quinta-feira, novembro 26, 2020

    Tag: assédio sexual

    Getty Images

    Quase metade das mulheres já sofreu assédio sexual no trabalho; 15% delas pediram demissão, diz pesquisa

    Quase metade das mulheres já sofreu algum assédio sexual no trabalho, segundo pesquisa do LinkedIn e da consultoria de inovação social Think Eva, que ouviu 414 profissionais em todo o país, de forma online. Entre elas, 15% pediram demissão do trabalho após o assédio. E apenas 5% delas recorrem ao RH das empresas para reportar o caso. De acordo com o levantamento, a maioria das entrevistadas que já sofreram alguma forma de assédio sexual no ambiente de trabalho são mulheres negras (52%) e que recebem entre dois e seis salários mínimos (49%). Além disso, o Norte (63%) e Centro-Oeste (55%) têm uma concentração de relatos superior às demais regiões. A pesquisa mostra ainda que, mesmo entre as mulheres que ocupam posições hierárquicas mais altas, o assédio não deixa de ser uma realidade. Entre as entrevistadas que declararam desempenhar a função de gerente, 60% afirmaram terem sido vítimas de assédio. No ...

    Leia mais
    Adobe

    “Isso fica entre nós” – Descobrindo a minha sexualidade e enquanto era assediado

    Quando sou questionado sobre o período em que “saí do armário” automaticamente sou levado aos anos que rodearam essa época, e simplesmente mergulho num passado de ingenuidade e vergonhas que me afeta até hoje de formas cruéis, abrindo feridas que eu pensava que já estavam cicatrizadas.  Nasci e morei por boa parte da minha vida no interior, sendo em fazendas ou pequenas vilas que tinha como moradores pessoas ignorantes e preconceituosas – o que não ajuda muito quando se é um adolescente negro de quinze anos que está descobrindo sua homossexualidade – que a todo momento tentam te taxar com rótulos, por exemplo; Se você não é um garoto que trata as mulheres como lixo com certeza é “viado”, ou seja, você é um completa vergonha a sua família, principalmente ao seu pai que tem expectativas de ter um filho “pegador” que vai lhe dar cinco ou seis netos. Você ...

    Leia mais

    Como o Me Too mudou Hollywood com mulheres famosas e poderosas

    Em Hollywood, há alguns anos, o feminismo era uma nebulosa. Um universo no qual só transitavam corajosas como Patricia Arquette, que se expunham nas cerimônias de premiação para lutar por salários dignos, enquanto a plateia aplaudia entre surpresa e quase obrigada. Agora, felizmente, tudo mudou. O feminismo está presente. Também a denúncia. A queixa. Até o grito. A queda das barreiras da vergonha. A aceitação da naturalidade e também da fúria. E muito disso foi estimulado pelo movimento #MeToo. As denúncias contra o produtor Harvey Weinstein e seus abusos de poder em Hollywood provocaram isso há dois anos. A sempre pacata e complacente indústria cinematográfica sofreu então uma implosão que a abalou profundamente e que continua 24 meses depois. O desentupimento da tubulação trouxe uma explosão de imundície. Há dois anos o planeta contempla, boquiaberto, algumas das mulheres mais famosas, poderosas e admiradas de Hollywood relatarem como foram humilhadas, desprestigiadas, ...

    Leia mais

    “Não nos oprima ou tente nos controlar”: atrizes comentam 2 anos do #MeToo

    Weinstein deve ser julgado em janeiro por acusações de estupro e agressão predatória de duas mulheres. Ele nega qualquer sexo não consensual. A Reuters perguntou a estrelas o quanto Hollywood mudou desde outubro de 2017. Abaixo estão as respostas, editadas por extensão e clareza: Julia Louis-Dreyfus "Gostaria de dizer que sinto que os homens estão começando a se comportar um pouco melhor, e digo talvez. Não estou dizendo que eles tenham definitivamente, mas há uma nova maneira de se comunicar, ou uma percepção um pouco nova, uma mudança de consciência que aconteceu. Está em processo. Este trabalho não está concluído. Nunca estará. Mas acho que há uma maneira de se comunicar que melhorou, espero." Patricia Arquete "O movimento #MeToo - minha irmã foi uma das primeiras pessoas a revelar - acho que teve um efeito cascata em todo o mundo, além de Hollywood. Felizmente, há mais representação de mulheres e ...

    Leia mais
    Imagens alusivas ao Dia Internacional da Mulher, em 8 de Março, em campanhas de combate à violência contra a mulher (Twitter/Reprodução)

    #MeuExAbusivo: Relatos de quem já viveu relacionamentos tóxicos viralizam

    O assunto viraliza um dia depois de Belo Horizonte computar mais uma morte violenta de uma mulher – e seu filho – por um homem suspeito de ameaçá-la há muito tempo. A edição do Atlas da Violência deste ano mostra que a taxa de homicídio de mulheres cresceu acima da média nacional em 2017. O estudo, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, revela que, enquanto a taxa geral de homicídios no país aumentou 4,2% na comparação 2017-2016, a taxa que conta apenas as mortes de mulheres cresceu 5,4%. Mortes dentro de casa Em 28,5% dos homicídios de mulheres, as mortes foram dentro de casa, o que o Ipea relaciona a possíveis casos de feminicídio e violência doméstica. Entre 2012 e 2017, o instituto aponta que a taxa de homicídios de mulheres fora da residência caiu 3,3%, enquanto a dos crimes cometidos dentro ...

    Leia mais
    chöning/ullstein bild/Getty Images

    Ministério Público do Trabalho recebe denúncia de 25 casos de assédio sexual e racismo no McDonald’s

    Os casos foram entregues ao procurador Alberto Emiliano de Oliveira Neto, da Procuradoria Regional do Ministério Público do Trabalho no Paraná Da Revista Fórum  chöning/ullstein bild/Getty Images O Ministério Público do Trabalho recebeu denúncia de assédio sexual e discriminação racial em 25 ex-funcionários da rede de McDonald’s no Brasil. Os casos foram entregues ao procurador Alberto Emiliano de Oliveira Neto, da Procuradoria Regional do Ministério Público do Trabalho no Paraná. O documento, elaborado pela União Geral dos Trabalhadores (UGT), destaca que as evidências de assédio sexual e de discriminação racial demonstram um padrão sistemático de abuso dos direitos dos trabalhadores, que “requer a intervenção imediata do Ministério Público do Trabalho”. “Nossa denúncia trata de um alarmante e inaceitável padrão de assédio sexual e racial nos restaurantes McDonald’s no Brasil”, alega o presidente da UGT, Ricardo Patah. “Agradecemos as Ministério Público do Trabalho por olhar com atenção ...

    Leia mais
    GETTY IMAGES

    Andy Woodward: “Meu treinador abusou de mim por seis anos. E ainda se casou com minha irmã”

    Em visita ao Brasil, ex-jogador inglês se considera um sobrevivente e chama a atenção para o abuso sexual de crianças no futebol por Breiller Pires no El País GETTY IMAGES De um lado, o retrato em que aparece eufórico pela expectativa de ingressar num time de futebol. Do outro, a imagem melancólica distinguida por um sorriso forçado, repleto de constrangimento. As duas fotografias foram tomadas em um intervalo de dois meses. O suficiente para arruinar o entusiasmo de Andy Woodward, então um garoto de 10 anos que dava os primeiros passos com a bola no Crewe Alexandra, clube modesto do interior da Inglaterra. Na última foto, ele já integrava a equipe infantil comandada por Barry Bennell, o treinador que mais tarde se revelaria um predador sexual. Havia só algumas semanas que o técnico passara a molestá-lo, mas o brilho que carregava nos olhos antes de sair ...

    Leia mais
    Asante McGee, uma das ex-namoradas de R. Kelly que denuncia o cantor no documentário 'Sobreviver a R. Kelly' Foto- Divulgação

    ‘Era o demônio’, diz ex de R. Kelly que ficou nove horas presa em van pelo cantor

    Asante McGee é uma das entrevistadas na série 'Sobreviver a R. Kelly', que estreia nesta sexta-feira no Lifetime por Luiza Barros no O Globo R. Kelly se apresenta em 2013- músico é alvo de documentário do Lifetime em que vítimas o acusam de abuso sexual Foto- Andrea De Silva : REUTERS Em “I believe I can fly”, sua música mais conhecida no Brasil, o cantor americano R. Kelly fala, numa balada de tons motivacionais, sobre acreditar em ter asas e ser capaz de voar. E, segundo a série documental “Sobreviver a R. Kelly”, de fato não faltava ao músico de 50 anos crença em seus superpoderes. Robert Kelly, contudo, teria preferido usar a confiança em seu talento para atuar livremente como um predador sexual: desde sua ascensão, nos anos 1990, o cantor teria usado a fama para caçar meninas na porta de colégios ou em shoppings. ...

    Leia mais
    violencia contra mulher, silhueta de mulher

    Violência contra a mulher: novos dados mostram que ‘não há lugar seguro no Brasil’

    Nos últimos 12 meses, 1,6 milhão de mulheres foram espancadas ou sofreram tentativa de estrangulamento no Brasil, enquanto 22 milhões (37,1%) de brasileiras passaram por algum tipo de assédio. por Luiza Franco no BBC News Brasil Getty Images Em um sábado de fevereiro, Elaine Caparróz apanhou por horas de um homem que conheceu na internet e terminou a noite com o rosto desfigurado. Dias depois, outro homem foi detido por ejacular sobre uma passageira dentro de um trem. Não foram casos isolados. Nos últimos 12 meses, 1,6 milhão de mulheres foram espancadas ou sofreram tentativa de estrangulamento no Brasil, enquanto 22 milhões (37,1%) de brasileiras passaram por algum tipo de assédio. Dentro de casa, a situação não foi necessariamente melhor. Entre os casos de violência, 42% ocorreram no ambiente doméstico. Após sofrer uma violência, mais da metade das mulheres (52%) não denunciou o agressor ou procurou ...

    Leia mais
    @ ARTSY SOLOMON

    Como falar com seus filhos sobre abuso sexual

    A orientação dos especialistas para tratar de um tema difícil como o abuso sexual, com crianças de todas as idades. Por  Caroline Bologna, do HuffPost A abordagem incentiva os pais a ensinar as crianças a reconhecer comportamentos dignos de confiança. (Foto: @ ARTSY SOLOMON) Em janeiro de 2018, o mundo assistiu os depoimentos nauseantes de 169 mulheres e parentes cujas vidas foram afetadas pelos crimes sexuais de Larry Nassar, ex-médico da seleção de ginástica olímpica da seleção americana e da Universidade de Michigan. Histórias como a de Nassar reforçam o desejo de pais e responsáveis de proteger as crianças de um horror que infelizmente é mais comum que se imagina. Pode ser difícil pensar no abuso sexual de crianças, mas é preciso falar do tema com crianças de todas as idades. Felizmente, há maneiras adequadas para tratar do assunto de acordo com a idade, estabelecendo as ...

    Leia mais

    O que faz a maioria das vítimas de estupro não reconhecer ou falar sobre a agressão

    Ela tinha 16 anos, ele tinha 40. Ela disse a si mesma que era um relacionamento romântico. por Christine Ro no BBC Imagem- Getty Images - De país para país e até de estado para estado, existem diferentes definições legais de agressão sexual Mas seu corpo e mente faziam coisas estranhas quando estavam juntos. Às vezes, ela se sentia como se estivesse separada de seu corpo, que tremia sem parar depois de vê-lo. Era um tremor de corpo inteiro. Ela nunca tinha experimentado essas sensações antes - mas também nunca tinha estado com um homem mais velho. Essa reação deveria ser normal para a situação, ela pensou. E não as levou em consideração. Marissa Korbel demorou mais de uma década para entender aquilo não como parte do relacionamento, mas como agressão. "Eu realmente assumi toda a culpa por pelo menos nove ou dez anos", diz ela. Após anos de terapia, ...

    Leia mais
    imagem reprodução Teleton : SBT

    Como a mulher deve responder a ataques machistas, como os de Silvio Santos

    Depois do bafafá envolvendo Silvio Santos e Claudia Leitte no Teleton, voltaram à mídia outras vezes em que o comunicador fez comentários grosseiros para mulheres. Ele perguntou a Maísa, por exemplo, se ela já havia perdido a virgindade. Também disse para Eliana que a roupa dela estava indecente; além de comentar o peso de Preta Gil. por Lucas Vasconcelos do Universa imagem reprodução Teleton : SBT A questão a ser respondida é: como uma mulher pode se livrar desse tipo de situação? "Todas essas situações são de assédio. Silvio Santos faz isso de forma que pareça uma "brincadeira", reforçando a naturalização desse tipo de comportamento violento", diz a militante da Marcha Mundial das Mulheres, Maria Júlia Montero. Infelizmente, quando uma situação de assédio acontece, muitas vezes a mulher está sozinha ou isolada no ambiente e não consegue responder de forma efetiva, ressalta Maria Júlia. "E ninguém é ...

    Leia mais
    Lucy Nicholson/Reuters

    Mulheres substituíram quase metade dos homens derrubados pelo #MeToo

    Há cerca de um ano, acusações sobre constantes episódios de assédio sexual cometidos por Harvey Weinstein fizeram explodir o movimento #MeToo, em que centenas de milhares de mulheres decidiram colocar o dedo na própria ferida e expor homens que usam sua força física ou o poder profissional para obter vantagens sexuais. Do  Hypeness Foto: Lucy Nicholson/Reuters Segundo o The New York Times, mais de 200 homens poderosos foram expostos e perderam seus cargos graças às denúncias motivadas pelo #MeToo. E, de acordo com levantamento do mesmo jornal, metade das vagas foram preenchidas por mulheres. De acordo com o NY Times, foram 201 empregos ou cargos que os abusadores perderam. Apenas 124 pessoas tomaram seus lugares, sendo 54 mulheres e 70 homens, ou seja, as mulheres ocuparam 43% das vagas deixadas por assediadores. Foram ao menos 920 denúncias sobre esses 201 abusadores, e vários deles enfrentam acusações criminais, além dos resultados profissionais que seus ...

    Leia mais
    Foto: Andriano_cz/ThinkStock

    Depois de #MeToo, 37% das mulheres continuam sendo assediadas no trabalho

    Era de se esperar que as acusações de estupro em Hollywood diminuíssem depois das revelações feitas sobre Harvey Weinstein e da ascensão de campanhas como a #MeToo. No entanto, segundo a pesquisa do escritório de advocacia Slater and Gordon, da Austrália, o número de casos de assédio sexual em ambientes de trabalho não diminuiu. A partir de um estudo com 2 mil mulheres, nos últimos 12 meses, os resultados mostraram que 37% das entrevistadas passaram por episódios de assédio, mesmo depois de tantas campanhas. Os números ainda se estenderam para aqueles que relataram ter testemunhado abusos contra colegas (39%). Após assistirem à cena, as mulheres relataram terem se sentido desconfortáveis, amedrontadas, violadas, intimidadas, envergonhadas e até mesmo deprimidas. O estudo afirma ainda que a maioria dos abusos são cometidos por homens. Entre as mulheres, 28% reconheceram a presença de um abusador em seus ambientes de trabalho. Os casos mais comuns relatados pelas entrevistadas são os ...

    Leia mais
    Arquivo/Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

    Casos de assédio em trens são enquadrados como importunação sexual

    Os casos ocorreram em São Paulo por Camila Maciel no Agência Brasil Lei de importunação sexual é considerada instrumento importante para combater o abuso sexual nos trens dos metrôs (Arquivo/Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/ Dois casos de assédio sexual nos trens da Companhia Paulista de Transporte Metropolitano (CPTM) nesta semana foram os primeiros em São Paulo a serem enquadrados na nova lei de importunação sexual. O fato mais recente ocorreu na sexta-feira (28) na Linha 7-Rubi, na zona oeste da cidade. De acordo com a companhia, a vítima desembarcou na estação Água Branca por volta das 8h e relatou o assédio à equipe de segurança. O suspeito foi detido e encaminhado à Delegacia do Metropolitano. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) não deu mais detalhes sobre o caso. A Lei 13.718, de 2018, sancionada na terça-feira (25), tipificou como crime penal de gravidade média as ocorrências em que o assediador ...

    Leia mais

    Maioria dos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes ocorre em casa; notificações aumentaram 83%

    Dados do Ministério da Saúde entre 2011 e 2017 revelaram perfil das vítimas e dos agressores. Casos continuam subnotificados. Por Tatiana Regadas no G1 Entre 2011 e 2017, o Brasil teve um aumento de 83% nas notificações gerais de violências sexuais contra crianças e adolescentes, segundo boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde na segunda-feira (25). No período foram notificados 184.524 casos de violência sexual, sendo 58.037 (31,5%) contra crianças e 83.068 (45,0%) contra adolescentes. A maioria das ocorrências, tanto com crianças quanto com adolescentes, ocorreu dentro de casa e os agressores são pessoas do convívio das vítimas, geralmente familiares. O estudo também mostra que a maioria das violências é praticada mais de uma vez. Para Itamar Gonçalves da ONG Childhood Brasil, que trabalha para promover o empenho de governos e sociedade civil em combater a violência sexual contra crianças e adolescentes, faltam no Brasil ações de prevenção que trabalhem ...

    Leia mais

    Bill Cosby é condenado por drogar e molestar mulher nos EUA

    Ator pode pegar até 10 anos de prisão por cada uma das 3 acusações de agressão sexual. Ele protagonizou 1º grande julgamento de uma celebridade na era da campanha Me Too. Do G1 Bill Cosby deixa julgamento no qual foi considerado culpado de abuso sexual (Foto: Brendan McDermid/Reuters) Um júri da Pensilvânia (EUA) condenou o comediante Bill Cosby nesta quinta-feira (27) por drogar e molestar uma mulher em sua casa, em 2004. O caso é o primeiro grande julgamento de uma celebridade por crime sexual na era da campanha feminista Me Too. O ator de 80 anos, que já foi conhecido como "o pai da América" pelo trabalho no seriado "The Cosby Show", pode pegar até 10 anos de prisão por cada uma das três acusações de agressão sexual contra Andrea Constand, uma ex-funcionária da Universidade Temple, onde Cosby se formou. Hoje com 45 anos, ela ...

    Leia mais
    Daniel Chiaco

    Escritora Kenia Maria e filha atriz Gabriela Dias relatam ataque racista de estrangeiro em shopping do Rio: ‘Favelada’

    Defensora da ONU Mulheres Negras, a escritora Kenia Maria, 41 anos, e sua filha, a atriz Gabriela Dias, 19 anos, contaram terem sido vítimas de assédio na tarde de hoje, no shopping RioSul, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. Elas relataram terem sido ofendidas e "fisicamente intimidadas" por um homem estrangeiro, de país ainda não identificado. por Thiago Rogero no O Globo Elas registraram ocorrência na 10ª DP (Botafogo). No depoimento, disseram ter sido seguidas pelo homem, que tocou Gabriela. A jovem reclamou, e ele insistiu, dizendo que faria novamente. Ao ver a cena, Kenia Maria interveio e contou ter sido chamada de "favelada". Segue... Pessoas que estavam no shopping, contou Kenia, reagiram para defender mãe e filha, aos gritos de "racista". A escritora chamou a polícia e todos foram levados à delegacia, onde prestam depoimento agora. Aliás... Gabriela Dias integrou o elenco da série “Cidade Proibida” e do ...

    Leia mais

    Médicos Sem Fronteiras reconhecem 24 casos de assédio e abuso sexual em 2017

    A organização de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) reconheceu nesta quarta-feira que, no ano passado, registrou 24 casos de assédio ou abuso sexual por seus profissionais. O anúncio vem em um momento desafiador para o setor humanitário, em que a ONG britânica Oxfam enfrenta críticas internacionais por denúncias de que foi omissa diante de casos de exploração sexual de menores e mulheres por seus funcionários no Haiti e em outros países. no O Globo Segundo a MSF, de 146 denúncias ou alertas recebidos em 2017, 40 casos de abuso ou assédio foram documentados após investigações internas, dos quais 24 foram de abuso ou assédio sexual. Dentre estes, em dois casos as vítimas eram pacientes ou pessoas de comunidades assistidas. Nos 24 casos em que houve abuso ou assédio sexual, 19 pessoas foram demitidas e as outras cinco foram punidas com advertências ou suspensões. O comunicado da organização não diz ...

    Leia mais

    Roubar beijo no Carnaval só prova que você é incapaz de viver em sociedade, por Leonardo Sakamoto

    Roubar um beijo, sem consentimento, em um bloco de Carnaval, além de ser um ato de assédio e violência, também diz muito sobre o indivíduo. no Blog do Sakmoto Logo de cara, que ele é incapaz de viver em sociedade. Ao se utilizar de tal expediente agressivo, demonstra que não consegue puxar uma conversa e se mostrar agradável e atraente. E, a partir daí, obter o consentimento necessário para algo mais próximo. Pelo contrário, desconfio que ele saiba que é limitado socialmente e, ao invés de trabalhar em cima disso na terapia, decide descontar sua raiva contra o mundo. O ato indica também que ele acredita que o mundo à sua volta está a seu dispor, bastando ir lá e pegar, como uma grande prateleira de supermercado. Para conseguir o tal beijo, o sujeito segura mulheres desconhecidas pelos cabelos, braços, pescoço, cintura ou qualquer outra parte do corpo sem que ela tenha ...

    Leia mais
    Página 1 de 7 1 2 7

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist