Guest Post »

Morre no Rio, Tia Maria do Jongo da Serrinha, aos 98 anos

Ela passou mal na manhã deste sábado (18) e foi levada para o PAM de Irajá. Na última terça, ela recebeu o Prêmio Sim à Igualdade Racial na categoria Arte em Movimento.

Alba Valéria Mendonça e Flávia Jácomo, Do G1 Rio

Tia Maria do Jongo, mulher idosa negra, de óculos, vestindo uma blusa branca e turbante branco, sentada em um sofa
Tia Maria do Jongo, filha e neta de escravos que luta para manter viva a tradição musical das senzalas (Foto: Imagem retirada do site G1)

Morreu na manhã deste sábado (18) Tia Maria do Jongo da Serrinha, de 98 anos. Neta e filha de ex-escravos, Maria de Lourdes Mendes era uma das figuras mais famosas do Morro da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio.

De acordo com as primeiras informações, ela passou mal e foi levada para o Posto de Atendimento Médico (PAM) de Irajá, na Zona Norte. Ainda não há detalhes sobre a causa da morte de Tia Maria do Jongo.

Responsável por manter vivo e transmitir às novas gerações os ensinamentos trazidos à cidade no século XIX por escravos bantos, que tiveram grande influência na criação do samba, Tia Maria era muito conhecida e respeitada.

Filha de músicos vindos de Minas Gerais para o Morro da Serrinha ela cresceu em meio a festas que o pai Zacarias dava no quintal de casa. Viúva, tinha deixado a Serrinha e morava com o filho, Ivo Mendes.

Tia Maria do Jongo estava muito feliz. Na última terça-feira (14), ela conquistou o Prêmio Sim à Igualdade Racial, na categoria Arte em Movimento. Ela concorria com o ator Fabrício Boliveira e o rapper Djonga. Ao receber o prêmio, convidou a todos a conhecer a Casa do Jongo.

“O jongo da Serrinha agradece e terá um grande prazer, se vocês um dia puderem passar uma tarde com a gente lá. O jongo é bom. Vocês vão gostar”, disse Tia Maria.

Fundadora da Império Serrano

Filha do pioneiro Zacarias e de Etelvina, teve nove irmãos que, juntos, fundaram a Escola de Samba Império Serrano, em 1947. Entre eles, Sebastião Molequinho,Tia Eulália, Dona Conceição e João Gradim.

Em 1977, foi convidada por Mestre Darcy para entrar no grupo Jongo da Serrinha. A partir daí, nunca mais parou. Nos últimos anos, sua casa tornou-se o local de confraternização do grupo, que ensaia e festeja antigas tradições como a feijoada em homenagem aos pretos-velhos no dia 13 de maio, a distribuição de doces de São Cosme Damião.

De alguns anos para cá, Tia Maria passou a compor pontos de jongo e a cantar nas apresentações. Sem muito estudo, pois começou a trabalhar com 11 anos de idade, é dona de uma imensa sabedoria.

Related posts