Movimentos sociais farão ato em defesa da democracia e de Lula

Após reunião nesta sexta-feira 14, líderes de movimentos sindical, sociais e partidos decidiram ir às ruas de todo o Brasil na próxima quinta-feira 20 com as bandeiras da defesa da democracia e do ex-presidente Lula, além de ‘Fora, Temer’, ‘Diretas Já’ e contra a reforma trabalhista do governo Temer, sancionada nesta semana; “Vivemos período de profundos retrocessos sociais e democráticos”, ressaltou Guilherme Boulos, líder do MTST; “Para a Casa Grande, Lula representa o perigo de um governo popular e trabalhista voltar ao poder e restabelecer a democracia”, apontou o presidente da CUT, Vagner Freitas

Do Brasil 247

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Líderes de movimentos sindical, sociais e partidos decidiram em reunião realizada nesta sexta-feira 14 que irão às ruas de todo o Brasil na próxima quinta-feira 20 com as bandeiras da defesa da democracia e do ex-presidente Lula, que foi condenado esta semana pelo juiz Sergio Moro.

Os protestos terão ainda como bandeiras o ‘Fora, Temer’, as ‘Diretas Já’ e contra a reforma trabalhista do governo Temer, sancionada nesta semana pelo peemedebista, após aprovação do Senado Federal.

“Para a Casa Grande, Lula representa o perigo de um governo popular e trabalhista voltar ao poder e restabelecer a democracia, a igualdade, a distribuição de renda, a justiça e a inclusão social”, apontou o presidente da CUT, Vagner Freitas. Segundo ele, não se trata de defender apenas a figura ou o legado do ex-presidente mas, também o funcionamento democrático e igualitário da justiça brasileira e os direitos sociais, previdenciário e trabalhistas.

“Vivemos período de profundos retrocessos sociais e democráticos. A condenação de Lula pelo Moro é mais um golpe à já combalida democracia brasileira, porque quando a justiça toma partido, condena sem provas, age pela presunção da culpa e um juiz se torna acusador, há algo sério acontecendo. Por isso fazemos parte dessa campanha que repudia essa acusação sem provas como parte da tentativa de tirar no tapetão o Lula da disputa política”, ressaltou Guilherme Boulos, líder do MTST e da Frente Povo Sem Medo.

Segundo informações da CUT, em São Paulo, a mobilização acontece na Avenida Paulista, a partir das 17 horas, e terá entre os participantes o ex-presidente Lula, alvo da parte jurídica do golpe que começou com a ascensão de Michel Temer. A central sindical organizará ainda e participará de atos em todo o país.

No dia da condenação de Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 9 anos e meio de prisão, movimentos sociais protestaram na Avenida Paulista.

+ sobre o tema

Com 359 votos, Câmara aprova PEC 241 em 2º turno

Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 25,...

“É melhor morrer em pé do que viver de joelhos”

Quem ama as liberdades democráticas que se mire em...

Peritos das Nações Unidas avaliam condições de vida dos africanos em Portugal

Por: António Pereira Neves Genebra, 14 mai...

Estudo aponta queda na diferença de renda entre negros e não negros

Embora ainda tenham desvantagens na disputa por vagas no...

para lembrar

O QUE A OPOSIÇÃO QUER

por Emir Sader,   A definição do...

Rio de Janeiro é o estado com mais mulheres negras concorrendo em 2018

Nas eleições de 2018, serão 1237 mulheres negras aptas a disputar...

Nosferatu: Manifestações livres sobre qualquer assunto

Por Leno F. Silva   Noventa anos depois...

Diferença entre tucano e petista cai 16 pontos, aponta CNI/Ibope

Pesquisa CNI/Ibope registra queda de 16 pontos da vantagem...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Quer namorar comigo?

Todos os dias me deparo com situações que evidenciam a urgência de alçar a questão racial ao centro do debate dos principais problemas do...

Lula indica a advogada Vera Lúcia para compor o plenário do TSE

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva indicou a advogada Vera Lúcia para compor uma das vagas de ministra substituta do Tribunal Superior Eleitoral...
-+=