Obesidade: Ofensas corporais e preconceito deixam as pessoas mais doentes

Chamar alguém de ‘gordo’ ou ‘magro’ pode ter sérias consequências. Em casos de obesidade, o efeito é demasiado grave.

Por Daniela Costa Teixeira Do Noticias ao Minuto

As ofensas corporais são cada vez mais comuns. A facilidade de acesso à internet e o uso (muitas vezes indevido) das redes sociais fazem eco a ofensas que surgem de todo o mundo e que apontam o dedo a quem não está em boa forma ou a quem não consegue encaixar nos padrões de beleza que acreditam ser os melhores.

Chamar alguém de ‘gordo’ ou ‘magro’ pode ter sérias consequências. Mas quando a ofensa é feita devido à gordura e afeta pessoas obesas, o impacto é maior e bem mais grave.

Esta é a conclusão de um estudo publicado na revista Obesity e que indica que os estereótipos negativos, as ofensas corporais e a discriminação face ao elevado peso estão associadas a mais casos de síndrome metabólica, problemas de coração e diabetes por parte de quem é obeso e recebe tal ofensa. Além disso, a ofensa gratuita faz ainda aumentar os casos de depressão em quem tem excesso de peso e lida diariamente com o preconceito e o desdém de terceiros.

O estudo foi levado a cabo pela Faculdade de Medicina Perelman da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, e salienta que as ofensas corporais – e a facilidade com que são espalhadas – aumentam o risco de morte precoce em quem luta contra o excesso de peso. Participaram 159 adultos, foram realizados testes de avaliação dos níveis de depressão e do real impacto que os comentários têm na condição (isto é, se as pessoas obesas tomam o preconceito dos outros como algo seu, fazendo a si mesmas as críticas que os outros tecem) e ainda medido o índice de massa corporal (IMC) dos participantes, que foram maioritariamente do sexo feminino, lê-se no site da revista Health.

Quanto maior for a tendência da pessoa acatar como suas as críticas dos outros ao seu peso, maior é a probabilidade de terem problemas de saúde associados à obesidade. Os investigadores provam agora que os comentários depreciativos e as críticas ao peso não fazem com que a pessoa obesa fique estimulada na luta contra a balança. O efeito é totalmente o contrário e tem sérias consequências na saúde, uma vez que aumentam a sensação de tristeza, vergonha e ódio pelo que veem quando se olham ao espelho.

+ sobre o tema

O sexo impessoal do machão

Comentando o “Se eu fosse você'' Por Regina Navarro Lins A...

Atleta que foi porta-bandeira na abertura é preso no Rio acusado de estupro

Segundo caso de assedio contra uma camareira da Vila...

Na luta, a gente se encontra por Flávia Oliveira

Desfiles na Sapucaí ampliam visibilidade, escancaram polêmicas por Flávia Oliveira...

para lembrar

‘Eu me comporto igual no ar e fora do ar’, diz Maria Júlia Coutinho

Apesar de ter entrado no horário nobre há algumas...

Prefeitura lança campanha ‘Busão sem Abuso’

Proposta encoraja vítimas a denunciarem agressores que devem ser...

“Amor e Sexo”: morri e fui pro inferno

Recebemos inúmeros tweets e emails a respeito do programa...

Chinês realiza sonho de mudança de sexo aos 72 anos

Um chinês de 72 anos decidiu que nunca é...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=