O sexo faz a diferença

Durante bons anos, na saída do estacionamento do Aeroporto Internacional de Guarulhos – São Paulo, ao pôr o ticket de pagamento na máquina, você ouvia uma gravação com inequívoca voz feminina dizendo: Obrigado, volte sempre. Soava estranho, pois mulher deve dizer obrigada. Quem fala obrigado é o homem.

Por Fernanda Pompeu Do Fernanda Pompeu

É certo que, nesse caso, a voz feminina agradece em nome do Aeroporto (palavra masculina). Mas havia o ruído de gênero. Ruídos dificultam a comunicação, perturbam o ouvinte, comprometem a compreensão exata da mensagem. Portanto, devemos evitá-los ao máximo. Por exemplo, o aeroporto agradece…

Quando o assunto é agradecer, o idioma português difere:
Do francês, no qual mulheres e homens dizem merci.
Do inglês, no qual ambos falam thank you.
Do espanhol, no qual todos respondem gracias.
Do italiano, no qual contraltos e tenores dizem grazie.
Do alemão, no qual meninas e meninos agradecem com danke.

Entre nós, o gênero do agradecimento dependerá do sexo de quem fala. A razão é simples: obrigado / obrigada significa exatamente Sentir-se obrigado ou obrigada em relação a outra pessoa. Estar obrigado ou obrigada a o quê? A retribuir o favor, a ficar à disposição etc.

Algumas pessoas, ao conhecer a origem da expressão obrigado/obrigada, concluem que é submissão demais. Afinal, não é porque alguém deixou eu entrar primeiro no elevador, que vou me sentir obrigada a fazer alguma coisa por ela.

Tudo bem, a língua tem alternativas: agradecido/agradecida, grato/grata. Alternativas com flexão de gênero também. Mas, cá para nós, obrigado/obrigada mora no hábito de 95% dos falantes. Tanto é verdade que fazemos outras flexões:
Obrigadinho/obrigadinha
Obrigadíssimo/obrigadíssima
(coloquial – familiar) Brigado / brigada / brigadão

E como fica o plural?
Muito obrigados (por exemplo, o conjunto de alunos, homens e mulheres, agradecendo ao professor).
Muito obrigadas (por exemplo, o conjunto de bailarinas agradecendo ao público).

Certo ou errado?
Obrigado eu / obrigada eu
Certíssimo! Significa sou eu quem me sinto obrigado/obrigada.

Quando substantivado, a forma é masculina
As mães deixaram um obrigado para a merendeira.
É isso. Ah, muito obrigada por sua leitura.

Brinde

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

Em artigo, Lula defende candidatura de Graziano à FAO

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou,...

Veja alguns flagrantes, fotos e vídeos da greve geral

Contra reformas, estudantes de escolas privadas acordam bairro chique...

Leno F. Silva: Manifestações livres sobre qualquer assunto

Por: Leno F. Silva   Não sei quantos motoristas de...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=