Perfis no Twitter ridicularizam campanha que denuncia primeiro assédio sexual

A campanha #PrimeiroAssedio foi criada com o objetivo de incentivar as mulheres a denunciar o primeiro caso de assédio sexual que sofreram

Do Catraca Livre

Quando o caso de pedofilia envolvendo uma participante do MasterChef Júnior viralizou nas redes sociais, o coletivo feminista Think Olga lançou a hashtag #PrimeiroAssedio no Twitter. O objetivo da campanha é incentivar as mulheres a contar sobre o primeiro caso de assédio sexual que sofreram e expor um problema tão enraizado na sociedade.

Leia Também: #PrimeiroAssédio: Mulheres compartilham no Twitter primeira vez que sofreram assédio

No entanto, muitos perfis da rede social ridicularizaram a hashtag da iniciativa. Pessoas anônimas, algumas delas com perfil “fake”, satirizaram as denúncias de violência sexual feitas pelas jovens. Até famosos usaram a iniciativa como forma de deboche, como o músico Roger Rocha Moreira, da banda ‘Ultraje a Rigor’, que foi criticado por usuários do Twitter.

Denuncie

Para denunciar uma publicação do Twitter, clique nos três pontinhos que fica logo abaixo do tuíte, no lado direito. Clique em “Denunciar” e vá até a opção “É abusivo ou prejudicial”. Nos próximo passo, identifique a natureza da situação denunciada.

Veja mais posts:

primeiroassedio1 primeiroassedio7 primeiroassedio9 primeiroassedio22
primeiroassedio41 primeiroassedio51 primeiroassedio61

+ sobre o tema

Maria da Penha: lei foi eficiente, mas precisa ampliar serviços, diz educadora

A gota d´água para que Maria* buscasse ajuda para...

Alagoas: ato unificado marca o Dia Internacional da Mulher

Mais de 30 entidades que lutam pelos direitos das...

Mulheres estão sendo convocadas para agir em defesa de seus direitos na ONU!

Na semana seguinte ao Dia Internacional da Mulher, em...

para lembrar

Moda afro, apropriação cultural e silenciamento das minas negras

"Ser negra é ser morta, chamada de vadia e...

Papa nomeia mulher para alta posição na Secretaria de Estado do Vaticano

Francesca Di Giovanni trabalhará na Seção para as Relações...

Contra estupros, indianos criam sutiã que dá choque

Sutiã é capaz de dar choques de até 3.800...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...
-+=