Guest Post »

Polícia identifica suspeitos de morte de homem que ajudou travestis no metrô

A Polícia Civil identificou os dois suspeitos do espancamento do ambulante Luiz Carlos Ruas, que aconteceu na noite deste domingo (25) na estação Pedro 2º, na linha 3-vermelha do metrô de São Paulo.

Fonte: Folha de São Paulo

Segundo a investigação, Alípio dos Santos e Ricardo do Nascimento são primos e praticavam luta na academia que frequentavam. A família identificou ambos nas imagens captadas pelas câmeras de segurança do Metrô.

Os dois são considerados foragidos até o momento e responderão por homicídio qualificado e pela agressão a outras duas vítimas. O caso é investigado pelo 1º DP (Sé).

Luiz Carlos Ruas foi espancado até a morte no mezanino da estação de metrô após ter defendido travestis moradoras de rua.

A dupla de agressores teria ido urinar nas plantas do lado de fora da estação quando uma das travestis reclamou. Ruas tentou defendê-la e, segundo a polícia, houve desentendimento e o ambulante correu para se proteger dentro da estação, onde foi agredido com vários golpes.

O Metrô de São Paulo disse, em nota, ter deslocado seguranças das estações Sé e Brás, vizinhas da Pedro 2º na linha 3-vermelha, assim que identificou a agressão.

“Os seguranças se deslocaram imediatamente para a estação, prestaram os primeiros-socorros e conduziram a vítima de agressão para o [pronto-socorro] Vergueiro”, diz a nota. Ruas não resistiu aos ferimentos e morreu.

MANIFESTAÇÃO

Grupos de defesa da causa LGBT organizam um ato em homenagem ao ambulante e para cobrar as autoridades.

“O Luiz Carlos era um herói. O alvo do ataque nem era ele, era para ter morrido uma travesti”, diz Agripino Magalhães, ativista que organiza o ato. “E não tinha segurança nenhuma, mesmo sendo dentro da estação.”

A manifestação está marcada para as 13h desta terça (27), em frente à estação Pedro 2º.

Related posts