O jovem Mandela: um relato romanceado

Enviado por / FonteDo Vermelho

A Editora Nova Alexandria lança, em maio, o relato romanceado, escrito por JeosaFá, que relata a trajetória da pobreza, da luta e do cárcere político até a presidência da República, percorrido por um dos principais personagens da história contemporânea.

Desde a pobreza no sertão da África do Sul, até o reconhecimento mundial – este foi o caminho percorrido por uma das principais lideranças populares e avançadas do mundo contemporâneo: Nelson Mandela.

Sua vida, contada no livro O Jovem Mandela, de JeosaFá, que a editora Nova Alexandria lança em maio, é o relato da luta de uma existência inteira contra as condições aviltantes dos trabalhadores nas minas de diamantes mais profundas do mundo, a miséria nas favelas de Johanesburgo, a opressão das populações negras e de origem indiana, o desumano sistema de apartheid.

Desde muito cedo o jovem Nelson Rolihlahla Mandela escolheu entre o conforto de uma vida alienada e os riscos da luta contra o regime de segregação racial. Neste livro, Jeosafá Fernandez Gonçalves constrói um enredo ficcional que articula literatura e realidade para dar corpo às angústias e às ações desse importante personagem da história contemporânea. Apresenta os passos decisivos da formação do homem e do líder que derrotou o apartheid, dando ao leitor um painel dos fatos históricos, uns dramáticos e trágicos, outros gloriosos, desta epopeia plena de grandeza.

Fundador da Liga da Juventude do Congresso Nacional Africano (CNA), Nelson Mandela tornou-se o principal líder do CNA. Sua vida se confunde com a luta pela democracia e pela liberdade e, embora o território principal de suas ações tenha sido sua África do Sul mergulhada em um dos sistemas políticos mais abomináveis conhecidos, o apartheid.

Da infância de pés descalços no sertão africano, no início do século XX, à prisão política da qual saiu para se tornar Presidente da República após vencer a primeira eleição livre em seu país, ao fim do mesmo século, Mandela seguiu um roteiro de aprendizagem, persistência e esperança que lhe deu forças para suportar sucessivas perdas de amigos, assassinados sob tortura ou em confrontos com o apartheid; de familiares, com os quais sempre manteve fortes laços de afeto; além de uma sentença de prisão perpétua absurdamente injusta, a partir de um julgamento de exceção, forjado nos mínimos detalhes para eliminar do caminho os opositores do regime racista.

No interior da prisão da ilha de Robben, em que cumpriu a maior parte dos 27 anos em que esteve encarcerado, Madiba, como também é conhecido entre os amigos e parentes, organizou o que ficou conhecido como Universidade Mandela, iniciativa de educação geral e formação política que reuniu, anos a fio, em debates, palestras e verdadeiras aulas, com currículo estabelecido pelos próprios participantes, até mesmo os guardas do presídio. Muitos jovens condenados à ilha de Robben, após cumprirem a pena, voltaram para a luta antiapartheid mais bem preparados do que quando nela ingressaram. O amor de Mandela pela juventude está estampado em seu sorriso – que, quando se abre, o torna um menino novamente, um legítimo representante da “juventude do mundo”, expressão muito empregada por sua geração de “lutadores da liberdade”, como, com justiça, também se autodenominavam.

Leia mais sobre Nelson Mandela

JeosaFá. O jovem Mandela. São Paulo, Editora Nova Alexandria

+ sobre o tema

O discurso emotivo e poderoso de Beyoncé nos CFDA

Beyoncé Knowles ganhou ontem o prêmio de ícone da...

Jean Paulo, o Cirilo de “Carrossel”: “Dizem que vou ser o próximo Lázaro Ramos”

Entrar na casa de Jean Paulo Campos , na periferia de...

Blocos negros movimentam o carnaval de rua de São Paulo

Apresentações acontecem por toda cidade como forma de fortalecer...

para lembrar

spot_imgspot_img

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Nota de pesar: Flávio Jorge

Acabamos de receber a triste notícia do falecimento do nosso amigo e companheiro de militância Flávio Jorge, o Flavinho, uma das mais importantes lideranças...
-+=