Mutirão de alteração de nome e gênero de pessoas trans abre inscrições pela Defensoria Pública no Ceará

Enviado por / FonteDo G1

As inscrições seguem até o dia 17 de junho, exclusivamente pela internet. O mutirão vai ser realizado no dia 30 de junho, quando serão realizadas as entregas dos novos registros civis.

A Defensoria Pública Geral do Estado do Ceará (DPCE) está com inscrições abertas para o I Mutirão de Retificação de Nome de Gênero de Pessoas Trans no estado. As inscrições seguem até o dia 17 de junho exclusivamente pela internet. O mutirão vai ser realizado no dia 30 de junho quando serão realizadas as entregas dos novos registros civis.

A solenidade de entrega dos novos registros vai ser realizada no dia 30 de junho em Fortaleza, Sobral, Barbalha, Crato e Juazeiro do Norte nas respectivas sedes da Defensoria Pública do Estado (DPE).

Na página de inscrição é possível acessar a lista de documentos necessários. Podem participar pessoas trans, maiores ou menores de 18 anos, que não se identificam com seu gênero, nem com nome de nascimento. A ação é uma solicitação dos movimentos sociais, colhidas durante as audiências públicas do Orçamento Participativo de 2022.

Desde a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e de acordo com o Provimento nº 73, de 2018, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a alteração de prenome e gênero pode ser feita de forma extrajudicial, diretamente no Cartório de Registro Civil, exceto caso de menores de idade e de pessoas não-binárias nos quais necessita de ingressar com ações judiciais.

A defensora geral do Ceará, Elizabeth Chagas, destaca o objetivo do projeto. “Queremos promover dignidade e, principalmente, cidadania como direito fundamental, bem como promover a união de instituições e órgãos em prol da conscientização e da promoção dos direitos das pessoas trans. Esse mutirão, além de promover a identidade registral necessária àqueles e àquelas que dele se beneficiarão, trará visibilidade e se constitui em um enorme ganho para a efetivação dos direitos humanos da população LGBT”.

Entrega dos registros

Na ocasião da entrega dos novos documentos, as pessoas maiores de 18 anos que apresentarem toda a documentação indicada no ato da inscrição vão receber o registro de nascimento com nome e gênero de acordo com os quais se identificam.

Neste dia, vai haver ainda atendimento jurídico dos defensores dedicado à população trans. É o caso da retificação das pessoas trans com menos de 18 anos e das pessoas não-binárias, que podem buscar informações para ingressar na justiça.

Documentos necessários

No ato da inscrição, os interessados devem providenciar os documentos indispensáveis para a retificação ocorrer. São eles:

  • RG e CPF
  • Comprovante de Endereço;
  • Certidão de nascimento atualizada;
  • Certidão de casamento atualizada, se for o caso;
  • Título de eleitor;
  • Carteira de identidade social, se for o caso;
  • Certidão do distribuidor cível do local de residência dos últimos cinco anos (estadual/federal);
  • Certidão do distribuidor criminal do local de residência dos últimos cinco anos (estadual/federal);
  • Certidão de execução criminal do local de residência dos últimos cinco anos (estadual/federal);
  • Certidão da Justiça Eleitoral do local de residência dos últimos cinco anos;
  • Certidão da Justiça do Trabalho do local de residência dos últimos cinco anos;
  • Certidão da Justiça Militar, se for o caso.

Serviço

  • I Mutirão de Retificação de Nome e Gênero de Pessoas Trans da Defensoria Pública
  • Inscrições: 6 a 17 de junho de 2022 pelo link
  • Realização: 30 de junho de 2022

+ sobre o tema

Futura ministra diz que aborto é questão para o Legislativo

BRASÍLIA - A futura ministra da Secretaria de Políticas...

‘Sexo frágil’ – será?

Para início de conversa esse rótulo está ultrapassado. Em...

BA empossa 1ª transexual no serviço público do Estado

O transexual Paulo César dos Santos, de 25 anos,...

Índias levam bandeiras feministas às aldeias e assumem dianteira do movimento

Nascidas em aldeias indígenas no Acre, Letícia Yawanawá, 49...

para lembrar

Os negros e os LGBT

Mais um mês do Orgulho LGBT+ está terminando no...

59% dos brasileiros querem mais representatividade LGBTQIA+ na política

No mês do Orgulho LGBTQIA+, uma pesquisa do Instituto Ipsos,...

CPI da Câmara Municipal vai investigar agressão de GCM contra mulher trans no Centro de SP

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal...

Carta de uma travesti à igreja evangélica brasileira

Querida igreja, Sei que meu nascimento foi celebrado no meio...
spot_imgspot_img

Assassinatos de pessoas trans vítimas do racismo crescem 15%

De 321 mortes de pessoas trans em 2023, quase três quartos (74%) foram registradas na América Latina e no Caribe e quase um terço...

Campanha comemora 20 anos do mês da visibilidade trans no Brasil

O Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC) lançou, nesta semana, a campanha Os 20 anos da visibilidade trans no Brasil, que celebra as...

Cartórios registram 13 mil trocas de nomes de pessoas trans em 5 anos

O Brasil fecha o ano de 2023 com a marca de 13 mil alterações de registro civil de transexuais e transgêneros nos últimos cinco...
-+=