Milton Nascimento sobre o governo Bolsonaro: “Bicho, que pesadelo é esse? É uma tragédia sem parâmetro”

Enviado por / FonteDCM

Milton Nascimento deu entrevista para O Tempo, de MG, sobre sua live, e acabou falando do Brasil:

Você já foi vítima de racismo na infância, na carreira, já se posicionou contra esse tipo de preconceito diversas vezes. Devido aos recentes acontecimentos, houve diversos protestos pelo mundo e artistas e outras personalidades levantaram suas vozes contra o racismo. 

Toda essa mobilização pelo mundo é uma prova de que nada disso ia ficar em vão. Mas é muito importante que esse movimento agora ganhe mais força. É preciso continuar, porque é só o começo. Minha vida foi marcada pelo racismo, e isso desde a minha infância em Três Pontas, onde nem no clube da cidade me deixavam entrar. Eu ficava ouvindo os shows na praça, do lado de fora. E esse é só um único fato. O racismo, infelizmente, está aí até hoje, em todos os lugares e, aqui no Brasil, cada dia mais escancarado.

Como sua relação com a cultura indígena influenciou seu pensamento sobre o assunto? 

A cultura indígena é parte da minha vida há muito tempo. E essa é outra preocupação seríssima que eu tenho agora. É chocante saber que temos no governo um ministro do meio ambiente que quer se aproveitar da pandemia para, como ele mesmo disse lá naquela reunião maluca, aquele negócio de aproveitar “a oportunidade que a imprensa está dando (porque só fala de Covid-19) e ir passando a boiada e mudando todo o regramento”. Bicho, que pesadelo é esse?

O ator Mário Frias foi nomeado recentemente para a Secretaria Especial de Cultura, a quinta pessoa a ocupar o cargo em 17 meses de governo Bolsonaro. Que mensagem isso te passa?

Antes fosse só essa a preocupação, pelo contrário. A tragédia é muito maior que isso. Temos um governo que não confia em nada que seja relacionado à ciência. Um governo que faz piada com a palavra dos cientistas e, além de todo esse absurdo, os caras ainda têm um desprezo absoluto pela arte, pela tradição e pela história do próprio país. É uma tragédia sem parâmetro.

+ sobre o tema

Entidades de segurança pública e direitos humanos dizem que novo edital precariza programa de câmeras da PM em SP

Entidades da sociedade civil ligadas à segurança pública manifestaram...

Convenção da extrema direita espanhola é alerta para o Brasil

"Manter o ideal racial de um continente branco de...

Aprovado no Senado, PL dos planos de adaptação esboça reação a boiadas do Congresso

O plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (15/05)...

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

para lembrar

2016, por Antonio Prata

Eis então que, na noite da virada, me aparece...

Leia posicionamentos d@s Candidat@s sobre os temas de interesse do Portal Geledés

{jathumbnail off} TEMAS DO PORTAL GELEDÉS ...

Colin Powell acusado de apoiar Obama por solidariedade de ‘raça’

Que um destacado político republicano apoie o candidato presidencial...

Boric defende “reação conjunta da América Latina” a “golpe” no Brasil

O presidente do Chile, Gabriel Boric, defendeu que a América...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do Estado emerge da catástrofe. A pandemia de Covid-19 deveria ter sido suficiente para demonstrar que...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um alerta sobre o impacto econômico e social das mudanças climáticas que atinge todo o mundo....

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda 2024, ano-base 2023, termina em 31 de maio. Até as 17 horas do dia 30 de...
-+=