Não tá tranquilo nem favorável para os direitos humanos

Fundo Brasil lança campanha para mobilizar a sociedade na luta por direitos e contra as ameaças de retrocessos.

Enviado para o Portal Geledés 

Celebridades e importantes ativistas já aderiram: Fabiana Cozza, Letícia Sabatella, Luana Hansen e Drica Ferreira, Sueli Carneiro (Geledes), Lúcia Xavier (Criola) e Jurema Werneck (Fundo Brasil de Direitos Humanos / Criola), Mafoane Odara (Fundo Brasil de Direitos Humanos / Instituto Avon), entre outras.

Participe você também: naotatranquilonaotafavoravel.org

direitos humanos1

Ao contrário do que diz o refrão do funk famoso, para os direitos humanos a situação não está tranquila nem favorável no Brasil. A forte atuação de forças conservadoras ameaça direitos conquistados nas últimas décadas e cria um cenário de retrocessos.

direitos humanos3

A atual agenda política conservadora coloca em questão avanços que o país fez a partir da Constituição de 1988, um marco institucional do reordenamento da sociedade após a ditadura militar.

Como exemplos desse retrocesso é possível citar as repressões oficiais a manifestações de jovens estudantes, os assassinatos de jovens e até crianças por forças policiais, os conflitos que ameaçam as conquistas de terras indígenas e a violência contra mulheres e população LGBT.

direitos humanos4 direitos humanos5

Nesse contexto, o Fundo Brasil de Direitos Humanos lança a campanha #NãoTáTranquiloNãoTáFavorável, que busca a mobilização da sociedade a favor da luta por direitos e do próprio fortalecimento.

O objetivo é conquistar o apoio da população para causas como o fim da violência praticada contra a juventude negra, o fim da homofobia e do machismo, por exemplo.

Há várias formas de participar da mobilização: enviar selfies ou vídeos; criar hashtags ou utilizar as que estão disponíveis no hotsite; baixar imagens para usar no Facebook ou compartilhar a campanha com amigos por meio das redes sociais.

direitos humanos7

“Vivemos um momento em que apoiar ideias transformadoras e lideranças coletivas é fundamental. O período é de transição, pautado pelo diálogo entre a geração que conquistou direitos e segue lutando e a geração que quer preservá-los e busca novas conquistas”, afirma Ana Valéria Araújo, coordenadora do Fundo Brasil.

A campanha já conta com a participação de várias celebridades e ativistas: Fabiana Cozza, Letícia Sabatella, Luana Hansen e Drica Ferreira, Sueli Carneiro (Geledes), Lúcia Xavier e Jurema Werneck (Criola), Mafoane Odara (Fundo Brasil de Direitos Humanos), entre outras.

direitos humanos6

Fundo Brasil

O Fundo Brasil é uma fundação independente, sem fins lucrativos, que tem a proposta inovadora de construir mecanismos sustentáveis para destinar recursos a defensores e defensoras de direitos humanos em todas as regiões do pais.

A fundação atua como uma ponte, um elo de ligação entre organizações locais e potenciais doadores de recursos.

Em quase dez anos de atuação, a fundação já destinou R$ 12 milhões a cerca de 300 projetos em todas as regiões do país. Além da doação de recursos, os projetos selecionados são apoiados por meio de atividades de formação e visitas de monitoramento que fortalecem as organizações de direitos humanos.

PARTICIPE: naotatranquilonaotafavoravel.org

Saiba mais

Site: www.fundodireitoshumanos.org.br

Facebook: www.facebook.com/fundobrasil

Twitter: twitter.com/fundobrasil

+ sobre o tema

Famílias de baixa renda podem solicitar parabólica digital gratuita

Famílias de baixa renda de 439 municípios podem solicitar...

CNDH denuncia trabalho escravo em oficinas de costura em São Paulo

Uma comitiva do Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH)...

20 anos do ECA: iniquidades e violência são grandes desafios

O escritório do Fundo das Nações Unidas para a...

Senado aprova fim de revista manual a visitantes em presídios

Projeto da senadora Ana Rita (PT-ES), aprovado na CCJ,...

para lembrar

Obrigado, Feliciano!

por  Eduardo d´Albergaria Há pelo menos 3 décadas, o fundamentalismo religioso...

Prisões de ativistas ferem cláusula pétrea do Estado de Direito, por Marcelo Cerqueira

“Mais respeito à democracia” Um dos grandes defensores das liberdades...

Bagatela conta histórias de mulheres presas por pequenos furtos

No documentário Bagatela de Clara Ramos, são conhecidas as histórias...
spot_imgspot_img

Ministério lança edital para fortalecer casas de acolhimento LGBTQIA+

Edital lançado dia 18 de março pretende fortalecer as casas de acolhimento para pessoas LGBTQIA+ da sociedade civil. O processo seletivo, que segue até...

PM matou 94% a mais na Baixada Santista; ‘Tô nem aí’, diz Tarcísio

"Sinceramente, nós temos muita tranquilidade com o que está sendo feito. E aí o pessoal pode ir na ONU, pode ir na Liga da...

Debate na ONU sobre a nova declaração de direitos da população afrodescendente conta com a presença de Geledés

Geledés - Instituto da Mulher Negra esteve presente na sede das Nações Unidas em Genebra, na Suíça, durante os dias 8 e 9 de...
-+=