Mandela apela à paz na África do Sul por ocasião do 20º aniversário do assassinato do líder do Partido Comunista Sul-africano, Chris Hani

Madiba (Mandela) lançou este apelo por ocasião da comemoração do 20º aniversário do assassinato do líder do Partido Comunista Sul-africano, Chris Hani, que influenciou nitidamente o curso da história neste país.

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela lançou quarta-feira um apelo à calma dirigido ao país e apresentou calorosamente “a mão a todos os sul-africanos brancos e negros”.

Madiba (Mandela) lançou este apelo por ocasião da comemoração do  20º aniversário do assassinato do líder do Partido Comunista Sul-africano, Chris Hani, que influenciou nitidamente o curso da história neste país.

Mandela lembrou que, enquanto um homem branco, “cheio de preconceitos e de ódio”, cometeu esse ato, uma mulher branca que assistiu ao incidente alertou a Polícia.

O Congresso Nacional Africano (ANC, no poder),  prestou homenagem a Hani na mesma ocasião, afirmando que ele teria desempenhado um papel importante no Governo se tivesse sobrevivido.

“Os ideais para os quais ele viveu são os ideais que nos inspiram enquanto continuamos arduamente a luta pela emancipação económica, contra o racismo e por uma vida melhor para todos os sul-africanos”, declarou o porta-voz do ANC, Jackson Mthembu.

“Nós consideramos este período de comemoração como um período de renovamento do nosso compromisso de finalizar a tarefa que consiste em gozar plenamente da nossa libertação”, disse.

Vários milhões de sul-africanos assinalaram  esse assassinato considerado como uma fase na escalada da tensão racial na África do Sul.

Hani foi assassinado a 10 de abril de 1993 diante da sua casa, no subúrbio de Boksburg, perto de Joanesburgo (a capital económica do país), a oeste de Pretória (capital política),  por um imigrante polaco de extrema-direita identificado como Janusz Walus.

Walus e o seu cúmplice, Clive Derby-Lewis, foram condenados à morte por este crime, mas as suas penas foram comutadas em prisão perpétua e, portanto, continuam presos.

+ sobre o tema

para lembrar

spot_imgspot_img

‘Está começando a segunda parte do inferno’, diz líder quilombola do RS

"Está começando a segunda parte do inferno", com esta frase, Jamaica Machado, líder do Quilombo dos Machado, de Porto Alegre, resumiu, com certo desânimo, a nova...

Inéditos de Joel Rufino dos Santos trazem de volta a sua grandeza criativa

Quando faleceu, em 2015, Joel Rufino dos Santos deixou pelo menos dois romances inéditos, prontos para publicação. Historiador arguto e professor de grandes méritos, com...

Dia 21, Maurício Pazz se apresenta no Instrumental Sesc Brasil

Maurício Pazz, paulistano, nos convida a mergulhar nos diferentes sotaques oriundos das diásporas africanas no Brasil. No repertório, composições musicais do próprio artista, bem...
-+=