Pesquisa mostra que pessoas trans saem menos de casa por medo de serem agredidas

Enviado por / FontePor Jornal Hoje, no G1

A pesquisa do Instituto Locomotiva é inédita e também mostra que nove em cada 10 temem sofrer algum tipo de agressão ou assédio em deslocamentos.

Uma pesquisa inédita do Instituto Locomotiva revela que pessoas trans saem menos de casa do que as pessoas cisgênero – que se se identificam com o sexo biológico – por medo de serem agredidas. O estudo também mostra que nove em cada 10 temem sofrer algum tipo de agressão ou assédio em deslocamentos. Quatro em cada 10 trans já foram vítimas de transfobia só por andar pela cidade.

O que todos esses dados indicam é que, para elas, a casa é o único lugar onde se sentem seguras. Esse isolamento causado pelo medo atrapalha o trabalho, o cuidado com a saúde, o lazer e, principalmente, fere um direito fundamental: o de ir e vir.

“É o direito de ir e vir consagrado na Constituição Brasileira. Direito cada vez mais difícil de ser alcançado pelos brasileiros e pelas brasileiras trans. São pessoas que saem menos para trabalhar, visitam menos as suas famílias e têm menos atividades de lazer, com medo de serem agredidos na rua”, diz Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva.

“Com certeza vai ter algum olhar depreciativo, alguma palavra depreciativa para a gente. Os comércios olham feio para a gente. Olham assustados, entendeu? Como se a gente não fosse de boa índole por ser trans”, lamenta Larissa Nascimento, pintora automotiva.

Este domingo (29) é o Dia Nacional da Visibilidade Trans – uma data que reafirma a importância da luta pela garantia dos direitos de homens e mulheres transexuais.

Uma pessoa trans pode descobrir ainda criança que não se reconhece no corpo que vê no espelho. E, mesmo depois da transição, ainda espera para ser vista como é.

“Teve um rapaz que começou a me encarar, encarar de uma forma ruim e, do nada, eu estava um pouco afastado da faixa amarela, eu só senti ele me empurrando, sabe? (…) Sorte que outras pessoas vieram e afastaram ele e me tiraram”, relembra Rihanna Borges.

+ sobre o tema

Câncer de mama: iluminação rosa sobre o Congresso marca mês de conscientização

Palácio do Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Palácio...

Papa nomeia mulher para alta posição na Secretaria de Estado do Vaticano

Francesca Di Giovanni trabalhará na Seção para as Relações...

Seiscentos dias, em mais de 500 anos, sem resposta

“Na condição de protagonistas, oferecemos ao Estado e a...

70% das pessoas graduadas que ganham até 1 salário mínimo são mulheres

Elas são mais qualificadas, mas continuam ganhando menos que...

para lembrar

Casa das Rosas realiza oficina de criação poética voltada para mulheres negras

Oficina propõe exercícios de escrita a partir de experiências...

Filha mais velha de Obama, Malia atrai legião de fãs com seu estilo

Filha do dono da caneta mais poderosa do mundo,...

Declaração das mulheres presentes no FSM 2013 Tunis – Tunisia

Congratulamo-nos com a presença significativa de mulheres, organizações de...

Bebês sob encomenda: o caso Payton Cramblett Zinkon

Jennifer Cramblett e Amanda Zinkon são casadas e residem...
spot_imgspot_img

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Novas pesquisas mostram que meninas nos EUA estão tendo sua primeira menstruação mais cedo. A exposição ao ar tóxico é parcialmente responsável. Há várias décadas, cientistas ao redor do...

Leci Brandão recebe justa homenagem

A deputada estadual pelo PC do B, cantora e compositora Leci Brandão recebe nesta quarta (5) o Colar de Honra ao Mérito Legislativo do...

Mais de 11 milhões de mulheres deixam o mercado de trabalho no Brasil

Pesquisa inédita do Centro de Pesquisa em Macroeconomia das Desigualdades (Made), da USP, sobre o custo da maternidade no Brasil mostra que 6,8 milhões...
-+=