Pesquisa: sociedade argentina é machista, racista e xenófoba

A sociedade argentina é machista, racista e xenófoba, segundo a opinião de oito em cada dez jovens de 13 a 18 anos revelada em uma pesquisa feita pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), cujos resultados foram publicados nesta sexta-feira pela imprensa de Buenos Aires.

A pesquisa mostra que sete em cada dez adolescentes foram testemunhas de casos de discriminação nas escolas, enquanto 40% se declararam vítimas de assédio ou segregação por seu aspecto físico ou razões raciais, entre outros motivos.

Para 65% dos entrevistados, os imigrantes bolivianos são os mais discriminados pela sociedade argentina, e 20% justificaram o preconceito afirmando que ocorre “porque nem todos são iguais”.

Já 39% apontaram a discriminação de imigrantes paraguaios como a mais pronunciada e 34%, a de peruanos.

O machismo, a xenofobia e o racismo foram denunciados por mais de 80% dos 900 jovens consultados em sete províncias, entre elas as mais povoadas da Argentina, segundo o Unicef, que realiza atualmente uma campanha para combater a discriminação na Copa América, que começou no país no dia 1º de julho.

Para 50% dos adolescentes, existe discriminação pela “cor de pele”, 48% pelo tamanho, peso e aspecto físico e 41% pela pobreza.

O que mais chama a atenção na pesquisa é que a homossexualidade e as deficiências físicas deixaram de estar entre os principais motivos de marginalização social, afirmou Andrés Franco, diretor do Unicef Argentina.

Franco também destacou o fato de que as pessoas que mais discriminam são colegas e amigos da vítima, e “nem sempre se trata de atos de má fé”, mas de atitudes aprendidas no entorno social.

As comunidades de bolivianos, paraguaios e peruanos são as mais numerosas entre os estrangeiros residentes na Argentina, cujas províncias de Córdoba e Mendoza aparecem como as de maior discriminação social do país.

Lionel Messi, ídolo da seleção da Argentina, e Diego Forlán, estrela do Uruguai, são os embaixadores da campanha contra a discriminação infantil do organismo da ONU.

Fonte: Terra

+ sobre o tema

Carta aos espanhóis: e se nos unirmos para erradicar o racismo?

Queridos amigos espanhóis, Picasso, Gaudí, Montserrat Caballé, Cervantes, Concha Buika,...

Wole Soyinka: ‘Quando entro em um museu europeu, quero roubar de volta o que me pertence’

Aos 88 anos, o dramaturgo, poeta e romancista nigeriano Wole...

Pode acontecer com qualquer pessoa negra – a pergunta é: até quando?

O número de casos de discriminação racial irá aumentar, e isso...

A Espanha é um lugar racista?

vini jr, com a sua coragem e inteligência, deu...

para lembrar

O Racismo nas redações de jornais

por Magda Almeida jornalistaA barca chegou, foi embora e...

Jogadores atleticanos aderem a campanha alemã contra o racismo

Por: Rodrigo Fonseca   "Respeito! Não dê campo...

Lilian Thuram em Lisboa contra o racismo

Em 2008, após deixar os gramados, Lilian Thuram assumiu...
spot_imgspot_img

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...

‘Moro num país racista’, diz empresário que encerrou contrato de R$ 1 mi por ser chamado de ‘negão’

Nem o ambiente formal de uma reunião de negócios foi capaz de inibir uma fala ofensiva, de acordo com Juliano Pereira dos Santos, diretor...

Coordenador do SOS Racismo de Geledés questiona decisões judiciais sobre racismo e injúria racial

Recentes casos de racismo que ocorreram de maneira individual e coletiva reacenderam os debates sobre a diferença entre a injúria racial e o crime...
-+=