Guest Post »

NOTA OFICIAL: Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as – ABPN

31 DE MARÇO DE 2018 – GOIÂNIA, GO
Sobre as Denúncias de Assédio Moral, Assédio Sexual e Estupro na UDESC

Do ABPN

A Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as – ABPN, diante das graves denuncias de desrespeito, agressões a mulheres, envolvendo um de seus membros, assim se manifesta.

A ABPN é uma associação civil, sem fins lucrativos, filantrópica, assistencial, cultural, científica e independente, tendo por finalidade o ensino, pesquisa e extensão acadêmico-científica sobre temas de interesse das populações negras do Brasil. Que tem por objetivos:

I – Congregar os Pesquisadores/as Negros/as Brasileiros/as;
II – Congregar os Pesquisadores/as que trabalham com temas de interesse direto das
populações negras no Brasil;
III – Assistir e defender os interesses da ABPN e dos sócios, perante os poderes públicos em geral ou entidades autárquicas;
IV – Promover conferências, reuniões, cursos e debates no interesse da pesquisa sobre temas de interesse direto das populações negras no Brasil;
V – Possibilitar publicações de teses, dissertações, artigos, revistas de interesse direto das populações negras no Brasil;
VI – Manter intercâmbio com associações congêneres do país e do exterior;
VII – Defender e zelar pela manutenção da Pesquisa com financiamento Público e dos Institutos de Pesquisa em Geral, propondo medidas para seu aprimoramento,
fortalecimento e consolidação;

VIII – Propor medidas para a política de ciência e tecnologia do País.

E assim tem seguido durante os seus 18 anos de existência como associação científica. Informamos ainda que chegamos ao X Congresso Brasileiro de Pesquisadores/as Negras/os e com uma agenda científica instaurada realizando os cinco congressos regionais onde reunimos: na região Sul (350 pesquisadores/as), na região Nordeste (450 pesquisadores/as); na região centro oeste (200 pesquisadores/as); na região Norte (150 pesquisadores/as) e na região sudeste (300 pesquisadores/as) o que denota a extensão e comprometimento de suas inserções.

Dito isso, vimos aqui nos pronunciar sobre os inquéritos abertos para apurar as denúncias de assédio moral, sexual e estupro impetrado por estudantes da UDESC contra um dos integrantes desta mesma instituição, associado ABPN e colaborador.

A ABPN, diante da perplexidade e consternação causadas pelas denúncias vem manifestar seu repúdio a toda e qualquer forma de violência e subordinação de raça, gênero e sexualidade, também repudia todas as opressões individuais e sociais contra mulheres negras, bem como de qualquer mulher, o que constitui um imperativo ético e jurídico inegociável.

Importante destacar que na cultura machista, racista e patriarcal a violência vem sendo historicamente utilizada como forma de punir as mulheres, sobretudo as mulheres negras, que buscam vivenciar livremente suas escolhas e autonomia, seja na esfera privada ou pública.

A busca da verdade é princípio e compromisso desta associação. Desta forma, nos posicionamos a favor da investigação de todas as denúncias de assédio moral, sexual e estupro promovidas pelas mulheres e jovens. Dada à gravidade da situação exigimos das autoridades competentes que providências quanto à apuração dos fatos sejam tomadas com rapidez e que todas as partes envolvidas tenham o direito de se pronunciarem e serem ouvidas.

Solidarizamo-nos com as mulheres que formalizaram queixa e lutam por justiça. Numa proposta de escuta, auxílio e fortalecimento de toda comunidade acadêmica envolvida nos atos e nos desdobramentos os/as associados/as à ABPN se colocam à disposição. Para tanto, iniciamos a composição de estratégias de ação:

  • a) Visando o apoio, acolhida e escuta das envolvidas junto às áreas científicas de SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA E FEMINISMOS NEGROS,
    b) Visando desenvolver ações de fortalecimento e apoio ao NEAB-UDESC junto aos coordenadores do consórcio de NEABS – CONNEABS.
    c) Visando a construção de uma ação coletiva que abarque questões relacionadas a diminuição do sofrimento gerado pela situação estamos em diálogo com o Instituto AMMA Psique e Negritude (entidade do movimento de mulheres negras).

Neste sentido, há de se avançar em direção à apuração da verdade e reafirmamos nosso compromisso radical com a defesa dos direitos das mulheres e nosso repúdio a qualquer espécie de violência contra a mulher.

 

Gestão 2016-2018
Profa. Dra. Anna Benite- Presidenta
Profa. Dra. Nicea Amauro-Secretária Executiva
Profa. Dra. Fernanda Bairros- Diretora de Relações Institucionais
Profa. Dra. Ana Beatriz Gomes- Diretora de Relações Internacionais
Profa. Dra. Raquel Amorim- Diretora de Áreas Acadêmicas

Related posts