Ministra Eleonora Menicucci participa, nesta terça-feira (6/3), de ato comemorativo aos 80 anos do voto no Brasil

Evento terá a presença da Ministra das Mulheres, que classifica conquista do voto feminino como legado das lutas feministas

 

A Câmara Federal realiza, nesta terça-feira (6/3), em Brasília, o “Seminário em Comemoração ao Dia Internacional da Mulher”. O evento destaca dois temas para os debates: Lançamento do Relatório sobre o Desenvolvimento Mundial 2012 – Igualdade de Gênero e Desenvolvimento e 80 Anos do Voto Feminino e a Reforma Política.

O seminário terá a presença da Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Elenora Menicucci. Ela classifica a conquista do voto feminino no Brasil como um “legado histórico das lutas feministas, que abriram o caminho na construção da democracia com igualdade de gênero”.

CONQUISTA PARA A CIDADANIA BRASILEIRA – Em 24 de fevereiro de 1932 as mulheres conquistaram o direito de votar.  Este pioneirismo foi liderado por Bertha Maria Julia Lutz (1894-1976) que se destacou na luta sufragista no Brasil. Mas a conquista expressava uma série de limites: o Código Eleitoral Provisório permitia apenas que mulheres casadas – desde que com autorização do marido-, viúvas e solteiras com renda própria pudessem votar.  Estas restrições ao pleno exercício dovoto só foram eliminadas no Código Eleitoral de 1934. Ainda assim, o código não tornava obrigatório o voto das mulheres, o que só efetivamente ocorreu em 1946.

A primeira deputada federal eleita, em 1933, foi Carlota Pereira de Queiroz (1892-1982), que participou ativamente da Assembléia Nacional Constituinte, tendo assinado a Constituição Federal de 1934. Ainda que a história brasileira tenha sido recortada por períodos de retrocessos na consolidação do processo democrático, as mulheres nunca deixaram de lutar pelos seus direitos e pela democracia. “Foi apenas com o processo de redemocratização, cujo ápice se deu com a Constituição Federal de 1988, que o Estado Democrático de Direito passou a ter como base de legitimação os direitos fundamentais – individuais, sociais, econômicos e políticos-, e, com isso, a luta das mulheres foi também incorporada ao pacto social que inaugurava um novo período da história brasileira”, analisa a Ministra da Mulher, Eleonora Menicucci.

BAIXA REPRESENTAÇÃO NO PODER – Hoje, a presença feminina no cenário político nacional ainda é desproporcional a sua contribuição nos processos econômico, político e cultural do país. Na eleição de 2010 foram eleitas apenas 8,8% de mulheres para as vagas da Câmara dos Deputados e 14,8% para o Senado Federal. Para os cargos executivos a realidade não é diferente. Nas eleições de 2010, 7,4% dos/as eleitos/as governadores/as eram mulheres, enquanto que na última eleição para os governos municipais, cujo pleito ocorreu em 2008, 9,1% eram mulheres.

Apesar de a legislação eleitoral prever uma cota mínima de 30% de candidaturas de mulheres, os entraves à participação ampla são persistentes. Tais entraves só poderão ser removidos com uma profunda Reforma Política, que resulte em mudanças no cenário de participação no processo eletivo e partidário. Afinal, as mulheres já participam da esfera pública e do mercado de trabalho como protagonistas, com níveis superiores de escolaridades em relação aos homens.

agenda marco 1

Seminário em Comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Data: 6 de março de 2012 (terça-feira)

Hora: das 14h às 18h

Local: Câmara Federal (Auditório Nereu Ramos, Praça dos Três Poderes) – Brasília/DF

Comunicação Social SPM/PR

Fonte: SPM

+ sobre o tema

Nota de preocupação e repúdio

Carta Aberta à Drª Gilda Carvalho Ministério Público Federal NOTA DE...

Dia de Luta pela Saúde da Mulher e de Redução da Morte Materna

A deputada Inês Pandeló, Presidente da Comissão de Defesa...

para lembrar

Sessão extraordinária na Câmara vai colocar em votação 7 projetos de Marielle

Na próxima quarta-feira (2) será realizada uma sessão extraordinária...

Mulheres ainda se dividem entre a casa e o trabalho, aponta o IBGE

Mesmo cada vez mais inseridas no mercado de trabalho,...

#GeledésnoDebate: “Não houve respaldo legal para a esterilização de Janaína”

#SomostodasJanaína# Por Kátia Mello Janaína Aparecida Quirino, 36 anos, moradora em...

Mulheres agredidas por PM serão indenizadas no Rio

Ele as xingou, atacou com cabo de vassoura e...
spot_imgspot_img

Homens ganhavam, em 2021, 16,3% a mais que mulheres, diz pesquisa

Os homens eram maioria entre os empregados por empresas e também tinham uma média salarial 16,3% maior que as mulheres em 2021, indica a...

Escolhas desiguais e o papel dos modelos sociais

Modelos femininos em áreas dominadas por homens afetam as escolhas das mulheres? Um estudo realizado em uma universidade americana procurou fornecer suporte empírico para...

Ministério da Gestão lança Observatório sobre servidores federais

O Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) lança oficialmente. nesta terça-feira (28/3) o Observatório de Pessoal, um portal de pesquisa de...
-+=