sexta-feira, agosto 14, 2020

    Tag: livros

    (Foto: Divulgação/ Jandaíra)

    Editora Pólen muda de nome e vira Jandaíra e Bambolê cria selo adulto

    A Pólen, fundada em 2001 como um escritório de prestação de serviços para editoras que virou editora em 2014, está mudando. Ela vai deixar este nome de lado e passará a se chamar Jandaíra. Jandaíra é o nome de uma espécie brasileira, nordestina, de abelha sem ferrão. Um nome de origem indígena que significa inseto que produz mel. A motivação foi judicial. A editora recebeu a notificação de uma empresa por causa de seu nome, que é o mesmo de um dos produtos dessa grande empresa. Entre gastar dinheiro com advogado e viver com medo de alguma ação, ela preferiu abandonar o nome e investir numa nova marca, que começa a aparecer nos livros que chegam nas livrarias nas próximas semanas e, em breve, no site, na loja virtual e por aí vai. O logo foi criado pela designer Adriana Campos, que procurou aliar "o acolhimento com as lutas que ...

    Leia mais
    blank

    Odo,O Livro Preto de Poesia de jovens da periferia será lançado na 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas.

    Em reunião com o gestor da pasta da Secretaria de Estado da Comunicação , Ênio Lins a coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas, Arísia Barros, fechou os acertos para o lançamento do Odo, O Livro Preto de Poesia. Por Arísia Barros, do Cada Minuto Imagem retirada do site Cada Minuto Odo é uma palavra africana, iorubá que significa jovem. E o livro é isso um ajuntamento poético de jovens [email protected] das periferias que reinventam e enfrentam , a partir da palavra escrita, as vulnerabilidades social, territorial e étnica. O livro é o resultado do Odo-Concurso Preto de Poesia para Jovens da Periferia, sob o tema: Eu, jovem [email protected], resisto e insisto”, idealizado pelo Instituto Raízes de Áfricas, com apoio do Governo do Estado de Alagoas. A proposta é que o livro seja lançado na 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas que acontece de 1º a ...

    Leia mais
    A historiadora Ana Flávia Magalhães Pinto, autora do livro: “Na liberdade, o exercício da cidadania era interditado cotidianamente a pessoas negras por conta do racismo”

    Livro revela papel de intelectuais negros contra o racismo e pela cidadania no Brasil oitocentista

    Contemplada no Prêmio Capes de Tese, pesquisa origina livro que destaca redes criadas por literatos e jornalistas Por PATRÍCIA LAURETTI, do Unicamp O primeiro censo demográfico realizado no Brasil do século 19 apontava para um dado importante: seis em cada dez pessoas pretas e pardas já viviam nas condições de livres e libertas, 16 anos antes do fim da escravidão. Esta maioria de mulheres e homens negros construiu experiências de liberdade na sociedade escravocrata constituindo redes até mesmo transnacionais de escritores, jornalistas e artistas que lutavam pelo abolicionismo e por projetos de cidadania. A história de integrantes dessas redes só não foi completamente negligenciada por força da excepcionalidade. Trajetórias como a de Luiz Gama ou José do Patrocínio, de Machado de Assis ou Chiquinha Gonzaga, são reconhecidas em suspensão, como descreve a historiadora Ana Flávia Magalhães Pinto, autora do livro Escritos da Liberdade: Literatos negros, racismo e cidadania no Brasil oitocentista (Editora ...

    Leia mais
    blank

    Explosão feminista: Heloisa Buarque de Hollanda faz mapeamento inédito dos novos feminismos em livro

    Aos 79 anos, a socióloga Heloisa Buarque de Hollanda não para. “Sou uma feminista das antigas, da ‘terceira onda’, mas sempre atenta ao presente e, principalmente, ao futuro. E o futuro será feminista”, diz ela, num dia de verão em Búzios (RJ). POR JULIANA SAYURI , da Revista Trip  Socióloga Heloisa Buarque de Hollanda (Foto: Marcelo Correa) Autora de mais de 45 livros e professora emérita da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a socióloga recentemente lançou Explosão feminista: arte, cultura, política e universidade. Em breve, publicará outros três títulos: Feminismo no Brasil – Textos Fundamentais e Pensamento Feminista – Fundamentos 1975-2015, que pretendem mapear as principais autoras feministas, e 25 Poetas, que apresenta autoras da poesia marginal, uma referência à sua clássica antologia 26 Poetas Hoje, organizada em 1976, durante a ditadura militar, e reeditada em 2007. Heloisa coordena o Programa Avançado de Cultura Contemporânea na Federal do Rio, onde desenvolve os ...

    Leia mais
    Mulheres lendo livro (Foto: LEONORA HAMILL VIA GETTY IMAGES)

    Como ler mais em 2019? Selecionamos 8 dicas para você

    A leitura não precisa ser solitária. Por Ana Beatriz Rosa, do HuffPost Brasil Mulheres lendo livro (Foto: LEONORA HAMILL VIA GETTY IMAGES) A leitura é vista, na maioria das vezes, como uma atividade individual. Mas isso não quer dizer que ela precise ser solitária. Os clubes de leitura têm raízes no século 18 e remontam à ideia dos grandes salões franceses, bem como às reuniões de mulheres que marcaram a história política dos Estados Unidos. Mas, atualmente, eles ganharam uma nova roupagem - e recebem cada vez mais adeptos reunidos com a ajuda das redes sociais. O advogado Pedro Pacífico, por exemplo, coordena o clube de leitura Book.ster no Instagram e já conta com mais de 70 mil seguidores ávidos pelas dicas de leituras e suas experiências com os textos. Ele conta que, antes de iniciar o perfil, usava como referência a lista de livros mais populares das livrarias ...

    Leia mais
    blank

    Maranhense Maria de Lourdes Siqueira lança livro na Feira do Livro

    A professora Doutora e escritora Maria de Lourdes Siqueira lança nesta terça-feira, às 17h30, o seu livro autobiográfico “A FLOR DA PELE”, na Feira do Livro de São Luís, que ocorre no Multicenter Sebrae, na avenida Jerônimo de Albuquerque (Calhau). Por Pedro Sobrinho, em seu blog   Professora e Escritora Maria de Lourdes Siqueira/Imagem retirada do site Pedro Sobrinho lém do lançamento do livro, haverá uma Roda de Conversa abordando o tema: “Consciência Negra, Igualdade Racial e Cultura”. Afinal, quem é Maria de Lourdes Siqueira, natural do município de Codó (MA), a professora Lourdinha como é carinhosamente conhecida entre os amigos mais íntimos ? Formação Educacional: Graduou-se em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Federal do Maranhão, 1964. Especialização em Comunicação Latino Americanas pelas Nações Unidas e Centro Regional de Educação, 1967; mestrado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1986. Doutorado em Antropologia Social e Etnologia pela Ecole des Hautes ...

    Leia mais

    10 livros imperdíveis sobre vivência lésbica (escritos por lésbicas!)

    De poesia a romance, passando pelos contos, conheça ótimos títulos que falam sobre mulheres que amam mulheres. Por Júlia Warken Do MDE Mulher (Divulgação/Ile Machado/MdeMulher) A literatura faz a gente aprender mais sobre o que conhecemos pouco e isso não tem preço, mas ela também tem o poder de nos envolver num abraço apertado quando as palavras impressas num livro falam sobre vivências e sentimentos parecidos com os nossos. “Se a gente se emociona e busca até algum consolo pras nossas próprias perdas lendo histórias hétero, imagina o efeito de uma história sapatão na gente”, comenta Cecília Floresta, escritora e pesquisadora na área das Letras, há mais de três anos se dedica a fazer um levantamento da literatura com temática lésbica. Nesse caso, ela fala sobre o romance “Como esquecer: anotações quase inglesas”, de Myriam Campello. Pedimos à Cecília e também à escritora Natalia Borges Polesso para indicarem livros que giram em torno do ...

    Leia mais
    blank

    Secretaria de Cultura do Pará altera cartaz de Feira do Livro após polêmicas envolvendo racismo

    Programação também foi alvo de críticas por não incluir autores regionais, mulheres, negros e indígenas. A abertura do evento da Feira é nesta sexta, 27, em Marabá e faz parte da Feira do Livro Do G1 Cartaz de evento da Feira do Livro é alvo de críticas apontando racismo em representação de mulher negra carregando livros. (Foto: Reprodução / Secult) Um cartaz da XXII Feira Pan-Amazônica do Livro, que tem abertura nesta sexta-feira (27) em Marabá, sofreu alterações após críticas. A peça de divulgação do Salão do Livro Circuito Sul e Sudeste do Pará destacava a imagem de uma mulher negra carregando livros na cabeça e gerou revoltas. A programação da Feira também foi alvo de reclamações pela falta de mulheres escritoras, negros e indígenas entre os convidados e homenageados. O evento ocorre no sudeste do estado, e assim como o Circuito do Baixo Amazonas, faz ...

    Leia mais
    blank

    Duas faces de uma mesma prática

    “A leitura é muito mais do que decifrar palavras. Quem quiser parar pra ver pode até se surpreender: vai ler nas folhas do chão, se é outono ou se é verão; nas ondas soltas do mar, se é hora de navegar; e no jeito da pessoa, se trabalha ou se é à-toa…” Por Raulino Júnior Do O Professor Web O trecho acima, do poema Aula de Leitura, do escritor, ilustrador e pesquisador paulista Ricardo Azevedo, mostra como a leitura é uma prática que nos enche de possibilidades de ver o mundo. Através dela, a gente decifra tudo, até as coisas consideradas mais difíceis. Por mais clichê que pareça, para quem lê, a vida tem outra face e várias facetas. Quem lê, de fato, se torna possível e passível; porque leitura é sentimento. Fig. 1: Família “Leitura e Escrita” (da esquerda para a direita): Rodrigo de La Rocha, Diego Santoro, Elaine Camacã, Alex ...

    Leia mais
    blank

    Lançamento do livro Ajeum – o sabor das Deusas

    O Coletivo Mulheres de Ori e o Ilê Asé Osun Obá Oshe Boiadeiro Sete Montanha e Bara Toco Preto convidam para o lançamento do livro "Ajeum - o sabor das deusas". Enviado para o Portal Geledés  O lançamento será realizado no dia 26 de maio - sexta-feira -, às 19h, no Ilê Asé Osun Obá Oshe Boiadeiro Sete Montanha e Bara Toco Preto, localizado na Rua Tomaz de Aquino Pereira 111, Alto da Ponte Rasa. ​​ PROGRAMAÇÃO: Abertura com o Babaloorisa Jorge Lúcio de Sàngó e a Mãe Dofonitinha D'Òsùn e o Coletivo Mulheres de Orí INTERVENÇÃO POÉTICA COM Gabriela Martins Suilan de Sá Nica Akins kintê Cafuso DISCOTECAGEM Bia Sankofa SOBRE O COLETIVO MULHERES DE ORÍ Coletivo de mulheres que lutam em prol de melhores condições de vida das mulheres pretas da classe trabalhadora. Utilizam as artes integradas como ferramenta para promover o debate sobre questões de gênero, raça/etnia ...

    Leia mais
    blank

    Um livro infantil para crianças cacheadas e crespas!

    Um dia me falaram que existia cabelo ruim. Mas por quê? Cabelo bom é o quê? Cabelo bom é o que nasce, cresce e cai Nasce de novo e por aí vai…. Que protege, penteia e enfeita Que ilumina, enrola e me deixa satisfeita Cabelo bom é esse aqui Que me faz menina, alegre e perfeita! Se é assim, todo cabelo é bom! Cada um do seu jeito, Cada um com seu direito Grande, pequeno, liso ou enrolado Branco, preto, vermelho, amarelo ou, até, azulado Cabelo bom é o meu Porque é com ele que eu posso fazer um lindo penteado. Bem enfeitado. Por  VIVI NAJJAR , do ALÉM DA JUBA Divulgação Preocupado com o bullying que sofrem as crianças cacheadas e crespas de todo o Brasil, o diretor da empresa brasileira de beleza Yenzah, Rodrigo Goecks escreveu o livro infantil “Cabelo bom é o quê?”.   Quebrando o paradigma de que ...

    Leia mais
    blank

    Reimpressa a obra que revela a poética do delírio em Arthur Bispo do Rosário

    Uma trajetória composta pela esquizofrenia, paranoia, inspirações que alegam outro sentido à vida, emoção. Essa é a história do artista Arthur Bispo do Rosário. Sergipano descendente de negros católicos, passou boa parte de sua jornada desenvolvendo objetos como miniaturas, escritos, vestimentas, bordados e seu principal trabalho, o Manto da apresentação. Da Editora Unesp  Inspirada na relação entre a arte e a loucura, Marta Dantas resgata, em Arthur Bispo do Rosário: a poética do delírio, obra que acaba de ser reimpressa, a vida e obra do artista falecido em 1989 e revela o objetivo de Rosário como análogo ao seu projeto surrealista: a vida transformada em arte. Articulando Ciências Humanas, Estética e História da Arte, a obra trabalha com uma perspectiva que transcende o convencional, com base nas trilhas nebulosas e rastros biográficos do artista, a fim de extrair seus temas, materiais, técnicas, tendências estilísticas e seus compromissos críticos que autodefinem sua singularidade. ...

    Leia mais
    blank

    Livro ‘Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes’ conta a trajetória de 100 mulheres extraordinárias

    Cada vez mais, as histórias de princesas indefesas esperando pelo seu príncipe estão abrindo espaço para histórias verdadeiras, de mulheres inspiradoras que pensaram à frente de seu tempo. São essas mulheres que ocupam as páginas do livro Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes. Do Hypeness  Lançada este mês, a publicação conta a história de 100 mulheres extraordinárias. São artistas, cientistas, estilistas, políticas… Enfim, mulheres rebeldes que souberam deixar a sua marca no mundo e hoje servem de inspiração para que meninas de diversas idades saibam que suas habilidades não precisam ser definidas por seu gênero. “Em Histórias de ninar para garotas rebeldes, tudo o que podemos sentir é esperança e entusiasmo pelo mundo que estamos construindo. Um mundo onde gênero não defina quão alto você pode sonhar nem quão longe você pode ir.“, define a apresentação do livro no site da V&R Editoras, responsável pela publicação. Por enquanto, a obra ...

    Leia mais
    blank

    Convite: O Pensamento Africano no Século XX

    Convite lançamento do livro O Pensamento Africano no Século XX no dia 9 de fevereiro às 19h na livraria da Editora Expressão Popular Divulgação Enviado para o Portal Geledés  Autor : José Rivair Macedo (org.); autores africanos e brasileiros. Prefácio de Severino E. Ngoenha. Introdução de José Rivair Macedo. ISBN: 978-85- 9482-000- 6 Páginas: 370 Peso: 433 g Formato: 14 x 21 cm 1ª edição: julho de 2016 Preço: R$ 35,00   SINOPSE “Durante os períodos da colonização europeia, descolonização e reorganização das sociedades africanas, ao longo dos séculos XIX/XX, diversos intelectuais nascidos na África apropriaram-se de um vasto conjunto de referenciais teóricos, conceituais e metodológicos, empregando-os para expressar a posição de seus coetâneos em relação ao mundo. Paralelamente aos saberes orais tradicionais, e à experiência vivida que orientavam as formas de organização sociocultural dos povos anteriores ao período de predomínio europeu, ganhou corpo um novo tipo de saberes, eruditos, fundados em pressupostos acadêmicos, científicos, ...

    Leia mais
    blank

    6 Livros sobre Racismo que todo mundo deveria ler

    O racismo é um tema muito importante em todo o mundo. Estes livros contam histórias reais ou de ficção abordando o tema do racismo e são recomendados para todos os que pretendem compreender melhor o racismo e combater o preconceito. Do Significados O Sol é Para Todos, de Harper Lee Imagem: Reprodução/Significados Este livro aborda o tema do racismo e injustiça através da história de um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos anos 30 nos Estados Unidos. O Sol é Para Todos ganhou o Prêmio Pullitzer e foi eleito por várias publicações como um dos melhores romances do século XX. A Resposta, de Kathryn Stockett Imagem: Reprodução/Significados Com mais de 5 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, A Resposta é uma história de preconceito e racismo, mas também de esperança. O livro conta a história de uma ...

    Leia mais
    ARBX -SAO PAULO - 02/05/2014 - ECONOMIA E NEGOCIOS / LIVRARIAS SE REINVENTANDO - Ambiente da livraria Cultura, no Shopping Iguatemi, em Sao Paulo. A loja e considerada uma das mais modernas . FOTO: Rafael Arbex / ESTADAO

    44% da população brasileira não lê e 30% nunca comprou um livro, aponta pesquisa Retratos da Leitura

    Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil anuncia resultados de sua 4.ª edição em seminário em São Paulo; livro com análise será publicado na Bienal do Livro de São Paulo Por Maria Fernanda Rodrigues Do Estadão Há um pouco mais de leitores no Brasil. Se em 2011 eles representavam 50% da população, em 2015 eles são 56%. Mas ainda é pouco. O índice de leitura, apesar de ligeira melhora, indica que o brasileiro lê apenas 4,96 livros por ano – desses, 0,94 são indicados pela escola e 2,88 lidos por vontade própria. Do total de livros lidos, 2,43 foram terminados e 2,53 lidos em partes. A média anterior era de 4 livros lidos por ano. Os dados foram revelados na tarde desta quarta-feira, 18, e integram a quarta edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil. Realizada pelo Ibope por encomenda do Instituto Pró-Livro, entidade mantida pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros ...

    Leia mais
    blank

    9 livrarias independentes que você precisa descobrir em SP

    Entre os entusiastas de tecnologia e de todos os adventos modernos que dispomos hoje para fazer as coisas de maneira mais prática, rápida e deveras indolor, e aqueles que vestem a carapuça da nostalgia e se refestelam em uma tarde de domingo num cenário vintage, prefiro a coluna do meio. Por Paulo Moura, do FTC Dito isso, hoje vou falar de uma coisa que me faz falta em São Paulo: a livraria independente de bairro. Para onde quer que se olhe, só se vêem as tais das megastores. Se não é megastore, é superstore, bigstore ou mesmo uma Americanas da vida… Há um ano atrás, fui numa dessas raríssimas livrarias de bairro ainda existentes, cheguei para o dono e fiz a seguinte solicitação: “Queria um livro policial que fosse atual, mas real, sem efeitos especiais ou tramas incríveis, e que tivesse o lance da violência e tal, mas também algo além, ...

    Leia mais
    blank

    50 livros que os bebês devem conhecer antes de deixar as fraldas e as chupetas

    No bate-papo realizado em 01 de outubro, conversamos com Ana Paula Yazbek sobre a importância da leitura para bebês, discutindo possibilidades e desafios desse trabalho. Se você perdeu esse encontro, ele está disponível em nosso blog ( clique aqui). Denise Guilherme Formada em Pedagogia pela USP, Ana é sócia diretora do Espaço da Vila, berçário que atende crianças de 0 a 3 anos, desde 2002, em São Paulo-SP. Além de acompanhar o trabalho das educadoras, atua também em cursos de formação pelo Centro de Formação da Escola da Vila e está concluindo a especialização em educação de crianças de 0 a 3 anos pelo Instituto Singularidades. Junto com a equipe de nosso blog, Ana Paula se propôs a organizar uma lista de livros testados e aprovados pelos bebês, que você confere a seguir. Todos estão à venda em nossa livraria e, se clicar aqui, você será redirecionado para nossa loja e poderá ler as resenhas que ...

    Leia mais
    blank

    Em SC, catador de lixo salva 3.000 livros descartados por diretor de escola

    Um catador de material reciclável salvou do lixo cerca de três mil livros didáticos colocados fora pelo diretor de uma escola, em Santa Catarina. Grande parte do material era nova, havia sido distribuída este ano e ainda estava embalada. O MEC (Ministério da Educação) investiga o caso. Por Lucas Azevedo, da  UOL O catador Antônio Osni Monn denunciou o descarte irregular de cerca de 3.000 livros didáticos em SC. Reprodução/UOL Há duas semanas, José Vanderlinde, diretor da Escola de Educação Básica Nereu Ramos, em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis, ofereceu um material ao reciclador Antônio Osni Monn. A condição para levar os sacos de lixo cheios era que o carregamento fosse feito à noite, retirado da biblioteca da instituição. "Eu peguei os livros e suspeitei, porque ele mandou 'enlonar', não podia ninguém ver.  Se eu vou carregar uma coisa que ninguém pode ver, é ...

    Leia mais
    (Foto: © Philani Dladla)

    A inspiradora história do sem-teto que se recusa a pedir esmola e ganha a vida vendendo livros usados

    Nos sinaleiros de Joanesburgo, na África do Sul, Philani Dladla não quer esmola ou alimentos, como a maioria dos moradores de rua. Com 24 anos e tendo se livrado da dependência química com a ajuda de livros de autoajuda, hoje ele vende livros usados para conseguir se manter. Dladla foi descoberto pelo cineasta sul africano Tebogo Malope, que publicou um pequeno documentário sobre a vida do rapaz. Desde então, as pessoas têm procurado Philani Dladla para fazer doações, comprar obras e conversar sobre literatura. O rapaz comercializa os livros usados com adultos, mas quando é uma criança que o procura, ele dá a obra desejada como presente. Segundo Dladla, esta é uma forma de incentivar a leitura e tornar os pequenos pessoas melhores. Conheça esse incrível exemplo no vídeo abaixo: (Foto: © Philani Dladla)

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank
    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist