O racismo, quando não nos mata, nos torna inseguras – Por Karina Vieira

Karina Vieira orienta suas pesquisas na questão da formação da identidade da mulher negra na zona oeste do Rio de Janeiro e, por conseguinte, da comunidade negra. Segundo ela, a população negra precisa de espelhos positivos, e apresenta exemplos de mulheres e situações que estão contribuindo para a formação positiva desta identidade. Karina mostra que: “Individualmente, não possuímos dinheiro ou riquezas, mas, coletivamente, ninguém nos para”.

Do Youtube 

Karina Vieira é graduada em Comunicação Social e pós-graduanda em Gestão de Políticas Sociais pela Universidade Castelo Branco, Consultora de Comunicação do Baobá – Fundo pela Equidade Racial, Diretora de Comunicação da AUR, e pesquisadora de dois grupos de extensão da UCB, orientando suas pesquisas na questão da formação da identidade da mulher negra na zona oeste do Rio de janeiro e, por conseguinte, da comunidade negra.

+ sobre o tema

‘Não fazia sentido esconder quem eu amo e respeito’, diz prefeito de Lins

Edgar de Souza assumiu homossexualidade na campanha de 2012. Ele...

Conversamos com a autora independente Jarid Arraes

A cordelista estará na Feira Plana, que começa hoje,...

Criticar a indústria Plus Size é preciso

A indústria da moda é construída sobre o pilar...

A força das nossas ancestrais

Movimento das mulheres negras reúne 50 mil pessoas em...

para lembrar

Release: Lançamento oficial do livro – reportagem Mulheres Agredidas que Revidam

Obra fruto de pesquisa, realizada pela jornalista Andreia Barros....

Milhares de mulheres se juntam na Argentina no ano da luta pelo aborto legal

Paralelos, outros movimentos feministas com ideais de esquerda pediam...

Sobre meninas e lobos – por Dulci Lima

Essa noite tive pesadelos. Velhos fantasmas voltaram para me...

A lealdade das mulheres

Basta olhar as filas das visitas nos presídios para...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=