Mulher processa o Facebook em US$ 123 milhões após ser vítima da “pornografia da vingança”

Uma mulher de Houston, nos Estados Unidos, está processando o Facebook e um “ex-amigo” em US$ 123 milhões, alegando ser vítima da chamada “pornografia da vingança” na rede social.
Andréa Martinelli

Meryam Ali diz que seu até então amigo, Adeel Shah Khan, criou uma página falsa no Facebook com seu nome, que continham fotografias adulteradas, em que seu rosto aparecia em montagens com corpos nus.

Ali disse que descobriu o perfil em dezembro de 2013 e que pediu que a página fosse tirada do ar, mas seu pedido foi negado.

A história foi para frente quando o Departamento de Polícia de Houston intimou a rede social, em um esforço para tentar identificar quem havia criado a página com as imagens de Maryam, de acordo com o The Wrap.

“É uma situação muito séria”, disse o advogado de Ali David Altenbern à revista Texas Lawyer. “Ela está, obviamente, muito abalada com o que aconteceu. Muito triste.”

A multa em $ 123.000 milhões de dólares (o equivalente a R$ 275 milhões de reais) foi calculada com base em dez centavos para cada um dos 1.230 milhões de membros da rede social, segundo o The Wrap.

Além disso, a ação pretende chamar a atenção de administradores, diretores, empregados e assinantes do Facebook, para as sérias violações de privacidade envolvidas em “pornografia da vingança”, disse o advogado.

Até o momento, nem o Facebook nem Khan respondeu às acusações feitas por Meryam Ali.

 

 

Fonte: Brasil Post

+ sobre o tema

“Perdi a conta de quantas vezes meu pai me estuprou na infância”

A norte-americana Jennifer Hanes lembra que os abusos começaram...

Cresça com o Google – Paraisópolis

O Google está trazendo o treinamento "Cresça com o...

Site busca voluntários para atacar feministas com ácido sulfúrico

Administradoras da página Feminismo Sem Demagogia e familiares receberam...

‘As Bahias e a Cozinha Mineira’ e a discussão de gênero nos espaços públicos

A música é uma grande aliada para discutir padrões,...

para lembrar

Sobre o funk carioca e a cultura do estupro

Boa parte do funk é, sim, expressão do horror...

Justiça cobra ações para mulheres agredidas

Governos têm 90 dias para apresentar plano de melhoria...

Lula assina lei que eleva pena para pedofilia e estupro

Brasília - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=