Novo livro da Letramento busca identificar como as relações de gênero são configuradas em diferentes segmentos de raça e classe

Vivências e percursos de mulheres em situação de violência: um olhar interseccional 

Luana Pereira Da Costa 

Preço: R$ 54,90 

Editora: Temporada / Grupo Editorial Letramento (bit.ly/vivenciasepercursos)

Qual a influência das interseccionalidades de gênero, raça/cor e classe nas experiências e nas estratégias de mulheres em situação de violência? Essa é a pergunta da qual Vivências e percursos de mulheres em situação de violência: um olhar interseccional parte, mas que não pretende esgotar as respostas, senão lançar luz a possíveis caminhos na direção de sua melhor compreensão. 

Este livro é fruto da pesquisa de Luana durante seu Mestrado em Sociologia. A partir do conceito de interseccionalidade forjado por Kimberlé Crenshaw, Luana buscou identificar como as relações de gênero são configuradas em diferentes segmentos de raça e classe, a partir das experiências e estratégias das mulheres que viveram ou viviam, à época da pesquisa, situações de violência em suas relações íntimas de afeto. 

Para tanto, foram entrevistadas treze mulheres, com perfis tão diversos quanto foi possível. Mulheres negras, brancas, ricas e pobres, em suas diferenças e similitudes, cujas vivências e percursos foram analisados sob o olhar da interseccionalidade. 

Luana, em uma escrita aprofundada mas fluida e apresenta elementos empíricos para o desenvolvimento do conceito de interseccionalidade nas ciências sociais e no direito, a partir dos relatos das vivências e dos percursos de diferentes mulheres. 

A obra está disponível em pré-venda no site do Grupo Editorial Letramento (www.editoraletramento.com.br)

SOBRE A AUTORA

Luana Pereira Da Costa (Foto: Divulgação)

Luana Pereira da Costa é graduada em Ciências Jurídicas e Sociais e Mestre em Sociologia, ambos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É pesquisadora nas áreas de relações raciais e de gênero, direito e sociologia. É advogada, centrando sua atuação no direito antidiscriminatório, em especial quanto aos temas de gênero, sexualidade e raça/cor. 

Membro da Comissão Especial da Igualdade Racial – OAB/RS, Moderadora do Grupo de Estudos Direito e Relações Raciais da Escola Superior da Advocacia/RS e Membro do Woman in Law Mentoring. Sócia e Conselheira do Conselho Diretor da Themis – Gênero, Justiça e Direitos Humanos. 

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE.

+ sobre o tema

Viola Davis anuncia sua participação em ONG contra cultura do estupro

Poderosíssima, a atriz de “How to get away with...

O clube dos encoxadores

O que passa pela cabeça dos caras que atacam...

Brasília: Ação da Secretaria de Saúde conscientiza sobre violência contra mulheres

Violentômetro será disponibilizado por toda a rede de saúde...

para lembrar

Maria da Penha: “Ainda temos uma Justiça machista”

Maria da Penha Maia Fernandes tem 71 anos, boa...

Marcha na Maré reivindica lutas de Marielle Franco

Uma marcha com cerca de 2.500 pessoas no complexo...

Joice Berth

Um belo dia (ok não tão belo assim!) em...

Da prisão ao casamento: as relações homoafetivas em nove países das Américas.

Recém-aprovado no Equador, casamento entre pessoas do mesmo sexo...
spot_imgspot_img

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...

Em reunião com a ministra das Mulheres, movimentos denunciam casos de estupros e violência em abrigos para atingidos pelas enchentes no RS

Movimentos feministas participaram de uma reunião emergencial com a ministra da Mulher, Cida Gonçalves, no final da tarde desta terça-feira (7), de forma online....

Documentário sobre Ruth de Souza reverencia todas as mulheres pretas

Num dia 8 feito hoje, Ruth de Souza estreava no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O ano era 1945. Num dia 12, feito...
-+=