Igualdade Racial disponibiliza formulário para currículos de pessoas trans

Enviado por / FonteCorreio Braziliense

Ministério quer aumentar o número de pessoas negras trabalhando em postos no governo federal

O Ministério de Igualdade Racial lançou nesta segunda-feira (30/1) um formulário para coletar currículos de pessoas negras transexuais e travestis. A iniciativa, que vem logo após o Dia da Visibilidade Trans, comemorado ontem, surgiu em reunião com a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra). O objetivo é incluir mais pessoas trans em postos de trabalho no governo federal.

Segundo a ministra Anielle Franco, a iniciativa é de grande importância. “O Brasil ainda é o país que mais mata pessoas trans em todo o mundo. Isso não pode continuar assim. Por isso, o governo federal tem um olhar atento às demandas da comunidade LGBTQIAP+, e nesse caso específico, das pessoas trans, e pretende mudar esse quadro tão discrepante e de tanta violência que ainda persiste em nosso país”, afirmou em nota.

O relatório “Dossiê Assassinatos e violências contra travestis e transexuais brasileiras”, divulgado pela Antra na semana passada, aponta que 131 pessoas trans foram assassinadas no Brasil no último ano, tornando o país o primeiro da lista de assassinatos de transexuais e travestis pelo 14º ano consecutivo.

Oportunidades

A pasta quer elevar a quantidade de pessoas negras em lugares de decisão do governo federal. Atualmente, 2,7% dos cargos de Direção e Assessoramento Superior (DAS) 4 e 5 são ocupados pelo grupo. A meta é chegar a 30%.

Logo nos primeiros dias da gestão, o ministério criou um formulário para receber currículos de pessoas negras que quisessem trabalhar no governo e mais de cinco mil inscrições foram recebidas. Anielle se encontrou, ainda, com o presidente da Embratur, Marcelo Freixo, para entregar 41 currículos de pessoas com formação ou experiência na área do Turismo.

“Este é um trabalho que estamos fazendo em parceria com todas as outras pastas do governo federal. Estamos à disposição para facilitar o contato entre os órgãos e pessoas negras qualificadas, com graduação, mestrado e doutorado, nas mais diversas áreas do conhecimento”, concluiu.

Pessoas negras e trans que queiram se candidatar devem preencher o formulário disponível aqui.

+ sobre o tema

Serena Williams vence Sevastova e chega à final do Aberto dos EUA

Serena saiu da quadra Arthur Ashe com um aceno...

Quem é Naomi Wadler, que aos 11 anos luta por vítimas ‘que não aparecem no jornal’

Dias antes de viralizar e ficar conhecida no mundo...

Divórcio é coisa de mulher

Pelo menos foi assim nos últimos anos, quando quase...

Dois gays, duas babás trans, cinco filhos: uma família feliz

Confira mais um exemplo de que o que define...

para lembrar

Pedidos de pensão para homossexuais sobem 130%

Crescimento anual é puxado por mulheres. Confira como obter...

Rio de Janeiro registra primeira união estável realizada entre três mulheres

Há pouco mais de uma semana, o Brasil registrou...

Expulso por ser gay, pastor cria igreja voltada a homossexuais no RS

Cidade de Refúgio será inaugurada às 19h de sábado...

ONU cria orientação para empresas combaterem discriminação contra LGBTQI+

A questão é tão óbvia que nem deveria ser motivo...
spot_imgspot_img

ONGs LGBTQIA+ enfrentam perseguição e violência política no Brasil, diz relatório

ONGs de apoio à causa LGBTQIA+ enfrentam perseguição e violência política para realizar seu trabalho no Brasil, mostra um relatório produzido pela Abong (Organizações Brasileira de ONGs) em...

Menstruação segura ainda é desafio no Brasil, indica Unicef

Uma enquete do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), concluiu “que o direito de menstruar de maneira digna, segura e com acesso...

Mulher tem aborto legal negado em três hospitais e é obrigada a ouvir batimento do feto, diz Defensoria

A Defensoria Pública de São Paulo atendeu ao menos duas mulheres vítimas de violência sexual que tiveram o acesso ao aborto legal negado após o Conselho...
-+=