Mulher racista continua solta na Av. Paulista: ‘Eu não gosto de negro. Negro é sujo. Deveria ser proibida a entrada deles aqui. Negro é imundo’

A publicitária Karina Chiaretti, de 42 anos, afirmou ter sido vítima de racismo na Avenida Paulista, uma das mais importantes de São Paulo, na última sexta-feira, 30. Karina estava acompanhada de sua filha de 9 anos na galeria Top Center quando uma senhora começou a ofendê-la depois de tê-las visto. Segundo relatou, a senhora teria chamado Karina de “macaca” e de “negra favelada”.

“Fomos almoçar e depois fui comprar esmaltes para minha filha. Ouvi barulho. A senhora já estava ofendendo outras pessoas. Quando entrei na loja, ela passou por mim e falou: ‘eu não gosto de negro. Negro é sujo. Deveria ser proibida a entrada deles aqui. Negro é imundo'”, contou Karina. “Minha filha começou a chorar. Liguei para a polícia”.

A polícia, afirmou, chegou rápido. Karina disse que a senhora que a agrediu continuou aos berros, ofendendo outras pessoas, e que exigiu ter um policial branco ao seu lado. A caminho da delegacia, a senhora teria pedido ao policial que a levasse para casa para tomar remédio, já que passava mal. Ao chegar lá, ela se trancou dentro de casa e não prestou o depoimento.

Segundo Karina, o policial teria alegado que a senhora tinha doença mental.

A reportagem procurou a Polícia Civil. Segundo a assessoria, a senhora prestaria o depoimento desde que seu nome e seu endereço estivessem registrados no BO. Não está: no documento, a agressora é classificada apenas como “autora”.

Não é a primeira vez que a mesma senhora se envolve em episódios de discriminação racial. Vídeos na internet mostram reportagem feita em 2011 sobre um flagrante da mesma mulher xingando um deficiente físico. Segundo a PM, na época ela teria pedido para que eles recolhessem “esse lixo, este macaco”.

A senhora também agrediu os policiais após ter recebido voz de prisão: “Eu não vou! Seus vagabundos, idiotas! Analfabetos! Sai da minha frente!”, registra o vídeo.

Outra ação da racista:

‘Vocês tem que recolher este lixo, este macaco’ disse mulher presa por racismo na avenida Paulista

Matéria relacionada:

 “O perigo de dar de cara com o porteiro do próprio prédio” Danuza Leão pede desculpas a porteiros e leitores

“Porque certas pessoas deveriam permanecer no tronco” Empresária é denunciada por mensagem racista no Facebook

 

Fonte: Dm24

+ sobre o tema

Após ser vítima de racismo, Roberto Carlos vira ‘a lenda’ em Makhachkala

Em região que sofre com preconceito na Rússia, carinho...

Biologia, Biodiversidade, Biopolítica – novidades na luta anti-racista?

Este artigo inaugura uma série de textos que serão...

Racismo na Europa de Leste monitorizado

Fonte: UEFA - O Centro de Monitorização Anti-Racismo...

para lembrar

E essa cara de pobre, minha filha? É pra te olhar melhor!

Fiquei com uma fala na cabeça de uma mulher...

Pai de executiva demitida após tweet racista chama filha de “idiota”

O pai da ex-diretora de comunicação da InterActive Corp...

“Não somos racistas”: faltou combinar com os russos…

O dia de Martin Luther King é comemorado...
spot_imgspot_img

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...
-+=