Oscar 2021: 5 curiosidades de Judas e o Messias Negro, indicado a Melhor Filme

Judas e o Messias Negro é um dos filmes favoritos no Oscar 2021. A produção dirigida por Shaka King concorre a seis prêmios na cerimônia, inclusive o de Melhor Filme, e acompanha uma história emocionante (e real) sobre traição, ativismo, preconceito e violência.

Com Lakeith Stanfield no papel de Bill O’Neal e Daniel Kaluuya como Fred Hampton, ativista que chegou a ser líder dos Panteras Negras, Judas e o Messias Negro tem uma narrativa envolvente. A produção acompanha a traição de O’Neal e o assassinato de Hampton, assim como apresenta o legado do ativista em uma narrativa de tributo.

Da ideia inicial do filme ao lançamento nos cinemas, há diversos fatos inusitados sobre os bastidores de Judas e o Messias Negro. A Rolling Stone Brasil listou 5 curiosidades sobre a produção indicada ao Oscar 2021; confira:

Foi ideia de quem?

O drama angustiante foi pensado por duas personalidades da comédia: os gêmeos Keith e Kenny Lucas. Segundo o Buzzfeed, em 2016, os comediantes encontraram Shaka King no set de um piloto de comédia da FX e falaram sobre a ideia de um filme biográfico de William “Bill” O’Neal.

Em entrevista (via Screen Rant), os irmãos comediantes explicaram: “Apresentamos nossa ideia a ele [Shaka King] e ele disse, ‘isso é brilhante'”.

Título inicial

Originalmente, o filme foi anunciado com o título “Jesus Was My Homeboy” (em tradução para o português, “Jesus era meu Amigo”). Segundo o Deadline, a produção foi renomeada como Judas and the Black Messiah (“Judas e o Messias Negro”) e depois ficou sete meses sem título até ser oficialmente confirmada com o nome de lançamento.

Sem Daniel Kaluuya?

Antes de Daniel Kaluuya ser convocado para o potente papel de Fred Hampton, outros atores foram cotados para o trabalho. Segundo a Variety, Jaden Smith e O’Shea Jackson foram considerados para viver o ativista, mas Kaluuya foi o escolhido final.

Impacto emocional nos atores

Não foi fácil para o elenco fazer a filmagem final de Judas e o Messias Negro. A cena chocante mostra a invasão brutal do FBI no apartamento em que Fred Hampton e outros integrantes do Pantera Negra estavam. Em evento na Cinemateca Americana, Dominique Fishback, atriz de Deborah Johnson, falou sobre as filmagens: “Quando cheguei à réplica do apartamento, a energia era muito pesada.”

De acordo com Shaka King, LaKeith Stanfield (astro de William O’Neal) teve uma reação física violenta no dia das filmagens, e chegou a vomitar: “Dava para ouvir o coração dele explodindo nos nossos fones, batendo de insanamente rápido. Nunca tinha visto algo assim.”

Aniversário de 50 anos

O dia das filmagens da invasão do FBI no apartamento também teve outro motivo para ser especial. Naquela data, o assassinato de Fred Hampton completava exatos 50 anos – e certamente isso contribuiu para a atmosfera emocional.

Em entrevista à Uproxx, Daniel Kaluuya falou sobre como o momento foi “pesado”: “Fazer aquela cena naquele dia foi muito pesado. Realmente, muito, muito, muito pesado e todos sentiram isso. Sabíamos que era um grande momento. Fizemos um discurso, dissemos algumas palavras, muito grato por estar aqui e pelo que o presidente Fred fez por estarmos aqui juntos. Acho que se eu fizesse isso outro dia, não seria capaz de fazer da mesma forma.”

+ sobre o tema

Morre Tereza Santos (1930 – 2012) Guerreira da Cultura Negra

Tereza Santos é uma mulher negra, nascida no Rio...

RIP Mister Funk Santos

por luisnassif Mr. Funky Santos, um dos astros...

Olimpíadas 2012: Etíope vence maratona e registra novo recorde

A etíope Tiki Gelana conquistou neste domingo a medalha...

Independência: efeito dominó

Na Argélia, onde a luta de...

para lembrar

Até tu Michelle? Primeira dama dos EUA confessa que gostaria de ser Beyoncé por um dia

Quem poderia imaginar! Michelle Obama, uma das mulheres mais...

Quatro sul-africanos brancos são indiciados por plano de ataque ao Congresso Nacional Africano

Quatro sul-africanos brancos foram indiciados pelo crime de traição,...

Harlem Désir

Harlem Désir é um político francês, nascido em 25...
spot_imgspot_img

14 de maio e a Revolta dos Malês

Quem passa pelo Campo da Pólvora, em Salvador, nem imagina que aquela praça, onde ironicamente hoje se encontra o Fórum Ruy Barbosa, foi palco...

Dia 21, Maurício Pazz se apresenta pela primeira vez no Instrumental Sesc Brasil

Maurício Pazz, paulistano, nos convida a mergulhar nos diferentes sotaques oriundos das diásporas africanas no Brasil. No repertório, composições musicais do próprio artista, bem...

Mostra Competitiva Adélia Sampaio recebe inscrições de filmes de mulheres negras até 16 de junho

A 6ª edição da Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio está com inscrições abertas para filmes dirigidos por mulheres negras de todo o...
-+=