O orgulho de ser gay do CEO da Apple

Jornal GGN – Em um artigo publicado na revista americana Bloomberg Businessweek, o CEO da Apple, Tim Cook, resolveu sair definitivamente do armário. Embora sua homossexualidade já fosse sabida no Vale do Silício, Cook resolveu falar sobre isso para ajudar outras pessoas a lidar com a sexualidade. “Se saber que o CEO da Apple é gay puder ajudar alguém na luta pela aceitação de quem ele ou ela é, ou ajudar a trazer conforto a alguém que se sinta sozinho ou inspirar as pessoas que insistem pela igualdade, então vale a pena abrir mão dessa privacidade”.

do Estadão

Tim Cook, CEO da Apple, diz ter ‘orgulho de ser gay’

Executivo-chefe da Apple revela homossexualidade em artigo publicado nesta quinta-feira,30, na revista Bloomberg Businessweek

Tim Cook: “orgulho de ser gay”

O executivo-chefe da Apple, Tim Cook, afirmou que tem ‘orgulho de ser gay’ em artigo publicado nesta quinta-feira,30, na revista Bloomberg Businessweek. No texto, o empresário decidiu revelar sua opção sexual pela primeira vez, embora o assunto já fosse bem conhecido no Vale do Silício.

Aos 53 anos, Cook diz valorizar sua privacidade, mas decidiu falar sobre sua sexualidade porque sentiu que isso lhe permitiria ajudar outras pessoas. “Eu não me considero um ativista, mas agora percebo o quanto me beneficiei do sacrifício de outros”, escreveu o empresário.

“Se saber que o CEO da Apple é gay puder ajudar alguém na luta pela aceitação de quem ele ou ela é, ou ajudar a trazer conforto a alguém que se sinta sozinho ou inspirar as pessoas que insistem pela igualdade, então vale a pena abrir mão dessa privacidade”, afirmou Cook.

A questão voltou à tona recentemente, quando um entrevistado da CNBC disse considerar que Cook era relativamente aberto sobre o fato de ser gay. Ao serem confrontados pela informação, no entanto, os demais participantes permaneceram em silêncio.

No passado, o executivo já havia defendido a igualdade entre pessoas com orientações sexuais diferentes, publicando inclusive um artigo no Wall Street Journal para apoiar uma lei federal que visava prevenir a discriminação no trabalho baseada na sexualidade.

Às 10h16, antes da abertura do mercado acionário em Nova York, as ações da Apple caíam 0,40%, negociadas a US$ 106,91. Fonte: Dow Jones Newswire

 

 

Fonte: GGN

+ sobre o tema

Diferentemente dos homens, mulheres vão para corredor da morte por ‘crimes’ sexuais

Além das execuções oficiais, mulheres são mais suscetíveis aos...

Jovem bate em mulher com socos e joelhadas e câmera registra agressão

Caso ocorreu em Álvaro de Carvalho (SP); suspeito é...

Violência física atinge 40% das mulheres da América Latina, diz Cepal

Um estudo da Cepal (Comissão Econômica para América Latina...

Quem é Amanda Gorman, a poeta de 22 anos convidada para a posse de Biden

Amanda Gorman tem apenas 22 anos e uma importante...

para lembrar

Pós-Durban, por Sueli Carneiro

O Alto Comissionado das Nações Unidas para os Direitos...

Qual a diferença entre ser encoxada no trem e na balada? – Por: Leonardo Sakamoto

Assim que terminei de fazer uma comparação entre mulheres...

Lei das Domésticas cria oportunidade para franquia de R$ 7 mil

Empresa americana Jan-Pro, que atua no segmento de limpeza...

Na cor vermelho carmim escarlate: um breve foco em escrituras das afro-brasileiras Elisa Lucinda e Nega Gizza

Esse trabalho propõe reflexão sobre escrituras criadas, respectivamente, por...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=