Obra infanto-juvenil em inglês aborda preconceito racial

Lançamento do livro “The Black Butterfly” (A borboleta Preta), de autoria do professor de inglês Luis Márcio Araújo Lins, será próximo dia 22, na Livraria Leitura, no Tacaruna

Por Henrique Barbosa em seu blog 

A livraria Leitura, no Shopping Tacaruna, será palco do lançamento do livro “The Black Butterfly” (A borboleta Preta), de autoria do professor de inglês Luis Márcio Araújo Lins. O evento acontecerá às 17h do dia 22 de outubro. A obra tem 20 páginas e custa R$ 29,99.

O livro é uma fábula infanto-juvenil (voltado para crianças e pré-adolescentes de 06 a 13 anos) feito na língua inglesa com o objetivo de abordar de forma simples, direta, colorida, lúdica e didática a questão do preconceito racial. A ideia do autor é que, além de adquirir conhecimento em outro idioma, as crianças também possam aprender a lidar com as diferenças raciais.

O racismo causa efeitos devastadores na vida de qualquer pessoa, principalmente nas crianças. Pensando nessa temática surgiu a fábula de Peeta, uma borboleta que nasceu em uma comunidade altamente preconceituosa, na qual, a maioria das outras borboletas eram coloridas.

cad3f6cac2dd4226e89d497ad2d52fdc

Essa fábula tem como objetivo alertar a criançada sobre o impacto do racismo na vida de qualquer ser humano e a necessidade de quebrar esse círculo vicioso, além de promover o amor entre as raças.

O lançamento do livro “The Black Butterfly” conta com o apoio e parceria do curso de Idiomas CNA, Faber Casttel, Game Station e Editora Livro Rápido. Durante o evento serão realizados sorteios de brindes.

SOBRE O AUTOR

Luis Márcio Lins é professor de inglês da rede privada e pública formado em Letras (Português/Inglês) pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), além de especializações nas áreas de Linguística em Ensino de Língua Portuguesa e em Metodologia da Tradução em Inglês realizadas na Faculdade Franssinete do Recife (Fafire).
Com experiências fora do país, Luís já realizou três intercâmbios, dois deles no Canadá e um na África do Sul, e também atuou como professor em países como Estados Unidos e Inglaterra.
Esta não é a primeira obra de sua autoria. Em 2010, Luis publicou o livro intitulado de Inglês Instrumental – Estratégias de Leitura e Compreensão Textual, volume comercializado em todo Brasil e adotado como leitura obrigatória pela Universidade Federal do Pará, Rio Grande do sul, Manaus e outras instituições.

+ sobre o tema

Estudante da UFRJ comove a internet com declaração do pai semianalfabeto

Por Daniel Silveira Do G1 Ela criticou quem debocha das pessoas...

Explicando o uso do termo ‘bastante’ e do verbo ‘haver’ no sentido de ‘existir’

Professora de português do Colégio GGE, Ana Queiroz, exemplifica...

Estudo analisa mulheres e negras na educação brasileira

Um projeto desenvolvido entre 2014 e 2016 trouxe para...

MEC anuncia resultado do Prouni, mas candidatos não conseguem consultá-lo

Resultado da primeira chamada é publicado na manhã desta...

para lembrar

Educação: Folha de S. Paulo defende política do governador Serra

O jornal Folha de S.Paulo, no dia 2 de...

Conferência Nacional de Educação começa neste domingo (28) em Brasília

Começa neste domingo (28), às 18h, a Conae (Conferência...

DOS MOVIMENTOS ABOLICIONISTAS Á LEI ÁUREA, O FIM DA ESCRAVIDÃO NO BRASIL

A PRINCESA IMPERIAL Regente em Nome de Sua Majestade...

O Plano Municipal de Educação

Com o objetivo de discutir mais de 3...
spot_imgspot_img

Cidinha da Silva e as urgências de Cronos em “Tecnologias Ancestrais de Produção de Infinitos”

Em outra oportunidade, dissemos que Cidinha da Silva é, assim como Lélia Gonzalez e Sueli Carneiro, autora importante para entendermos o Brasil de hoje e...

Ser menina na escola: estamos atentos às violências de gênero?

Apesar de toda a luta feminista, leis de proteção às mulheres, divulgação de livros, sites, materiais sobre a valorização do feminino, ainda há muito...

Conceição Evaristo é eleita a nova imortal da Academia Mineira de Letras

A escritora Conceição Evaristo, 77, foi eleita nesta quinta (15) membro da Academia Mineira de Letras, na cadeira número 40, já ocupada por Afonso Pena Júnior e...
-+=