Ministério da Igualdade Racial questiona autoridades do Rio de Janeiro sobre agressão racista contra entregador

Diretoria de Combate e Superação do Racismo oficiou cinco órgãos pedindo informações sobre o caso

O Ministério da Igualdade Racial enviou ofícios para cinco órgãos do Rio de Janeiro pedindo maiores informações sobre o caso de racismo de grande repercussão nacional envolvendo Sandra Mathias, moradora de São Conrado e o entregador de aplicativos Max Ângelo. Os documentos foram protocolados na última terça-feira (11).

Por meio da Diretoria de Combate e Superação do Racismo, foram enviados questionamentos ao Ministério Público do Rio de Janeiro, Coordenadoria Executiva Municipal de Promoção da Igualdade Racial, Subsecretaria de Promoção, Defesa e Garantia dos Direitos Humanos, do governo do estado, Presidente da Comissão de Combate às Discriminações e Preconceitos de Raça, Cor, Etnia, Religião e Procedência Nacional da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro e Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro.

Para a ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, é fundamental que os diversos órgãos envolvidos na apuração do caso atuem de forma conjunta. “O Ministério da Igualdade Racial está à disposição de todos os órgãos envolvidos e queremos contribuir e entender como cada um, dentro de suas atribuições e competências pode ajudar na apuração do caso de maneira célere e séria”.

Durante sessão da Comissão de Direitos Humanos no Senado, nesta quarta-feira (12), a ministra relembrou a agressão sofrida por Max. “Se trata de uma senhora, uma ex-jogadora de vôlei, muito bem estudada, com condição financeira agrediu um entregador e não era a primeira vez que ela foi notificada por isso. Foi um ato gravíssimo e esse PL traz um reforço para que as pessoas entendam que qualquer tipo de racismo é crime”, disse a ministra, reforçando a importância da equiparação da injúria racial ao crime de racismo.

Após o recebimento das informações solicitadas, o MIR vai acompanhar o caso de perto para garantir que tenha o andamento devido e que as responsabilidades sejam apuradas e a lei devidamente aplicada.

+ sobre o tema

Família acusa professora de racismo em escola de Cariacica

A família de um adolescente de 13 anos acusa...

Grupo protesta contra racismo e genocídio negro em Salvador

Manifestantes se reúnem no Centro de Salvador, na manhã...

Balotelli diz que matará quem o ofender com xingamentos racistas

O atacante Mario Balotelli não cansa de dar...

para lembrar

Família de Amarildo será indenizada pelo Estado do Rio de Janeiro

Justiça carioca decidiu que Estado será responsável pelo custeio...

Branquidade e Racialização: qual é o lugar da educação?

por Liv Sovik UFRJ enviado para o Portal Geledés Conferência de abertura 8oSBECE...

Educação cidadã é primordial para enfrentar racismo, diz Kabengele Munanga

O combate ao racismo estrutural depende de uma educação cidadã antirracista,...
spot_imgspot_img

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...
-+=