segunda-feira, agosto 8, 2022
InícioÁfrica e sua diásporaMúsico Duke Ellington é o 1º negro em uma moeda dos EUA

Músico Duke Ellington é o 1º negro em uma moeda dos EUA

Ele já havia sido o primeiro afro-americano a ter um monumento como homenagem.

Reprodução/ AP

O músico americano Duke Ellington, um dos grandes nomes da história do Jazz, terá sua figura estampada nas moedas de US$ 0,25, tornando-se o primeiro negro retratado no dólar.

O diretor da Casa da Moeda dos Estados Unidos, Ed Moy, apresentou nesta terça-feira, em entrevista coletiva no Museu de História Americana, em Washington, a nova moeda de US$ 0,25, em que o astro do jazz aparece ao lado de seu inseparável piano.

“Assim como outros grandes americanos que tiveram sucesso no que fizeram com dedicação,

Foto: Christelle Snow/UCLA

Duke Ellington se destacou pelo talento, trabalho duro, paixão e perseverança”, comentou Moy.

A moeda de US$ 0,25 (conhecida como “quarter” nos Estados Unidos) representará os cidadãos do Distrito de Columbia, que fizeram uma votação para definir quem estaria nela. Além disso, será colocada a frase “justiça para todos”.

Na verdade, os cidadãos do Distrito queriam que fosse o termo “impostos sem representação”, protestando porque o Distrito não tem um representante no Congresso com direito a voto.

Edward Kennedy Ellington nasceu em 29 de abril de 1899 na cidade de Washington. Ele viveu a época dourada do jazz, dividindo palco com outros grandes nomes como John Coltrane, Louis Armstrong e Ella Fitzgerald.

Na carreira, ele levou 13 prêmios Grammy e compôs mais de 3 mil músicas, sendo algumas das mais famosas It Don’t Mean a Thing if It Ain’t Got That Swing, Sophisticated Lady, Mood Indigo, Solitude, In a Mellotone e Satin Doll.

O músico recebeu prêmios como a Medalha da Liberdade, em 1969, das mãos do presidente Richard Nixon, e a Legião de Honra, mais alta distinção do governo francês. Ele morreu em 24 de maio de 1974 em Nova York, vítima de um câncer de pulmão e pneumonia.

Terça-feira, 24 de fevereiro de 2009, 16h39
Fonte: EFE / Economia internacional

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench