Morre no Rio, Tia Maria do Jongo da Serrinha, aos 98 anos

Ela passou mal na manhã deste sábado (18) e foi levada para o PAM de Irajá. Na última terça, ela recebeu o Prêmio Sim à Igualdade Racial na categoria Arte em Movimento.

Alba Valéria Mendonça e Flávia Jácomo, Do G1 Rio

Tia Maria do Jongo, mulher idosa negra, de óculos, vestindo uma blusa branca e turbante branco, sentada em um sofa
Tia Maria do Jongo, filha e neta de escravos que luta para manter viva a tradição musical das senzalas (Foto: Imagem retirada do site G1)

Morreu na manhã deste sábado (18) Tia Maria do Jongo da Serrinha, de 98 anos. Neta e filha de ex-escravos, Maria de Lourdes Mendes era uma das figuras mais famosas do Morro da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio.

De acordo com as primeiras informações, ela passou mal e foi levada para o Posto de Atendimento Médico (PAM) de Irajá, na Zona Norte. Ainda não há detalhes sobre a causa da morte de Tia Maria do Jongo.

Responsável por manter vivo e transmitir às novas gerações os ensinamentos trazidos à cidade no século XIX por escravos bantos, que tiveram grande influência na criação do samba, Tia Maria era muito conhecida e respeitada.

Filha de músicos vindos de Minas Gerais para o Morro da Serrinha ela cresceu em meio a festas que o pai Zacarias dava no quintal de casa. Viúva, tinha deixado a Serrinha e morava com o filho, Ivo Mendes.

Tia Maria do Jongo estava muito feliz. Na última terça-feira (14), ela conquistou o Prêmio Sim à Igualdade Racial, na categoria Arte em Movimento. Ela concorria com o ator Fabrício Boliveira e o rapper Djonga. Ao receber o prêmio, convidou a todos a conhecer a Casa do Jongo.

“O jongo da Serrinha agradece e terá um grande prazer, se vocês um dia puderem passar uma tarde com a gente lá. O jongo é bom. Vocês vão gostar”, disse Tia Maria.

Fundadora da Império Serrano

Filha do pioneiro Zacarias e de Etelvina, teve nove irmãos que, juntos, fundaram a Escola de Samba Império Serrano, em 1947. Entre eles, Sebastião Molequinho,Tia Eulália, Dona Conceição e João Gradim.

Em 1977, foi convidada por Mestre Darcy para entrar no grupo Jongo da Serrinha. A partir daí, nunca mais parou. Nos últimos anos, sua casa tornou-se o local de confraternização do grupo, que ensaia e festeja antigas tradições como a feijoada em homenagem aos pretos-velhos no dia 13 de maio, a distribuição de doces de São Cosme Damião.

De alguns anos para cá, Tia Maria passou a compor pontos de jongo e a cantar nas apresentações. Sem muito estudo, pois começou a trabalhar com 11 anos de idade, é dona de uma imensa sabedoria.

+ sobre o tema

Cores Pretas, lançamento do documentário

Cores Pretas, jornalista lança documentário sobre empoderamento da mulher...

Existe uma moda (para) negra?

Desde que li o post na Lola, sobre a...

Marcelle Soares, brasileira lidera pesquisa que vai “dar luz” à expansão do universo

Marcelle Soares Santos tinha quatro anos de idade quando...

para lembrar

Não vou dar senha porque não gosto de mulheres negras

Alunas de escola pública sofrem injúria e discriminação racial...

Cacau Protásio fala de quebra de padrões e conta episódios de preconceito na infância

“Posso dizer que quando bebezinha eu fui feliz. Era...

Mais de 70% das trabalhadoras domésticas brasileiras não têm carteira assinada

BRASÍLIA – Mais de 70% das trabalhadoras domésticas brasileiras...
spot_imgspot_img

Comida mofada e banana de presente: diretora de escola denuncia caso de racismo após colegas pedirem saída dela sem justificativa em MG

Gladys Roberta Silva Evangelista alega ter sido vítima de racismo na escola municipal onde atua como diretora, em Uberaba. Segundo a servidora, ela está...

Uma mulher negra pode desistir?

Quando recebi o convite para escrever esta coluna em alusão ao Dia Internacional da Mulher, me veio à mente a série de reportagens "Eu Desisto",...

Da’Vine Joy Randolph vence o Oscar de Melhor atriz coadjuvante

Uma das favoritas da noite do 96º Oscar, Da'Vine Joy Randolph se sagrou a Melhor atriz coadjuvante da principal premiação norte-americana do cinema. Destaque...
-+=