quinta-feira, julho 22, 2021

Tag: LGBTQIA+

Foto: Stock/Adobe

Possíveis fases de uma vida lésbica: do medo de magoar os outros ao medo de magoar-se

Muitos de nós, LGBTQIA+, precisaram passar por uma espécie de ritual até encontrar-se com o “eu” atual. Aquele que respira fundo e segue orgulhoso de sua trajetória, vitórias e aprendizados, mesmo sendo apontado, diminuído e incompreendido por grande parte da população. Aquela que sorri das pequenas conquistas, sente e almeja liberdade para outros iguais a nós.  Primeiro, você nasce e já enche seus pais de expectativas relacionadas a sua genitália. Se for uma vagina, sai do hospital provavelmente vestida com uma roupa cor de rosa, mas caso seja um pênis, sua roupa será de cor azul. E isso, é só o começo. Vão esperar que você faça exatamente o que eles fizeram, e o que todos os outros como você fizeram antes. Não ouse pensar ou fazer algo diferente. Crescemos rodeados de infinitas referências heteronormativas, algumas violentas, mesmo assim, nos é apresentado que esse modelo é o correto a ser ...

Leia mais
Lucarelli finaliza para o Brasil na final da Liga das Nações contra a Polônia (Foto: FIVB/Divulgação)

Lucarelli e Douglas brigam por medalhas no vôlei e contra preconceitos

Em quadra, Lucarelli, 29, e Douglas Souza, 25, disputam a mesma posição, a de ponteiro da seleção masculina de vôlei. Ambos, porém, estão unidos em um propósito, o de combater a homofobia e o racismo. Campeão olímpico nos Jogos do Rio-2016, Lucarelli é um dos pontos de desequilíbrio da seleção brasileira candidata a repetir a dose em Tóquio-2020. Na conquista da Liga das Nações, realizada entre maio e junho em Rimini na Itália, Lucarelli chamou atenção ao pisar na quadra e cruzar os braços, gesto em referência a Wakanda Forever, símbolo do personagem Pantera Negra. “Para ser sincero, aquele símbolo foi do nada. Pediram para fazermos algo para câmera. Acho o filme bem legal, acho uma representatividade bem legal. Infelizmente, ainda sofremos muito com essa questão do racismo. não somente contra negros, contra outras classes, contra a opção sexual”, disse Lucarelli durante entrevista coletiva neste domingo (18). “Fico muito feliz de ser um atleta negro ...

Leia mais
Foto: Stock/Adobe

Os negros e os LGBT

Mais um mês do Orgulho LGBT+ está terminando no país que mais mata LGBTs no mundo e que elegeu um LGBTfóbico assumido para a ocupar a presidência da república. Muito se diz que datas como essas são criadas para fazer lembrar e refletir. Refletir sobre a violência perpetrada contra LGBTs e lembrar daqueles que vieram antes dessa geração, que suaram, lutaram e morreram para que tivessem melhores condições de vida, e para que seus direitos (e existências) fossem reconhecidos. Apesar de a comunidade negra ter sido forjada em muita luta contra o preconceito e contra a violência - que ceifa inúmeras vidas negras diariamente -, parte dos negros que se autoproclamam conscientes sobre questões de raça ainda destila LGBTfobia, demonstrando irritação quando são levantadas as existências de LGBTs negros, ou ainda, quando são pedidos tolerância e respeito para eles dentro de espaços voltados às pessoas negras e debates raciais. Meu ...

Leia mais
(Reprodução/Getty Images)

Escolas têm que discutir combate à discriminação, mas muitas ainda rejeitam pauta LGBTQIA+

Ricardo Henriques destaca que, apesar de alguns avanços, a maioria das escolas ainda se recusa a discutir os direitos da população LBGTQIA+. O comentarista lembra, também, que estudantes que fazem parte dessa comunidade estão entre os que mais sofrem discriminação. 'Preconceito que nega a liberdade das pessoas deixa todos mais pobres, mais brutos e tacanhos. Menos humanos, em última instância', avalia Henriques. 'Escola pode e deve ser a referência mais estruturada sobre tolerância e diversidade'.

Leia mais

40 anos do Adé Dudu: a história do Grupo de Negros Homossexuais

Há 40 anos, em março de 1981, surgiu em Salvador, na Bahia, o Adé Dudu, o Grupo de Negros Homossexuais. Com um nome originado no iorubá, significando “negro homossexual”, o grupo contou em sua fundação com diversos militantes do Movimento Negro como Tosta Passarinho, o jornalista Hamilton Vieira (que utilizava o pseudônimo Estêvão dos Santos), Ermeval da Hora e Wilson Bispo dos Santos, hoje Wilson Mandela. Contudo, este grupo que teve relevante atuação, nas palavras do próprio Wilson Mandela, contra as estruturas racistas e homofóbicas da sociedade e dos movimentos sociais por uma década, acabou caindo no ostracismo nos anos seguintes e quase não é lembrado nas narrativas históricas e discursos contemporâneos do Movimento LGBTI+ brasileiro, anteriormente Movimento Homossexual. A história do Movimento Homossexual Brasileiro costuma ter o seu início demarcado pela historiografia especializada com a fundação, em 1978, do jornal Lampião da Esquina e do grupo Somos – Grupo ...

Leia mais
Foto: Divulgação

Antologia reúne 50 autoras lésbicas e bissexuais com textos sobre memória

Com a participação de 50 autoras lésbicas e bissexuais, a Quintal Edições lança, no próximo dia 28 de junho (segunda-feira) às 19h a antologia “antes que eu me esqueça”. A conversa terá a presença da curadora do livro, a escritora Gabriela Soutello, e da editora Carol Magalhães, mediada pela crítica literária Tamy Ghannam, discutindo autoras e personagens lésbicas, bem como a importância da representatividade.  A proposta é que bate-papos e ações envolvendo o livro aconteçam entre os meses de julho e agosto, quando também se comemora o Dia Nacional da Visibilidade Lésbica.  A obra tem como tema central a memória e inclui em todo o processo a diversidade como mote: com autoras e textos que trafegam no hibridismo entre contos e poemas, vindos de todas as partes do Brasil, contemplando a multiplicidade de raças, regiões e sexualidade.  O lançamento conta com a participação das autoras e no dia 28, além ...

Leia mais

Exposição virtual: Adé Dudu: Caminhos LGBT+ na luta negra

Com muita satisfação, anunciamos a abertura da Exposição "Adé Dudu: Caminhos LGBT+ na luta negra” no Google Arts & Culture No dia 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBT+, apresentamos a exposição “Adé Dudu: Caminhos LGBT+ na luta negra”. A partir de arquivos privados, documentos públicos e entrevistas com remanescentes e apoiadores contruímos a história do “Adé Dudu: grupo de negros homossexuais”. O grupo construiu uma sólida reflexão e traçou importantes mecanismos de atuação para combater e evidenciar o preconceito contra os negros homossexuais em Salvador, nos anos 1980. A articulação entre os movimentos sociais do período, as formas de reprodução do racismo e da homofobia, as estratégias para combater o “duplo preconceito” e a cidade criada para vivenciar a homossexualidade estão presente ao longo da exposição, que ainda aborda a importância do direito à memória dos homossexuais negros que agiram, lutaram e existiram nessa sociedade racista e LGBTfóbica. ...

Leia mais
Jay-Z posa com a mãe, Gloria Carter, em evento de caridade de Nova York (Foto: Kristina Bumphrey / AP)

Jay-Z diz que discutir homossexualidade da mãe em música melhorou relação entre eles: ‘mudou a dinâmica’

A faixa "Smile", do álbum 4:44 (2017), de Jay-Z, fala sobre a sexualidade da mãe do cantor, Gloria Carter. De acordo com o astro do rap, sua mãe estava relutante em assumir publicamente a homossexualidade na música do filho, mas abordar o assunto melhorou o relacionamento entre os dois.  Em recente aparição no programa The Shop: Uninterrupted, Jay-Z revelou que, inicialmente, sua mãe não queria se expôr dessa maneira, mas mudou a decisão. "Quando ela ouviu essa música pela primeira vez, ela ficou super defensiva." relembrou o rapper.  "Eu estava em Los Angeles e ela voou para lá. Nós conversamos sobre isso e ela disse: 'Não," relatou Jay-Z. "Então, quando ela veio me visitar em Los Angeles novamente, ela escreveu um poema em um bloco de notas da American Airlines e me entregou.", contou o astro sobre receber permissão da mãe para abordar o tema na canção.  "Isso mudou a dinâmica do nosso relacionamento", concluiu Jay-Z.  ...

Leia mais
A deputada estadual Erica Malunguinho (PSOL), em retrato feito na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) Imagem: Bruno Santos/Folhapress

Érica Malunguinho: “Trans têm mais a oferecer do que apenas pautas LGBTs”

Dois anos depois de dar a Érica Malunguinho (PSOL) o título de primeira deputada transexual do país, São Paulo terá parlamentares trans também na Câmara dos Vereadores — e não uma, mas quatro de uma só vez: Érika Hilton (PSOL), Thammy Miranda (PL), Carolina Iara (parte da candidatura coletiva Bancada Feminista, do PSOL) e Samara Sosthenes (parte da candidatura coletiva Quilombo Periférico, também do PSOL). "É a continuidade de uma luta histórica antiga e nada mais justo que a gente alcance esses espaços", comemora Malunguinho, em sua condição de pioneira. Em entrevista à Universa, a deputada reconhece a importância de sua eleição, acredita que um dia a política institucional tenha "a cara da população brasileira", lembra os maiores desafios e dá um conselho para os transexuais que vão assumir o primeiro mandato em janeiro: "Continuem, sigam em frente". UNIVERSA: Como você vê o resultado dessa eleição em termos de representatividade? ...

Leia mais
(Foto: @EZEKIXL/ Nappy)

Representatividade na propaganda ainda está longe do ideal, diz pesquisa da ONU Mulheres e Heads Propagands

O cenário de polarização e a legitimação de discursos que diminuem, desvalorizam e esvaziam pautas identitárias, de raça e de gênero se refletem na publicidade. É o que mostra a 9ª onda da pesquisa TODXS, um estudo desenvolvido pela ONU Mulheres e pela Heads Propaganda, viabilizado pela Aliança Sem Estereótipos, movimento que visa conscientizar anunciantes, agências e a indústria da propaganda em geral sobre a importância de eliminar os estereótipos nas campanhas publicitárias. Desde a primeira edição do estudo em 2015 até agora, já foram avaliadas 22.253 inserções de comerciais de televisão e 5.769 posts no Facebook. Se havia um movimento para que essa comunicação das marcas pudesse desconstruir imagens e padrões que estimulam violências físicas, simbólicas ou morais, o momento atual é de retrocesso e estagnação. O levantamento tradicionalmente mapeia como gênero e raça são representados pela publicidade brasileira e este ano traz dados inéditos sobre a representação de ...

Leia mais
Ievgeniia/Adobe

Homens gays, precisamos estar atento à nossa masculinidade tóxica

Que a masculinidade tóxica sempre foi um problema todos nós sabemos. O que pessoas poucas sabem é que, assim como os heterossexuais, homens gays também podem ser machistas. Porque mesmo que a gente se aproxime, muitas vezes, muito mais das mulheres do que dos homens, por empatia, identificação ou por nos sentir mais confortáveis e aceitos, o machismo é uma norma na qual somos forjados e instruídos da pior forma, e ele não é seletivo ao ser perpetuar. Afinal, recebemos valores e ideias machistas desde a infância, muito antes da descoberta da nossa sexualidade, e crescemos reproduzindo esses comportamentos depois, inclusive, de descobri-la, posto que orientação sexual não é escudo para não reproduzir determinados comportamentos. E por mais que a gente tente conhecer e entender as pautas feministas, nossa masculinidade, enquanto construção social, sempre estará presente. Não estamos imunes da masculinidade tóxica, colegas, só porque somos gays, mesmo que isso ...

Leia mais
Naiá Braga / TV Bahia

Um risco a frente: a banalidade das mortes

Março foi um mês atípico. Abril tem demonstrado que a normalidade dos dias é um sonho ainda distante. Os gráficos com mortos e contaminados tem postergado qualquer fio de esperança. Novos cotidianos são instaurados: checagens térmicas, lojas fechadas, isolamentos, saudades. Também novos debates: negacionistas usam das mais cínicas das máscaras para nos dizer das desigualdades e dos limites de alguns para manterem o isolamento. Reivindicam o retorno da economia como se tal medida expressasse apenas a preocupação em atender o alto número de trabalhadores do Brasil que atuam na informalidade nos últimos anos. Apesar de falaciosas, as preocupações negacionistas chamam a atenção para cenários reais: as pessoas ainda estão nas ruas. Noticiários mostraram primeiro a exposição de grupos mais empobrecidos nas filas para recebimento de doações de cestas básicas em Salvador. Mais tarde, no Rio, sujeitos desconhecedores de smartphones e ainda não integrados à moderna sociedade da informação se aglomeraram ...

Leia mais
Foto: @jmavision/Reprodução Instagram

Queens negras de RuPaul lançam show pra celebrar beleza e cultura afro

A performance celebrará a excelência negra e estrelará algumas das drags negras mais notáveis ​​da história do reality. A turnê se promoveu com a hashtag #BlackQueensMatter. A descrição do programa diz: “Junte-se a Bebe Zahara Benet, Bob, a Drag Queen, Monique Heart, Peppermint, The Vixen e Shea Coulee para a estréia mundial histórica de NUBIA. Esse novo show é uma celebração da opulência, da realeza e da excelência negra pura”. “Apresentando cinco das rainhas mais célebres da história da drag, a NUBIA é uma extravagância ao vivo em voz alta e marcante, mostrada diretamente em face da divisão racial e da divisão política”. Em um release da apresentação, Peppermint diz: “Rainhas negras importam porque agora estamos em um momento em que as pessoas estão começando a reconhecer e valorizar o trabalho e o universo drag”. Então ela explica: “Como indústria, como economia, como empresa, é hora de as pessoas perceberem ...

Leia mais
Daniel Kalleb, Caio Riscado e Caio Prado: felizes em se expressar como bem entendem Foto: Ana Branco / Agência O Globo

Gays efeminados relatam rotina de discriminação e contam como se fortaleceram

Preconceito é alto dentro da própria comunidade LGBT e já é estudado em universidades como "efeminofobia" Por Eduardo Vanini, do O Globo Daniel Kalleb, Caio Riscado e Caio Prado: felizes em se expressar como bem entendem Foto: Ana Branco / Agência O Globo Ao mudar de escola, quando ingressou na quinta série do ensino fundamental, o produtor de moda e relações-públicas Daniel Kalleb decidiu ficar quietinho em sala de aula “para ninguém zoar”, prevendo o bullying que iria sofrer. Não adiantou. “A primeira pessoa a esbarrar comigo já me chamou de veado. Foi quando entendi ser efeminado”, recorda-se o rapaz, sobre algo que escutaria pelo resto da vida, na forma de julgamento. Mesmo diante dos avanços sociais e da presença de ícones LGBTs no mundo pop, “botar a cara no sol” costuma ser mais difícil e implica em riscos para gays efeminados. Junto às transexuais, eles ...

Leia mais
GEOVANA BEMBOM/METRÓPOLES

Projeto de lei assegura acesso de casais LGBTs a programas do GDF

Proposta em tramitação na Câmara Legislativa leva em conta decisão do STF que reconhece a união entre pessoas do mesmo sexo como família Por Suzano Almeida, do Metrópoles Foto: GEOVANA BEMBOM/METRÓPOLES Um projeto de lei em tramitação na Câmara Legislativa assegura aos casais LGBTIs os mesmos direitos em programas do Governo do Distrito Federal (GDF) dados aos heterossexuais. A proposta do deputado Claudio Abrantes (PDT) baseia-se em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, desde 2011, reconhece civilmente a união homoafetiva como modelo de família. O Projeto de Lei n° 881/2016 foi aprovado em 9 de outubro pela Comissão de Direitos Humanos (CDH) e aguarda o parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para seguir ao plenário. “Esse projeto nasceu de uma demanda natural da nossa sociedade. Estamos falando de cidadãos, como todos os outros, que produzem e pagam seus impostos. Então, tendo em vista ...

Leia mais
O aborto e o casamento gay entraram em vigor nesta terça-feira (22) na província britânica da Irlanda do Norte. (Foto; SIMON GRAHAM/AMNESTY INTERNATIONAL/via REUTERS)

Em um único dia, aborto e casamento gay são legalizados na Irlanda do Norte

O aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo foram legalizados na Irlanda do Norte por decisão do Parlamento britânico. O direito entrou em vigor nesta terça-feira (22), apesar de uma última tentativa simbólica da oposição, lançada por deputados da Assembleia regional norte-irlandesa. No RFI O aborto e o casamento gay entraram em vigor nesta terça-feira (22) na província britânica da Irlanda do Norte. (Foto: SIMON GRAHAM/AMNESTY INTERNATIONAL/via REUTERS) Ao contrário do resto do Reino Unido, onde o aborto é autorizado desde 1967, na Irlanda do Norte a prática era ilegal, exceto em casos em que a gravidez ameaçasse a vida da mãe. O casamento entre pessoas do mesmo sexo também era proibido. Sem Executivo regional desde 2017, por conta de um escândalo político-financeiro, os temas cotidianos da Irlanda do Norte são administrados por Londres. Por conta desta situação, em julho passado, os deputados britânicos ...

Leia mais

“Ser a primeira trans paraibana a pisar no tapete vermelho de Cannes foi marcante” diz Danny Barbosa

O filme Bacurau, premiado em maio pelo júri no Festival de Cannes (França), Festival de Cinema de Munique (Alemanha) e Festival de Lima (Peru), chegou finalmente às telas brasileiras e por muito pouco não entrou para a lista do Oscar como melhor longa estrangeiro. A película é dirigida pelos cineastas pernambucanos Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho, este último também diretor de “Aquarius”, que se tornou conhecido internacionalmente após um protesto em Cannes contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. “Bacurau” se passa num pequeno vilarejo do sertão nordestino, em que após a perda da matriarca, os moradores se dão conta que a cidade desapareceu do mapa. Sônia Braga é mais uma vez a protagonista do filme de Mendonça Filho que essencialmente fala sobre resistência. Como parte do elenco, está a primeira atriz trans paraibana que pela primeira vez pisou em Cannes: Danny Barbosa. Em conversa com a coluna Geledés ...

Leia mais

Parada LGBT reúne 3 milhões de pessoas em São Paulo

Durante a abertura do evento, o público gritou frases contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) Por LARISSA RODRIGUES, do Metrópoles  Foto: Daniel Teixeira/Estadão  A 23.ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, considerada a maior do mundo, reuniu cerca de 3 milhões de pessoas na Avenida Paulista, em São Paulo. O número de participantes foi informado pela organização do evento. Ao todo, 19 trios elétricos desfilaram pelo local durante mais de 7 horas. A concentração ocorreu a partir das 10h, na frente do Museu de Arte de São Paulo (Masp), depois a passeata desceu a Rua da Consolação e foi até a Praça Roosevelt. Atração mais aguardada do dia, a cantora Melanie C, ex-Spice Girl, encantou o público a subir em um dos trios. Ela agradeceu o carinho recebido. “Estou muito feliz de estar de volta a São Paulo, um lugar que sempre foi generoso ...

Leia mais
Foto--Dani-Villar

“Ser líder negra é ser infinita, como toda grande força”, diz Neon Cunha

Geledés no Debate inicia 2019 entrevistando Neon Cunha, ativista, publicitária, diretora de arte, negra e trans, ela se tornou conhecida nacionalmente ao entrar com uma ação pedindo morte assistida, caso não fosse aprovada a mudança de seu nome civil. Em 2016, Neon se tornou a primeira mulher trans a mudar de nome e gênero sem a exigência de laudo e sem realizar a cirurgia de redesignação genital, após negar o diagnóstico de transtorno da disforia de gênero. Uma luta que era individual se tornou uma vitória coletiva. Como ela conta aqui, seu principal objetivo era “mudar o processo que estava associado as questões do Protocolo Transsexualizador”. Neon é um nome grego e significa novo. A terceira filha mais velha de uma família de dez filhos relata o apoio e afeto recebidos de sua mãe, faxineira, a quem revelou aos dois anos e meio de idade que era uma menina. Sofrendo ...

Leia mais
Foto: Sérgio Zacchi

“A chapa 11 é o direito à voz e a vez das advogadas negras”, diz Raquel Preto

Raquel Preto compõe como tesoureira a chapa "Coragem e Inovação", liderada pelo atual secretário-geral da OAB de São Paulo, Caio Augusto, para concorrer à presidência da entidade no próximo dia 29. O grupo que recebeu o número 11 conta com a maior participação de mulheres: 36% com lideranças de várias áreas. Em entrevista à coluna Geledés no debate, a advogada fala sobre a importância de se ter nessa chapa um bloco voltado especificamente à advocacia negra e ainda contar com a representação dos LGBTI+. Graduada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), com Doutorado em Direito Tributário pela USP, Raquel Preto ainda discorre sobre o poder de transformação da presença feminina na cúpula das empresas, principalmente nos conselhos administrativos. Geledés- O advogado Caio Augusto registrou, no dia 16 de outubro, a chapa "Coragem e Inovação" para as eleições da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ...

Leia mais
Página 1 de 2 1 2

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

No Content Available

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist