OEA diz que “não há ambiente adequado” para eleições em Honduras

Fonte: G1




Buenos Aires, 3 set (EFE).- As eleições presidenciais de Honduras foram “convocados em meio a um ambiente que não é o adequado para a realização de pleitos democráticos”, disse hoje, em Buenos Aires, o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza.

Insulza também disse concordar com “o papel” que os Estados Unidos passaram a desempenhar desde o golpe de Estado que, em junho, tirou do poder o então presidente hondurenho, Manuel Zelaya. Segundo o secretário-geral, o país tem feito “muita pressão e tomado uma série de medidas importantes”.

Ontem, em Washington, Zelaya disse que os países-membros da OEA não reconhecerão os resultados das eleições de 29 de novembro em Honduras.

Ainda segundo o chefe de Estado derrubado, a organização defende o endurecimento das medidas contra o Governo de fato de Roberto Micheletti, que assumiu a Presidência no lugar de Zelaya.

“As eleições têm um problema: foram convocadas em meio a um ambiente que não é o adequado para a realização de pleitos democráticos”, declarou Insulza a jornalistas, que o aguardavam na saída da cerimônia de abertura da 2ª Conferência das Supremas Cortes das Américas, em Buenos Aires.

“Em Honduras há um processo de involução, um retrocesso. Não estou prejulgando. No fim das contas, os Governos (dos 33 países-membros ativos da OEA) tomarão sua decisão”, acrescentou o chileno, que admitiu que a reação da organização diante de situações como a vivida em Honduras “é limitada”.

Depois de explicar que “Honduras está suspenso da OEA” e que “esta é a sanção que (a organização) pode aplicar”, Insulza disse que, “se os países decidirem não aprovar a eleição (do fim de novembro)”, as sanções ao país serão mantidas. EFE

 

Matéria original: OEA diz que “não há ambiente adequado” para eleições em Honduras

+ sobre o tema

Empreendedorismo: Casa do Mídia Étnica recebe lançamento de livro sobre histórias inspiradoras

Na ocasião, o autor de ‘Histórias Inspiradoras’ receberá  Enderson...

CARTA DENÚNCIA DO MOVIMENTO SOCIAL CONTRA PL 2609/2009

CARTA DENÚNCIA       As entidade abaixo assinadas...

Racismo e direito penal: Análise de uma relação fabricada

1 INTRODUÇÃO O sistema penal tem como objetivo declarado o...

América Latina assina acordo contra trabalho infantil

Em uma conferência regional, apoiada pelas Nações Unidas, 25...

para lembrar

Geledés participa na ONU do Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos

Geledés–Instituto da Mulher Negra segue atuando de forma forte,...

Desemprego bate recorde em 20 estados brasileiros em 2020, diz IBGE

Os impactos negativos da pandemia do coronavírus sobre o...

“O cidadão que consome drogas é um portador de direitos como todos os outros”

Em entrevista aos Jornalistas Livres, o antropólogo Mauricio Fiore,...
spot_imgspot_img

Movimento Negro cobra e Brasil se posiciona na ONU sobre agenda racial

Nesta quarta-feira, 17, durante a sessão do Fórum Político de Alto Nível nas Nações Unidas, em Nova York, Geledés – Instituto da Mulher Negra...

46º Prêmio Vladimir Herzog: inscrições prosseguem até 20 de julho

Termina no próximo sábado, 20 de julho, o prazo para inscrições ao 46º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos (PVH).  A premiação...

Governo federal apresenta ODS 18 sobre igualdade étnico-racial em evento na ONU

O Governo Federal, por meio da Secretaria-Geral da Presidência da República e com apoio do Pnud, realiza nesta terça (16/7) evento paralelo ao Fórum...
-+=