Música e tertúlia na celebração do nascimento de Cabral

Enviado por / FonteDo Expresso das Ilhas

“Cantar Cabral e a Resistência” é o nome dado ao concerto que, ao início da noite de hoje marca, na Cidade da Praia, as comemorações dos 94 anos do nascimento de Amílcar Cabral. O Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas aproveita a efeméride para anunciar a ideia de uma agenda para assinalar o centenário do herói nacional, em 2024.

Amílcar Cabral é autor do poema “Regresso” cuja música Cesária Évora popularizou

Mário Lúcio, Teresinha Araújo, Ana Lisboa, Vera Cruz, Totinho, Binga, Nhelas Spencer, Soren Araújo, Fattú Djakité, Alberto Koening, Body e Eric Tavares são os artistas que se apresentam no palco do Palácio da Cultura Ildo Lobo para homenagear o líder do movimento de libertação de Cabo Verde, numa iniciativa que se insere no projecto Cabo Verde: História, Cultura e Ambiente para um Turismo Sustentável, financiado pela União Europeia, a Fundação Amílcar Cabral e pela Fundação Lelio e Lisli Basso da Itália contando com o apoio do Palácio da Cultura Ildo Lobo.

Diferentes gerações de músicos e artistas cabo-verdianos e guineenses irão relembrar temas musicais e poemas emblemáticos de autores que cantaram sobre Cabral ou sobre a resistência ao colonialismo e a luta pela independência nacional, buscando assim “contribuir para um maior conhecimento da história da luta de libertação nacional e do seu líder, Amílcar Cabral.”

Um dos artistas a actuar será Mário Lúcio, que na sua página de Facebook anunciou que irá interpretar um tema seu inédito, canção intitulada “Hino à Gratidão”.

“Amílcar Cabral foi o visionário realista, amoroso e altruísta, que liderou o processo complexo, político e militar, cultural e diplomático, pela independência de Cabo Verde e da Guiné-Bissau”, escreve o artista tarrafalense.

As actividades para assinalar o 12 de Setembro prosseguem amanhã, dia 13, com uma tertúlia na Fundação Amílcar Cabral. “A atualidade do pensamento de Amílcar Cabral face ao imperativo da unidade africana” é o mote para um debate a ser moderado por Alexssandro Robalo, em representação do Movimento Pan Africano.

Centenário do nascimento de Amílcar Cabral

O Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas (MCIC) aproveitou a data de hoje para fazer o lançamento da imagem da “Agenda 2024”, uma iniciativa “que visa marcar o início das comemorações do centenário de nascimento de Amílcar Cabral”.

Conforme nota do MCIC, a ideia da “Agenda 2024” é lançar um desafio a todas as instituições da República, às universidades, às escolas e à própria sociedade civil em geral “para que se crie uma agenda de reflexão, de actividades e de acção visando a celebração, em 2024, do centenário do nascimento de Amílcar Cabral.”

O MCIC lança convite a todas as instituições públicas e privadas interessadas a juntarem-se às instituições por sí tuteladas e contribuírem para a construção da “Agenda 2024”:

“O apelo é que haja um envolvimento amplo, diverso, crítico, engajado e sobretudo informado por parte de todos”, exorta a nota.

Nascido a 12 de Setembro de 1924 em Bafatá (Guiné-Bissau), Amílcar Lopes Cabral, filho de pais cabo-verdianos, fez os seus estudos em Cabo Verde até seguir para Portugal onde se formou em Agronomia. Com outros, fundou o Partido Africano da Independência da Guiné-Bissau e Cabo Verde (PAICV) e iniciou um movimento anti-colonial que conduziria os dois países á independência, já depois da sua morte a 20 de Janeiro de 1973, em Conacri.

Figura emblemática, mas não consensual, Cabral tem sido tema de várias teses académicas, livros, filmes, etc. No início deste ano a Fundação que leva o seu nome anunciou a vontade de fazer candidatar os seus escritos ao programa “Memória do Mundo” da UNESCO.

 

+ sobre o tema

Alex Melo, ator negro brasileiro, protagoniza filme na Alemanha

Munique/Alemanha - Depois de protagonizar peça teatral e Filme...

Depois de décadas, Pelé finalmente entra para o Guinness Book com dois recordes

Demorou algumas décadas, mas o Guinness World Records, entidade...

Rio de Janeiro recebe encontro de cinema negro

Com recorde de inscrições, o evento homenageia os 80...

para lembrar

Biguaçu resgata cultura africana e afro-brasileira

Entre os dias 18 e 22 de novembro, o...

Legados de um Beato evangélico: por Magali Cunha

O cristianismo brasileiro perdeu, na semana passada, o pastor...

Vencedor do Pulitzer, Junot Díaz revela que foi estuprado quando criança

Escritor dominicano diz que o episódio quase o destruiu...
spot_imgspot_img

Mães e Pais de Santo criam rede de solidariedade para apoiar comunidades de matriz africana afetadas no Sul

Quando a situação das enchentes se agravou no Rio Grande do Sul, Ialorixás e Babalorixás da cidade de Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre,...

14 de maio e a Revolta dos Malês

Quem passa pelo Campo da Pólvora, em Salvador, nem imagina que aquela praça, onde ironicamente hoje se encontra o Fórum Ruy Barbosa, foi palco...

Iza anuncia que terá uma menina e o nome será Nala

O primeiro bebê de Iza e Yuri Lima já teve o sexo revelado: será uma menina. A cantora contou a novidade aos fãs na noite desta segunda-feira (13),...
-+=