Passista recebe proposta de programa e dispara: ‘Não confunda entretenimento com prostituição’

Uma das beldades cariocas mais requisitadas para shows de samba, que tem no currículo inclusive apresentações no exterior, a mulata Janaína Azevedo acordou nesta quinta-feira, 18, com uma proposta indecente que recebeu através do WhatsApp. Após dois meses negociando com um homem, através do aplicativo, a participação em um evento na cidade de Macaé, cidade litorânea do Norte fluminense, localizada a 180km da capital, a passista foi surpreendida com o questionamento sobre o valor que cobraria para passar a noite com o sujeito, que havia se apresentado como organizador do evento.

Do Sambarazzo

Janaína não perdeu tempo e publicou em seu perfil do Facebook a troca de mensagens pelo “zap”, ressaltando que não é a primeira vez que passa por situação desse tipo:

Em seguida, na mesma postagem, a passista-show publicou alguns “prints” das mensagens que trocou com o “possível contratante”, incluindo o momento em que ele pergunta quanto ela cobraria para fazer um programa:

janaina-combinação-1

janaina-combinação-2

“Acontece com quem se apresenta em qualquer tipo de dança”, afirma Janaína

Janaína, que é profissional de dança há 20 anos, com registro no Ministério do Trabalho, morou 10 anos na Itália e diz que no exterior esse tipo de proposta também acontece com frequência.

– A diferença é que o estrangeiro é mais sutil, mais educado na abordagem, mas, infelizmente, eles também confundem as coisas. Antigamente, eu ficava furiosa, xingava, batia boca. Coisas desse tipo estragavam meu dia. Hoje, com a experiência de vida, já não perco meu tempo. E esse tipo de proposta não é só quem trabalha com samba que recebe. Acontece com quem se apresenta em qualquer tipo de dança – revela Janaína, que está com a agenda repleta de shows desde os dias que antecederam a Rio 2016 e que se apresentou em um vento que teve a presença do corredor mais famoso da atualidade Usain Bolt, medalhista olímpico em Londres e na olimpíada carioca.

No ano passado, um grupo de passistas entrevistadas pelo Sambarazzo denunciou casos de assédio sexual e propostas como a que Janaína expôs através da rede social. As profissionais, que também possuem um currículo marcado por shows ao redor do mundo, relataram situações constrangedoras que viveram dentro e fora do Brasil.

Leia também

Passistas femininas: resistência e autoestima da mulher negra

+ sobre o tema

Quantas autoras negras você já leu?, por Gabriela Anastacia

Pare, pense e responda internamente. Conte quantos livros de...

Ginasta Lais Souza revela ser gay: “Tenho uma namorada”

A ginasta Lais Souza decidiu falar sobre sua orientação...

para lembrar

Te amo, mas sou uma mulher livre

Podemos acertar as coisas dessa forma? Eu acho que...

Célia diz que pedirá perícia das obras na Justiça

Chamada de "escorpião" pelo prefeito ACM Neto (DEM) -...

Estatuto do Nascituro: sobre quem é esta conversa?

Nas últimas semanas, o Estatuto do Nascituro tem sido...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...
-+=