mudanças climáticas que atinge todo o mundo....

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda 2024, ano-base 2023, termina em 31 de maio. Até as 17 horas do dia 30 de...
-+=