Não deixe de AMAR! Projeto Psicopretas precisa da nossa colaboração

A AMAR – Associação de Mulheres de Ação e Reação – é uma iniciativa coletiva de mulheres pretas que busca cuidar do povo preto. Elas desempenham esse exercicio através de seus dois projetos: o projeto Batuque Matriarcal, que consiste em oficinas semanais gratuitas de instrumentos de percussão (xequerê, agogô, atabaque, pandeiro…), e o projeto Psicopretas, que neste momento precisa da nossa colaboração.

Do 

O Psicopretas acolhe mulheres negras, desgastadas energica, psicologica e fisicamente; violentadas e desassistidas pelo sistema, oferecendo tratamento psicológico através de terapias holísticas, pelo preço que as pacientes puderem pagar. Um trabalho precioso e indispensável para a saúde mental do nosso povo.

As mulheres da AMAR realizam o projeto na Avenida Presidente Vargas, 1146, Sala 407, Centro. Um ótimo lugar, e muito bem localizado. No entanto, os custos do aluguel e dos materiais de uso excedem o valor que elas conseguiriam pagar, e elas correm o risco de perder o local. São 22 mulheres envolvidas no projeto e elas já atenderam mais de 3000 pacientes em 5 anos, mas para continuarem atendendo e fazendo esse trabalho incrível, precisam da nossa colaboração.

A campanha vai até este domingo 12/fevereiro e é tudo ou nada! Para colaborar, acesse https://benfeitoria.com/amar e divulgue para ajudar o projeto a alcançar a meta.

“Se a familia é nosso primeiro quilombo, cuidar da mulher negra é garantir a manutenção de um projeto emancipador coletivo.” comenta Caroline Amanda, graduanda na UFRJ.

+ sobre o tema

para lembrar

Ana Paula Xongani estreia no GNT e se torna primeira brasileira com dreads em campanha de cabelos

A influenciadora digital fez os dreads durante uma viagem...

Precisamos reconhecer nossa palmitagem

Muito se tem discutido sobre a solidão da mulher...

Morre em Salvador a líder religiosa Makota Valdina

A educadora, líder religiosa e militante da causa negra,...

Um dia histórico para o Movimento das Mulheres

Ontem foi um dia histórico para o Movimento de...
spot_imgspot_img

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Comida mofada e banana de presente: diretora de escola denuncia caso de racismo após colegas pedirem saída dela sem justificativa em MG

Gladys Roberta Silva Evangelista alega ter sido vítima de racismo na escola municipal onde atua como diretora, em Uberaba. Segundo a servidora, ela está...

Uma mulher negra pode desistir?

Quando recebi o convite para escrever esta coluna em alusão ao Dia Internacional da Mulher, me veio à mente a série de reportagens "Eu Desisto",...
-+=