Na Rio+20, governo brasileiro e ONU Mulheres firmam cooperação Sul-Sul em igualdade de gênero

Serão investidos três milhões de dólares, doados pelo governo brasileiro, para a execução de projetos nas áreas de paz, segurança, proteção social e empoderamento das mulheres

 
Com ONU Mulheres

O governo brasileiro e a ONU Mulheres – Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres firmaram nesta terça-feira (19/06), no Rio de Janeiro, acordo que estabelece a cooperação Sul-Sul na área de igualdade de gênero. O documento foi assinado pela diretora-executiva da ONU Mulheres, Michelle Bachelet, e o ministro Marco Farani, da Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

Entre as autoridades presentes, estavam a ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR); ministra Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir); e a representante da ONU Mulheres Brasil e Cone Sul, Rebecca Tavares.

O acordo pretende fazer avançar a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres em programas nas áreas de paz, segurança e proteção social. Serão investidos três milhões de dólares, doados pelo governo brasileiro, para a execução de programas em um período de três anos, após a aprovação dos projetos nacionais.

No ato, a ministra Eleonora Menicucci destacou a importância do acordo pelo fato de “as Nações Unidas representarem respeito à soberania das nações”. A diretora-executiva da ONU Mulheres, Michelle Bachelet, apontou que o “Brasil pode jogar um papel muito importante nos lugares e circunstâncias onde se constatem preconceitos”.

Para a ministra Luiza Bairros, da Seppir, os países participantes destes acordos sempre ganham com essa troca. Segundo ela, na questão da participação política, os países africanos podem servir de referência ao Brasil: Angola, para citar um exemplo, tem 44% de participação parlamentar das mulheres.

Já ministro Farani, da ABC, ressaltou o componente agregador das Nações Unidas: “A vantagem de trabalhar com a ONU num acordo é pela sua visāo supranacional”.

Por meio do programa, a ABC e a ONU Mulheres vão responder a necessidades e solicitações de cooperação dos governos e da sociedade civil na África, América Latina e o Caribe. Solicitações de cooperação devem ser feitas a embaixadas brasileiras ou a escritórios da ONU Mulheres nos países. De acordo com as partes, será composto comitê técnico para seleção dos projetos e formulação de planos detalhados para cada iniciativa.

Comunicação Social
Secretaria de Políticas para as Mulheres – SPM
Presidência da República – PR
Participe das redes sociais: www.facebook.com/spmulheres e www.twitter.com/spmulheres

 

Fonte: Spm

+ sobre o tema

Não precisamos de Princesa Isabel! (Agora é que são elas!)

Neste início de novembro, nós homens com espaços nos...

Marielle presente na eleição

A presença de Marielle Franco nas eleições de 2018...

H.E.R. fala sobre violência assédio e empoderamento feminino: “Temos que entender o nosso poder”

Gabriella Wilson, mais conhecida como H.E.R., está em um dos melhores...

Identidade e resistência: mulheres negras combatem padrões de beleza

Manifesto Crespo: Encontro em aldeia guarani, em SP, compartilha...

para lembrar

Veja perguntas e respostas sobre o julgamento da união gay pelo STF

Supremo reconheceu a união estável entre casais do mesmo...

Brasil registrou 124 assassinatos de pessoas transgênero em 2019

Dados são divulgados no Dia Nacional da Visibilidade Trans Por...

Meu feminismo está cansado

Sabe quando você olha para o lado, olha para...

“As Meninas Superpoderosas” voltará à TV e terá luta contra o machismo

“As Meninas Superpoderosas”, um dos desenhos mais famosos do...
spot_imgspot_img

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...

Em reunião com a ministra das Mulheres, movimentos denunciam casos de estupros e violência em abrigos para atingidos pelas enchentes no RS

Movimentos feministas participaram de uma reunião emergencial com a ministra da Mulher, Cida Gonçalves, no final da tarde desta terça-feira (7), de forma online....

Documentário sobre Ruth de Souza reverencia todas as mulheres pretas

Num dia 8 feito hoje, Ruth de Souza estreava no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O ano era 1945. Num dia 12, feito...
-+=